Cada país tem a Justiça que merece...

Não vou nem comentar muito, somos definitivamente e a 40 anos o país da impunidade.

Estava discutindo com amigos, quanto maior o crime, menor a condenação. Se eu roubar um frango num supermercado, ficarei o tempo todo da pena preso, 100% dela, sofrendo e comendo o pão que o diabo amassou. Se eu matar mil pessoas e tiver notoriedade, passo uns cinco anos preso. Depois estou livre e podendo enriquecer as custas de quem me acusar de bandido o processando por difamação (afinal de contas, aos olhos de nossa lei terei pago minha dívida com a sociedade).

Existe algo que assassine mais pessoas que uma assinatura?

(E depois ainda vêm falar do porte de armas...)

Em 40 anos, nenhuma ação criminal no STF deu punição
Publicada em 17/06/2007 às 22h17m
Alan Gripp e Carolina Brígido - O Globo


BRASÍLIA - A história recente da mais alta corte do país tem a marca da impunidade. O Supremo Tribunal Federal (STF), responsável pelos julgamentos das maiores autoridades do país, se aproxima da quarta década seguida sem condenar ninguém. Segundo levantamento feito pelo jornal "O Globo" , em processos criminais abertos de 1968 até hoje (período em que há registros disponíveis) foram iniciados pelo menos 137 processos criminais contra deputados, senadores, ministros de Estado e presidente da República. A análise da papelada ajuda a entender por que o tribunal passou até hoje em branco. Há processos que atravessaram uma década e não chegaram ao fim. ( Como acabar com a impunidade no país? Opine! )

A morosidade do Supremo, mergulhado em um mar de ações, leva réus a se livrarem dos processos sem que haja julgamento. Não faltam casos de autoridades beneficiadas pela prescrição dos crimes, ou seja, o fim do prazo que a Justiça tem para dar a sentença. A impunidade é alimentada pelo foro privilegiado, que dá a autoridades o direito de só serem investigadas e processadas no STF. O cenário leva especialistas a dizer que é quase impossível um processo criminal chegar ao fim. ( Leia artigo de leitor: Um grito contra a impunidade! )

— O quadro é preocupante, não há nem condenação nem absolvição. O Supremo, assim como os demais tribunais superiores, não foi estruturado para produzir provas, ouvir testemunhas e conduzir processos — diz o presidente da Associação dos Magistrados do Brasil (AMB), Rodrigo Collaço.

O levantamento do "Globo" dos processos criminais só considera as ações movidas pelo Ministério Público Federal e exclui aquelas relacionadas a crimes de opinião, como injúria difamação e calúnia, e os chamado delitos leves, como desacato. Entre os processos que tramitaram no STF, há de tudo: acusações de desvio de verbas, evasão de divisas, corrupção e até homicídios e um caso de seqüestro. ( Leia a íntegra da reportagem no Globo Digital )
Brasil pune apenas 7% dos crimes de colarinho branco

Os escândalos de corrupção pipocavam quando uma nova lei surgia como tábua de salvação. A partir de 1992, ano do impeachment de Fernando Collor de Mello, todo agente público flagrado recebendo propina, desviando recursos ou enriquecendo à custa desses crimes estaria sujeito a penas mais duras e responderia por isso na Justiça comum. Sem privilégios. Passados 15 anos, a Lei de Improbidade Administrativa debuta deixando as promessas para trás e se consolidando como a mais nova marca da impunidade no país.

Embora não haja estatísticas oficiais, um cruzamento de dados inédito revela que menos de 7% das autoridades processadas por improbidade administrativa foram condenadas - quase sempre políticos de pouca expressão. Desde 1992, foram movidas cerca de 14 mil ações desse tipo em todo o país, a grande maioria ainda sem decisão final. O resultado foi a condenação de pelo menos 1.035 agentes públicos, hoje com seus direitos políticos suspensos. O número de punições consta da última atualização do banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), feita sexta-feira.

Fonte: O Globo

7 comentários:

  1. Isso só mostra o quanto nosso judiciário necessita de uma reforma, não só de pessoal, mas sim moral, urgente.

    ResponderExcluir
  2. ah para, todo mundo aqui sabe...só eles q fingem q não veem, eu acho q brailia é em outro mundo, pq não é possivel, ah para, la deve ter alguma praga q quando alguem chega no palacio fica doente por dinheiros e escandalos e tudo mais, e q se foda todo mundo...acho q o brasil deveria ser mais bem cuidado, poxa, nós temos tudo pra crescer, só precisamos de alguem q administre bem esse pais com tantas qualidades

    bjus
    se cuida

    ResponderExcluir
  3. O quadro da impunidade nacional é pintado com sangue, suor e lágrimas de nosso povo. No entanto, cada vez entendo menos nossa gente. Critam, reclamam, esperneiam; mas, na hora de demonstrar sua indignação contra o que anda aí, vemos Malufs e Collors obtendo votações esmagadoras. Isse só dá mais força a máxima de que "Povo inculto e ignorante é facilmente manipulado".

    ResponderExcluir
  4. Essas maravilhosas operecaos que a PF faz e que a tv e os jornais adoram mostrar, mas esquecem esse outro lado o depois, que ninguem vai preso, um absurdo, otimo post

    ResponderExcluir
  5. Ah, qual é, isso é minoria, pro cara conseguir arrastar tanto um processo assim tem que ter muita grana e todos sabem que quem tem muita grana no Brasil é uma minoria =(

    ResponderExcluir
  6. Impunidade está virando sinônimo de Brasil. É triste mas é verdade!


    Abraços

    ResponderExcluir
  7. Brasil e Impunidade caminham eternamente juntos.

    ê laiá...

    abraços!

    ResponderExcluir

Cuidado com sua postura ao comentar:
A responsabilidade pelas opiniões expostas nessa área é de de seus respectivos comentaristas, não necessariamente expressando a opinião da equipe do Pensamentos Equivocados.