Atrocidades da Guerra.

AVISO: 1 - Se você que for ler este artigo, não for uma pessoa de estômago forte, NÃO leia.
2 - Se você mesmo assim ler o artigo, mas é uma pessoa impressionável, NÃO veja o vídeo que esta mais para baixo.
3 - Se você não gosta de artigos longos e/ou tem preguiça de lê-los, NÃO leia!

Agora que os devidos avisos foram dados vamos começar.

Em um dos meus momentos de ócio, fui pesquisar sobre a Segunda Guerra Mundial, li sobre várias coisas que já tinha conhecimento e também sobre coisas que nem fazia idéia, uma delas talvez seja uma das piores atrocidades já conhecidas e feitas pela humanidade. Não estou falando sobre o holocausto, muito menos da bomba atômica e de suas vítimas. Estou falando de um fato que por muito tempo foi ignorado e até hoje poucas pessoas têm conhecimento, falo da Unidade 731.

A Unidade 731 era o programa de guerra biológica do Japão, liderado pelo médico Shirô Ishi. Essa unidade fazia experiências com cobaias humanas, mais precisamente prisioneiros de guerra. As experiências realizadas pela equipe de Shirô Ishi, eram das mais absurdas e chocantes possiveis, iam desde infectar suas cobaias com doenças de todos tipos, injeções de ar, choques elétricos, até autópsias e dissecações em indivíduos vivos, sem nenhum tipo de anestesia.

Ishi fazia questão de fazer relatórios muito bem detalhados, em que eram descritos com exatidão todas as suas experiências. Porém sempre eram posto que as experiências eram realizadas em macacos. Os prisioneiros usados nas experiências, eram bem alimentados e praticavam exercícios, pois segundo Ishi quanto melhor a saúde de sua cobaia, melhor eram os resultados.

Uma das experiências mais intrigantes era a de injetar ar, para ver a evolução das embolias. Outro tipo de experiência realizada, era deixar o individuo preso de cabeça para baixo, para ver enquanto tempo o individuo morria por asfixia. Eram realizados também testes de congelamento, onde alguns prisioneiros eram postos nus a céu aberto e expostos a temperaturas abaixo de zero. Periodicamente os soldades sobre o comando do já então tenente-coronel Shirô Ishi, batiam nos membros dos presos, até perceberem que os mesmos estavam completamente congelados, depois eram levados ao laboratório e tinham seus membros descongelados por técnicas experimentais.

No fim da guerra, todos os complexos da Unidade 731 foram destruídos, seus ocupantes e suas atividades foram mantidas em total sigilo. O serviço de inteligência dos Estados Unidos descobriu as atividades de Ishi e sondou-o para que ele e sua equipe desenvolvessem armas biológicas para os Estados Unidos, mas quando viram que nenhum dos técnicos japoneses entrevistados, sequer considerou as implicações éticas do assunto, resolveram que o grupo dirigido por Ishi havia violado as "normas de guerra", mas ainda levaram em consideração que essa opinião não era suficiente para acusá-los.

Os Estados Unidos fizeram um acordo com Ishi, mantendo todas informações sobre as experiências na mais profunda obscuridade, já que cada prisioneiro que regressava, dava um depoimento mais terrível que o outro. Vendo que um julgamento seria inevitável, todas as informações sobre as experiências e a sondagem pelos Estados Unidos eram encobertas, ou investigadas superficialmente, além do fato de que os prisioneiros de guerra foram coagidos a encobrirem os fatos.

Ishi e sua equipe nunca foram condenados por seus crimes, alguns até se graduaram em diversas áreas médicas. Ishi morreu em 1959 sem mostrar nenhum sinal de arrependimento. Embora muitos relatórios oficias tenham se ornados públicos, os fatos só voltaram a tona, quando em 1989 operários que trabalhavam na ruas de um bairro de Tókio, descobriram um depósito de restos de corpos humanos, corpos esses que foram usados nas experiências da Unidade 731 e logo depois, despejados próximo de onde ficava um dos laboratórios de Shirô Ishi. Em 1993 os relatório sobre as experiências biológicas da Segunda Guerra, finalmente vieram a público.


Em 1988 foi lançado um filme Chinês que falava sobre todos os acontecimentos feitos pela Unidade 731. "Hei Tai Yang 731" mais conhecido como "Men Behind The Sun", teve uma versão nacional com o nome de "Campo 731: Bactérias - A Maldade Humana". As cenas do filme são no mínimo aterradoras. Foram feitas um total de quatro seqüências do filme, narrando todas as atrocidades feitas pela equipe de Ishi. O filme é tão chocante que pode até ser considerado uma espécie de documentário, pois segundo se conta, o diretor do filme não se preocupou em ocultar nada. Reza a lenda que o Governo Chinês autorizou o uso de um cadáver real no filme.
Abaixo segue um trecho do filme que encontrei no YouTube, outras partes do filme podem ser encontradas no mesmo site, mas ressalto mais uma vez: quem não tiver estômago forte, NÃO assista essas cenas.


