Resenha musical: Nightwish - Dark Passion Play

Olá povo!


Hoje venho em primeira mão dar-lhes uma análise do novo álbum da banda finlandesa "Nightwish", intitulado de "Dark Passion Play".
A banda que estreou em 1996 com o álbum "Algen Fall First", trazia nos vocais a cantora lírica Tarja Turenem, o que por si só já chamava a atenção, pois nenhuma banda havia se aventurado a por uma verdadeira cantora lírica a frente de suas músicas, salvo algumas exceções que não passavam de meras participações.

Depois de cinco trabalhos de estúdio, depois de muitas atribulações, finalmente sai o sexto e talvez um dos mais aguardados trabalhos da banda, tudo por conta da saída da vocalista Traja Turenem em meio a muita confusão e um mar de boatos.

Para o seu lugar foi escalada a cantora Anette Olzon (direita). Quando seu nome foi anunciado, muito se expeculou sobre como seria o estilo dela, se teria o mesmo timbre de tarja e tudo mais. Veio então o primeiro single do novo álbum:"Eva", que logo mostrava que o estilo dela era muito diferente do de Tarja, mostrando uma voz mais feminina, mas aveludada, sem tentar usar o timbres líricos que antes eram a marca registrada da banda.



Falando do novo álbum em si ele inicia com a longa "The Poet And The Pendulum" (com 13:52 min. de duração). A música pode muito bem ser dívida em três partes bem distintas, parecendo na verdade três músicas diferentes, o que dá estranha sensação para o ouvinte quem não está acostumado a esse tipo de mudança, nem com músicas longas. No geral é uma faixa que alterna momentos rápidos, com momentos calmos.
A segunda faixa "Bye Bye Beautiful", já é mais direta, com 4:14min de duração é levada por uma base de bateria e baixo, na primeira parte enquanto cantada por Anette, quando entra a voz de Marco Tapani Hietala a guitarra entra tornando a música mais agitada. Essa é uma das mais agitadas músicas do álbum e talvez uma das mais empolgantes.
A seguinte a semi-balada "Amaranth", um faixa de andamento moderado, bem cadenciada e mantendo quase sempre o mesmo andamento, base baixo-bateria-guitarra, durante o refrão todos os instrumentos entram em ação e a música da uma leve acelerada, mas nada brusco. Há até uma citação à Branca de Neve na música.
"Cadence Of Her Last Breath" é um pouco mais agitada que sua antecessora e um pouco mais elaborada. Começa com o som de uma respiração ofegante, seguida por um riff de guitarra pesado e dos teclado de Tuomas Holopainen. Mas atenção, quando falo em "riff pesado" não tome o "Sepultura" como base, mas sim a própria banda. É também a faixa que tem uma das letras mais bem elaboradas. O instrumental também é um dos melhores, contando até com um solo de guitarra, algo não muito comum para o estilo musical da banda ( uma mistura de Metal Gótico com um tal de Doom Metal, que até hoje não seu definir direito, há uma nota na Wikipédia sobre o Doom Metal, que não vou colocar aqui por discordar de uma coisa que é dito lá).
A seguinte "Master Passion Greed" é toda cantanda por Marco, bem mais pesada e veloz do que as anteriores é a faixa que mostra uma banda um tanto diferente do que costumava ser feito nos trabalhos anteriores.
A mudança de clima de "Master Passion Greed" para "Eva", e tão sutil quanto um chute no saco, pois tratam-se de músicas completamente opostas, pois enquanto uma é pesada e rápida, a outra é bem mais calma, lenta e cadenciada, com os belos vocais de Anette. Reza a lenda que está faixa teria sido uma espécie de "homenagem de despedida" de Tuomas para Traja.
"Sahara" é seja um típico exemplo do tal "Doom Metal", lenta pesadinha e um tanto arrastada as vezes, como na definição mais popular do termo, embora ainda ache que o tal "Doom Metal" não seja caracterizado apenas por isso.
"Whoever Brings The Night" é mais uma que começa com um riff pesado, andamento acelerado, vocal meio arrastado no inicio, mas que vai se soltando no decorrer da música.
A próxima é uma baladinha bem ao estilo de muitas que a banda já fez. "For The Heart I Once Had" é daquelas músicas melosas, grudentas que não saem fácil da cabeça, nem que você ouça aquela pancadaria violenta logo em seguida. Anette aqui muitas vezes canta como uma menininha, deixando um tom bem meigo para a música, certamente seria um sucesso nas rádios.
Agora é a vez da acústica "The Islander", que começa com um som de chuva e de um tambor meio tribal, seguido depois de uma flauta e um violão. Essa também é cantanda por Marco que desta vez faz um vocal mais limpo e sem "berraria". Perfeita para se escutar e relaxar.
A instrumental "Last Of The Wilds", bem poderia figurar em alguma trilha de filme sobre alguma tribo medieval, tipo um "Coração Valente" da vida.
a introdução de bateria seguida por elementos orquestrais de "7 Days To Wolves", já da uma prévia do que será a música. Agitada, pesada, Anette e Marco dividem os vocais nessa faixa, que segue em seus pouco mais de sete minutos muito bem aproveitados.
Para encerrar o álbum "Meadows Of Heaven", outra balada bem bonita e com cara de música de encerramento de filme. Lenta e arrastada, com momentos que lembram aquelas canções gospel, é um belo encerramento para um álbum que em nada deve para seus anteriores.

