Conto de SdD + Clipe do Iron Maiden.

Eis um conto de Seguidores do Dragão para vocês que conhecem... Quem não conhecer desce direto que tem clipe depois. =p

Um clássico, por sinal! \o/


Espada Sangrenta

O sangue pingava quente no chão e ele sorria como não sorria a muito tempo. 32 pessoas jaziam sob seus pés, fatiadas em tantos pedaços que a melhor cova para elas seria o fogo purificador. Um gosto doce descia por sua garganta, chegava até seu estômago e fazia-o desejar em alguns minutos regurgitar os últimos segundos que se passaram. Não sabia o quanto podia ser selvagem. “Não... Mais mortes não...”, pensava e chorava por dentro, enquanto seu desejo de sangue aumentava mais e mais a cada segundo. Não estava satisfeito, queria mais sangue, mais luta e ao mesmo tempo não queria.

Olhou para os lados e procurou mais vítimas. Era impossível que aquela cidade tivesse apenas 32 soldados. Foi de casa em casa procurando por habitantes. Finalmente encontrou uma casa com cinco mulheres escondidas. A noite estava quase terminando e precisa cumprir logo sua missão, pois o raiar do sol diminuiria sua fúria e a culpa seria sua substituta. A primeira mulher nem teve tempo de implorar pela vida, um corte transversal feito pela espada a dividiu em dois.

Antes que o corpo tombasse no chão, o assassino se esgueirou pelas vísceras de sua vítima e cravou a espada no pescoço de uma segunda mulher. Ela deu um grito úmido, se afogando no próprio sangue tombando de joelhos desesperada pela dor. Duas tentaram passar pelos flancos do espadachim. Apenas tentaram, com um giro rápido da espada apenas seus corpos tombaram com metade de suas cabeças arrancadas. O sangue começou a jorrar rapidamente e banhou a todos naquela sala.

A última delas teve a pior morte. Na continuação do girar da espada, o assassino fez um golpe vindo de baixo para cima, rasgando a mulher em duas lentamente, começando por dividir sua virilha chegando até o ombro direito. A mulher ainda sofria espasmos quando suas metades atingiram o chão. Sem demonstrar piedade o homem embainhou sua espada e saiu da sala, deixando as mulheres agonizantes imersas na própria dor e espasmos.

Continuou seguindo pela rua até que encontrou algo que não esperava encontrar, não naquelas bandas. Não a essa altura da noite. Já tinha escutado falar sobre eles, mas nunca os havia encontrado antes. Eram os famosos Seguidores do Dragão. Seria uma batalha desigual para eles, não teriam a mínima chance contra sua espada. Do grupo estavam presentes Morrigan, Jackie Chan, Cronos e Kiara. Eles haviam sido informados que um assassino portando uma poderosa espada estava destruindo vilas do Império das Sombras. Provavelmente o imperador viria no encalço deles a seguir. Ele os mataria rápido. Primeiro observou quais dentre eles deveria ser o primeiro a morrer. Nem precisou escolher, Jackie Chan deu um passo a frente e disse “Desse cuido eu, é apenas um humano...”.

“Era apenas um tolo guerreiro será vítima de sua arrogância”, pensou o espadachim. Jackie Chan sacou sua montante e avançou contra o espadachim com sua violência tradicional. Sem demonstrar medo, o espadachim desviou do ataque de Jackie Chan com um giro no ar ao mesmo tempo em que dava uma estocada no ombro do Seguidor. Jackie Chan sentiu algo em si que há muito tempo não sentia contra mortais, uma dor humana. “Tem alguma coisa errada com ele... Dói muito!”, avisou Jackie Chan por telepatia aos outros Seguidores.

Morrigan, sem pestanejar aponta seu Arco da Precisão contra o assassino e dispara suas tradicionais e poderosas flechas explosivas. Se este espadachim era tão forte quanto Jackie supôs, era melhor manter a distância. Ao mesmo tempo Kiara correu em sua velocidade ampliada para tentar arrancar a espada da mão desse adversário. O espadachim parece ver ambos os ataques e segura a flecha com sua mão e a encrava no ombro de Kiara antes que Morrigan possa perceber o que acontecera. E a flecha explode jogando Kiara contra uma das casas. O Espadachim avança rápido contra Morrigan e salta de espada em punho, visando dividir-lhe a cabeça da rastreadora em dois pedaços.

Cronos interpõe e protege sua mãe, cruzando seus bumerangues e gerando uma barreira de energia para impedir o corte. O assassino sorri e gargalha quando sua espada fatia a barreira de Cronos como se fosse faca quente na manteiga, atingindo-o em cheio no ombro. O corte seria fatal, não fosse Jackie Chan jogar-se de ombros contra o espadachim, jogando-o a dois metros de distância. “Praga, será que vamos precisar apelar contra ele? Ele só está nos surrando”, berra Cronos. Jackie Chan se irrita e cria uma cópia de sua montante e de posse de duas enormes armas idênticas avança contra o assassino.