____________________

Não tenho o intuito de com esse artigo, discriminar nação japonesa, nem seu povo, pois os fatos acima descritos foram feitos por um grupo de degenerados, que apenas visavam seus próprios interesses. Sim, "uma maçã podre pode contaminar toda uma caixa", mas milhares de pessoas não podem ser julgados pelos atos de apenas um único homem.

Espero que possa ter sido bem claro e não ter deixado muitas dúvidas, caso ainda as tenham, procurem e pesquisem na internet mesmo pela Unidade 731, vários sites falam sobre eles, fontes não faltaram, mas quis falar deles, pois sei que muitos devem desconhecer sua existência.

Agradeço a quem conseguiu e se dispôs a ler este artigo até o fim. Obrigado e espero que continuem a nos visitar sempre.

11 comentários:

  1. Terrível.

    O ser humano sempre é capaz de se superar, em tudo.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, não tive coragem de ver o vídeo não, rapaz.

    Mas... li o artigo. Até porque gosto desse tipo de relato histórico, só que é chocante, né...

    Mais ainda lendo isso 1 min antes de ir dormir, mas tudo bem. rs

    Um abraço, meu caro.

    ResponderExcluir
  3. Os japoneses cometeram atrocidades terríveis na segunda guerra. Que o digam os prisioneiros ingleses e australianos. Sem falar nos chineses que eram (e ainda são) cnsiderados sub raça pelos japoneses. Contudo com o plano de ocupação implantadopor MacArthur após a capitulação japonesa em 45, essas atrocidades foram "esquecidas" a bem de um relacionamento amigável com o povo japonês. Milhares de mulheres chinesas foram sequestradas e obrigadas a se prostituírem em bordéis oficiais japoneses. Sem contar o trabalho escravo de crianças e prisioneiros de guerra. Ao serem abraçados pelos EUA, os japoneses ganharam um "indulto" histórico sobre suas atrocidades. Apenas a voz dos sobreviventes ainda podem ser ouvidas. Mas, o tempo, se encarregará de silenciá-las.

    ResponderExcluir
  4. Nossa... E eu que pensei que já tinha visto de tudo nesse mundo.
    A crueldade humana em nome da ciência não tem limites.
    Li o texto, mt bem escrito por sinal, mas confesso que não tive coragme de ver o vídeo.
    Voltarei mais vezes por aqui...
    Bjks

    ResponderExcluir
  5. Nossa cara, tanto os relatos do texto como o pesadi video, mostram que muitos humanos são mais ignorantes e "crueis" do que os animais. Adorei tudo o que li. No meu blog, recentemente, tinha indicado uma biografia do Hitler, e que achei sensacional. Mostra muito dessas loucuras cometidas por seres humanos. Triste demais e revoltante. Parabens por tudo aí e desculpe o atraso.
    Ha, fui obrigado a baixar o video, hehehe, abs!!!!

    ResponderExcluir
  6. Isso é o que chamo de um ócio produtivo!

    Um mergulho na obscura história desse pálido ponto azul.

    Ótimo texto, ótimas reflexões!!!

    ResponderExcluir
  7. Caramba, o vídeo, realmente, é pesado.

    E eu pensei que tinha visto coisa feia antes

    ResponderExcluir
  8. a coisa mais idiota que ja vi...

    naum me chocou em nada...so o jeito que tiraram a pele do braço da garota....kkkkkkk

    me chocou de taum mal feito que fizeram...pessimo...afff

    ResponderExcluir
  9. Goataria de parabenizar os autores por dá acesso a tais fatos históricos e a levar ao conhecimento público tais atrocidades em nome da ciência.

    Parabéns pela matéria.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  10. Material mto bem feita , meus parabéns .

    Vendo o video ...

    Eh , no geral foram coisas absurdamente insanas feitas pelo tal doutor japonês , mas o filme eh horrivel , me refiro a makiagem e tal ...

    Mas a ideologia q o filme passa eh interessante .

    Cenas chocantes .

    Abraço.

    ResponderExcluir
  11. Realmente é muito escroto:

    mais informação sobre o tema em um enfoque da historia da medicina:
    http://clubedaevidencia.blogspot.com/2008/06/unidade-731.html

    Rafael

    ResponderExcluir

Cuidado com sua postura ao comentar:
A responsabilidade pelas opiniões expostas nessa área é de de seus respectivos comentaristas, não necessariamente expressando a opinião da equipe do Pensamentos Equivocados.