Indignação... Dá vergonha da ser Brasileiro.

Pensei em colocar algum assunto alegre, mas me deparei com uma notícia no mínimo RIDÍCULA.

É impressionante o quanto a sociedade atual vem se degradando. Em nome de algo que chamo de apenas DEMAGOGIA passamos a tratar a VÍTIMA como BANDIDO e o BANDIDO como VÍTIMA.

Enquanto vivemos a cada dia mais e mais enjaulados em nossas próprias residências, ou obrigados a migrar para cidades distantes para fugir dos grandes centros (igual aconteceu com Roma na Idade Média, quando amansaram com os bárbaros e esses invadiram as grandes cidades levando consigo o caos e o fim da cultura local) a Justiça faz o que? Liberta assassinos.

Claro, é a mesma justiça das sentenças vendidas, que só julga processos de amigos (ou os arquiva), que não pune, apenas enrola... E do mesmo povo que não protesta de verdade, apenas faz ceninha, chora e no final acha tudo lindo porque é ano do PAN.

Segue a notícia abaixo, o motivo de minha indignação.

Nessas horas penso seriamente se o Fascismo estava completamente errado...

Bandido que participou do assassinato da menina Gabriela é libertado

Plantão | Publicada em 11/05/2007 às 22h43m
Sérgio Duran - O Globo

RIO - Às vésperas do Dia das Mães, Cleyde Prado não tem o que comemorar. Por falhas técnicas no processo contra os acusados da morte da sua filha — a estudante Gabriela Prado, morta na estação de metrô São Francisco Xavier, na Tijuca — um dos quatro bandidos envolvidos no tiroteio teve habeas corpus concedido pela Justiça e aguarda novo julgamento em liberdade. A tristeza de Cleyde é partilhada por outras mães de vítimas da violência, que estiveram reunidas, nesta sexta, na Cinelândia, para protestar e pedir justiça.

Rosa Vieites, mãe do menino João Hélio, de 7 anos, morto em fevereiro por ladrões de carro, vai passar o domingo na companhia de outras mulheres que perderam os filhos assassinados.

— Tenho que me desdobrar para o Dia das Mães ser um dia feliz para mim. Faço como se a Gabriela ainda estivesse do meu lado — contou Cleyde, que soube há três dias da libertação do criminoso. — Na minha luta contra a violência, acabei negligenciando meu próprio caso. Por erros técnicos da Justiça, ele está nas ruas. Se matou minha filha, pode matar outras pessoas.

Cleyde se refere a Luís Carlos Ferreira da Silva, que chegou a ser condenado a 39 anos e nove meses por latrocínio (roubo com morto), juntamente com outros três acusados, em novembro de 2003, pela 35 Vara Criminal. A decisão foi anulada pela 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça, “por ausência de correlação entre denúncia e a sentença proferida”. Na sentença, os acusados foram condenados por latrocínio, o que não constava na denúncia feita pelo Ministério Público. Isso porque a autoria do disparo não foi determinada durante as investigações do crime.

Na época, o laudo de balística comprovou que o tiro foi dado por uma pistola do mesmo calibre da usada pelo policial civil Luiz Carlos Carvalho, que tentou impedir um assalto na estação. Como ele foi rendido pelos bandidos e teve a arma levada, na reconstituição do crime não ficou claro se o tiro foi dado pelos criminosos ou pelo policial.

O processo voltou ao cartório e o MP refez a denúncia, o que exigiu que todas as etapas da ação fossem refeitas. No período, houve trocas de advogados e defensores, dificuldades nas intimações e ausência dos réus nas audiências, fazendo com que o acusado ficasse preso além do prazo legal. Com base nisso, a 5 Câmara Criminal concedeu habeas corpus a Luís Carlos, em novembro do ano passado.

O desembargador Antônio José Ferreira Carvalho foi o único contrário à liberdade condicional e acredita que a decisão pode abrir precedente para os demais acusados.

— Embora tenha ocorrido o erro técnico, penso que o acusado não deveria ser solto por atrasos do processo. Outra sentença tem que ser dada. O prazo de 81 dias é estendido pelo princípio da razoabilidade, ainda mais num processo como esse, com vários réus e inconvenientes — disse Carvalho.

Demais acusados tiveram habeas corpus negados

O MP não quis se manifestar sobre o assunto. Os demais acusados tiveram os pedidos de habeas corpus negados.

A mãe de Gabriela esteve nesta sexta com cerca de cem pessoas, a maioria mães, no protesto contra a violência, no Centro do Rio. Durante a manifestação, elas rezaram e cantaram “Eu sei que vou te amar”, em frente a um coração montado com quatro mil flores. No centro do coração, foram colocadas fotos dos filhos perdidos.

— Domingo, vamos passar o Dia das Mães com aquelas que perderam seus filhos. É um conforto porque os sentimentos que carregamos todos os dias são parecidos. Perguntamos todos os dias porque isso aconteceu com a gente — disse, chorando, Rosa Vieites.

Fonte: O Globo



Definitavamente, dá nojo...

5 comentários:

  1. ntes que pensem que sou favorável ao Fascismo, não sou favorável a determinadas práticas. Mas a favor das de punição a criminosos, inexistente nos nossos moldes de sociedade e somente presente nos moldes do Islamismo e entre fascismo e islamismo do modo como é levado, prefiro o fascismo. Ao menos o fundamento não é religioso.

    ResponderExcluir
  2. E alguns ainda tentam conseguir a agilidade em processos que, como esses, tem tudo para o bandido ser condenado, mas o que acontece em vários casos ainda mais sendo encoberto por dinheiro sujo!

    ResponderExcluir
  3. É... IMPRUDÊNCIA em CIMA de IMPRUDÊNCIA! Agora, TODOS os DIAS VEMOS isso em todo o país... Não sabemos mais o que FAZER!!! A quem APELAR!?!? Somente DEUS mesmo... Valeu pela a GRANDE MATERIA! Parabens pela a sua PUBLICAÇÃO!!! Tá COMENTADO... Abraços!!!

    ResponderExcluir
  4. É incrível ver como o bom senso foi jogado pelo ralo pelos nossos magistrados, levando apenas em consideração seus diplomas, para provarem que "entendem" das leis e que não querem cometer nenhuma "injustiça"

    ResponderExcluir
  5. A justica esta perdida aqui nesse país, nao acertam uma, complicado ver uma historia desse, e outras pessoas sofrem puniçoes por coisas menores

    ResponderExcluir

Cuidado com sua postura ao comentar:
A responsabilidade pelas opiniões expostas nessa área é de de seus respectivos comentaristas, não necessariamente expressando a opinião da equipe do Pensamentos Equivocados.