Jackie Chan, mesmo com toda sua velocidade, consegue ver o maldito desviar com facilidade de seus ataques ao mesmo tempo em que lhe enfia novamente a espada, no ombro esquerdo dessa vez, atingindo-o em cheio num tendão que Jackie Chan pensava não existir a muito tempo. Seu braço estava inutilizado. Kiara já recuperada do susto inicial penetra na terra do local e sai logo abaixo do espadachim como um trovão. O espadachim desaparecera, Kiara olha para os lados procurando-o e não percebe que seu alvo vem do céu, tendo se aproveitado do impulso de seu ataque para contra-atacar com violência. Não é uma nova interferência, dessa vez dos bumerangues de Cronos, Kiara seria atingida em cheio na cabeça.

O assassino está satisfeito. Quatro dos maiores guerreiros do universo estavam diante dele completamente atônitos e humilhados. Um mortal, aliás, ELE estava jogando por terra as décadas de supremacia dos Seguidores do Dragão. Sentia pleno quando Jackie Chan berrou, furioso, e avançou contra ele. Desviou novamente desse ataque e cravou a espada no peito de Jackie Chan. Jackie sorriu e agarrou o espadachim pelo braço. “Verme! Pensa que vai me vencer assim? Explosão Titânica!” urra Jackie Chan, manifestando seus poderes na forma de uma explosão violenta. Quando a poeira baixa Jackie Chan está no chão, inconsciente e o assassino de pé, completamente banhado pelo sangue do Seguidor do Dragão. “Que venham os próximos... Este será o túmulo de vocês!” fala o assassino.

Tomado pela fúria Cronos salta de bumerangue em posse contra o espadachim. O primeiro golpe dos bumerangues, o do esquerdo, é protegido com certa facilidade, até que Cronos grita “Eu quero, eu posso... Destruir a espada!” e desfere um poderoso golpe diretamente contra a espada com seu bumerangue restante. Um imenso brilho ofusca a todos e quando voltam a enxergar o assassino está de joelhos no chão, chorando nas mãos de Cronos, que o ergue pelo pescoço. A espada jaz esfacelada no chão. Quando Cronos vai quebrar o pescoço do jovem, é interrompido por Rei das Sombras:

– Calma, Cronos... A magia se dissipou!
– Dane-se! Ele quase matou Jackie Chan e matou todo o povo dessa vila... Olhe o estado dos corpos! – Responde Cronos, apertando o pescoço do Rapaz com violência.
– Pelo menos vamos tirar alguma informação dele... Temos que saber como ele conseguiu tanto poder. – Argumenta o Rei das Sombras. – Olha o que ele fez ao corpo de Jackie Chan, tem que ter alguma explicação.

Jackie Chan se levanta e quebra o pescoço do rapaz. “Explica isso então... ele quase me matou”, diz Jackie Chan. Rei das sombras protesta até toca a espada e sentir uma forte e poderosa magia presente nela. Sem muitas opções decide consultar seu mago real, o mal fadado Ranamom. Apesar de não confiar no Mago, reconhece que seus talentos mágicos seriam imprescindíveis na ausência do mago dos Seguidores do Dragão. Infelizmente toda a analise de Ranamom é inútil e em semanas não consegue descobrir nada a respeito da espada, apenas descobre que é feita de pedra e não de metal. Sem mais opções se vêem obrigados a consultar Samur, que provavelmente saberia dizer qual era o material. O Rei dos Deuses analisa o material e descobre que se trata de uma pedra mágica desaparecida há milhares de anos. Era um material completamente imune a qualquer magia, menos a magia de seu dono. “Já encontrei esse material antes... Há muito tempo atrás...”, diz Cronos, se lembrando de seu passado remoto.

“A pedra tem a propriedade de anular qualquer magia ou efeito mágico no local onde ela esteja. Era comum encontrá-la nas celas das prisões dos Deuses e com alguns mortais conhecedores de suas propriedades, geralmente magos necromantes e pessoas dispostas a anular os magos. A maioria delas havia sido destruída pelos Seguidores do Dragão antes da Guerra de Gigantus, mas provavelmente nossa magia de retorno fez com que as pedras voltassem. Isso significa que provavelmente alguém aprendeu a forjar estas armas e vai usá-las contra os Deuses, que são compostos de pura magia. Talvez meu Pai, Zarrantas e poucos mais sejam imunes a elas, mas os demais são completamente desprotegidos em relação a elas... Ou seja, essas espadas foram perigosamente forjadas para ferir os Seguidores do Dragão, a Legião Drax e os demais novos Deuses.”

A informação causou uma pergunta maior, quem estaria interessado em forjar tais armas? Os únicos capazes de fazer isso seriam Baali e Hatsu-Nei, mas Baali estava morto e Hatsu-Nei morava em Drax, afastado de batalhas há eras. Provavelmente precisariam procurar por essa informação com Zarrantas, mas isso significaria acordá-lo em sua prisão. Estariam os Seguidores do Dragão dispostos a se arriscar por essa informação ou existia outro modo?

Iron Maiden - Wasting Love

Obra prima do Iron, na primeira fase do Bruce Dickinson.

2 comentários:

Cuidado com sua postura ao comentar:
A responsabilidade pelas opiniões expostas nessa área é de de seus respectivos comentaristas, não necessariamente expressando a opinião da equipe do Pensamentos Equivocados.