Depois de ouvir o álbum pode se concluir que: não há como comparar os estilos de Traja com o de Anette (coisa que muitos vão querer fazer), muito provavelmente os fãs mais xiitas da banda vão cair matando dizendo que tinham que ter escolhido alguém que fosse a cópia vocal de Tarja, mas na minha opinião isso só ia atrapalhar a banda. A escolha de Anette a tomar por esse trabalho, não pareceu ser mais acertada. Para quem é fã da banda, para quem curte o estilo vale a pena conferir. Na minha opinião vale uma nota 8.

O álbum tem seu lançamento previsto para 28 de setembro, sendo isso lá fora, aqui no Brasil ainda não há previsão de lançamento, mas como a banda fez sucesso por aqui com seu último álbum e os shows lotaram, com certeza deve ser lançado logo em seguida ao lançamento oficial. E ficamos também na espectátiva agora para ver como os vocais de Anette soam ao vivo, pois em estúdio estão aprovados!

É isso meu povo, espero que tenham gostado da minha tentativa de resenha. Até a próxima!

Site oficial da banda: http://www.nightwish.com/

9 comentários:

  1. eu amo nightwish
    otima banda :)
    parabéns
    bom blog

    ResponderExcluir
  2. Cara não conheço a Banda, mas vou tentar baixar uma música deles para poder ter meu parecer.

    0/

    ResponderExcluir
  3. A ex-vocalista era muito boa, pelo q li ela saiu por um motivo tão besta q dá dó. Vou baixar essa musica, q vc citou 1º. Vamos ver como é q ficou o novo Nightwish...abs!!!

    ResponderExcluir
  4. Sou mais curiosa de música do que entendida, mas conheça a banda e acho o som bem marcante! Ótimo texto!

    ResponderExcluir
  5. Um bom texto, fiquei curioso, vou baixar essas musicas...

    ResponderExcluir
  6. Me cheira a um novo evanescence...

    Pena, o criador copiar a criatura.

    ResponderExcluir
  7. lol e ires ao medico n??? se ouvires o cd vais ver k n tem nada a ver com evanescence...lol realmente leio cada merda

    ResponderExcluir
  8. Ainda ñ ouvi tds as faxas d Dark Passion, mas pelo k ouvi este novo album fica muito atras dos 5 anteriores, muito culpa da nova vocalista!

    ResponderExcluir
  9. pelo q eu ouvi em Eva a banda naum tah parecendo com evanescence...eu achei q a voz dessa nova vocalista ta parecendo com a voz da Sharon den Adel (vocal do within temptation)
    soh q, obviamente com menor qualidade... enfim... vou escutar o cd todo para ver o q vou pensar depois... mais acho q naum vou mudar d ideia... lembrando q naum to comparando nenhuma das bandas... as duas tem boua qualidade... mais o nightwish q eu conheço desde "angels fall first" ultimamente está me decepcionando...
    \o/

    ResponderExcluir

Cuidado com sua postura ao comentar:
A responsabilidade pelas opiniões expostas nessa área é de de seus respectivos comentaristas, não necessariamente expressando a opinião da equipe do Pensamentos Equivocados.