Ciência dos Animais do Governo: Capitania dos Portos Descobre a Pólvora.

Essa matéria é a respeito do caos em que se tornou o transporte público no Brasil a poucos meses de um evento internacional, em todos os segmentos abrangidos e que deveriam ser fiscalizados pelo governo do PT, mas que tal como seu presidente, NINGUÉM SABE DE NADA.

(Mas sabem sempre como cobrar impostos...)

Essa matéria abaixo é sobre o Caos Marítimo na cidade sede do Pan 2007... Mas temos que considerar que o colapso é total dado que:
- Caos dos aeroportos.
- Metrô de São Paulo desmoronando.
- Barcas a Deriva no Rio.
- Os índices de acidentes só aumentaram.

A única coisa que aumenta é o esforço de nossos governantes e seus comandados, como o Pk mostrou muito bem no post anterior EXATAMENTE como é... E esse também é o grau de importância que dão aos eleitores no pós-eleição.

Capitania: manutenção em barcas e aerobarcos não é feita com a freqüência necessária

Publicada em 10/04/2007 às 11h48m

RIO - O almirante Fernado Monteiro Dias, comandante da Capitania dos Portos, afirmou, em entrevista à Rádio CBN, nesta terça-feira, que as concessionárias de serviço de transporte de passageiros na Baía de Guanabara não fazem manutenção adequada nas embarcações. Segundo ele, a idade das embarcações avança sem que as empresas Barcas S.A. e Transtur tomem medidas preventivas com a agilidade necessária. Em outra entrevista, na Rádio Band News, o almirante afirmou que há embarcações com 50 anos de uso ainda em circulação.

- Estamos fazendo a nossa parte, inspecionando regularmente o serviço e retirando de circulação as embarcações que não apresentem condições para isso - informou o comandante da Capitania dos Portos à CBN.

Monteiro Dias acrescentou que a Capitania está produzindo relatório para entregar ao governo estadual sobre o estado de conservação de toda a frota que circula transportando passageiros na Baía de Guanabara. Cada embarcação está sendo inspecionada e constará no relatório, disse o almirante.

Monteiro Dias, porém, destacou que a segurança dos passageiros não depende apenas do trabalho da Marinha. Segundo ele, é preciso uma união de esforços entre a Capitania dos Portos, o governo estadual e a Agetransp, a agência nacional reguladora dos transportes.

Na noite de segunda-feira o secretário estadual de Transportes, Júlio Lopes, informou que serão instalados postos permanentes de fiscalização de embarcações - um no Rio e outro em Niterói - graças a um convênio firmado entre o estado e a Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes (Agetransp). A medida foi anunciada depois que o aerobarco Flexa, da Transtur, ficou à deriva na Baía de Guanabara, na manhã de segunda. O incidente foi a repetição de outros ocorridos recentemente.

Na quarta-feira passada, cerca de 400 passageiros da barca Imbuhy, que fazia o trajeto entre a Ilha do Governador e a Praça 15, entraram em pânico. Um princípio de incêndio na casa de máquinas fez a embarcação ficar à deriva na Baía de Guanabara por quase meia hora. Os usuários tiveram que passar para outra barca e, revoltados, protestaram ao chegarem à Praça XV.

No dia 27 de março, a barca Ipanema que seguia de Niterói para o Rio de Janeiro apresentou defeito e os passageiros foram transferidos para outra embarcação. Um dia antes, uma outra embarcação da Barcas S.A. que fazia o percurso Paquetá-Rio ficou à deriva. De acordo com a assessoria da companhia, a barca Visconde de Moraes saiu de Paquetá às 7h10m e apresentou pane no motor, fazendo com que ficasse à deriva com mais de 300 passageiros, quando estava próxima da Ilha do Governador (Relembre outros acidentes na Baía de Guanabara).


Fonte: O Globo

2 comentários:

  1. Bom, uma fonte segura, me garantiu que a muito tempo nenhuma barca sofre qualquer tipo de manutenção. teve até uma barca que teve o eixo partido por conta disso.

    ResponderExcluir
  2. interessante, eu pensava outra coisa da capitania...

    mas deve ser quase um inss...

    ResponderExcluir

Cuidado com sua postura ao comentar:
A responsabilidade pelas opiniões expostas nessa área é de de seus respectivos comentaristas, não necessariamente expressando a opinião da equipe do Pensamentos Equivocados.