Justiça proíbe doentes terminais de morrer.


Saiu uma interpretação nova por parte dos juízes (que na minha opinião estão se sentindo deuses capazes de decidir sobre tudo) e decidiram por fim a uma prática que os médicos consideram "a menor das dores", a ortotanasia. Ortotanasia é um procedimento no qual os médicos vão suspendendo gradativamente medicamentos e suporte autômato em doentes terminais, deixando que morram de forma natural e poupando do sofrimento parentes e diminuindo conseqüentemente gastos hospitalares.

Tal procedimento havia sido aceito pelo CFM (Conselho Federal de Medicina), mas o STF compreende que tal prática é o mesmo que eutanásia, e coloca de agora em diante os médicos que realizarem tal coisa cabíveis de serem processados como homicidas. Obviamente essa decisão vai de encontro com o que os médicos dizem, mas os juízes interpretaram o artigo de lei, o 121, do código penal dessa forma, a não ser que o parlamento opte por tornar a ortotanasia uma prática legalizada.

O mesmo parlamento que legisla em causa própria, que tem donos de clínicas entre seus protegidos, que não caçou Renan Calheiros, que fez uma constituição que solta os condenados e prende os inocentes em casa, que é capaz de votar e discutir impostos com uma velocidade absurda mas é incapaz de votar uma lei de iniciativa popular que reduza a impunidade.

Será que esse parlamento se incomoda com o sofrimento das pessoas? das famílias? Óbvio que não.

Mesmo porque de certa forma, já fui vítima disso que a Justiça transformou em regra...

Já tive problemas com determinados hospitais que tem por hábito da o golpe do morto-vivo. Consiste em pegar doentes em estado terminal (em grosso modo, pessoas com o pé na cova) ou de morte cerebral e mantê-los vivos apenas para prolongar os custos de internação e aumentar a quantidade de diárias. Depois, quando a família começa a incomodar ou fica insuportável manter a pessoa "viva", deixam as coisas fluírem e fecham a conta. Ou o corpo não sai do hospital.

Desse modo pode-se alongar por semanas um dos direitos mais básicos do ser humano: morrer. Perdem nesse processo tanto a família quanto os planos de saúde, pois passam a ter que arcar com os custos absurdos das diárias e sofrer por semanas sem poder enterrar alguém que está presente apenas debaixo de tubos. Obviamente os hospitais nada perdem nesse processo, pois alguém sempre paga a conta.

As famílias perdem em dobro, pois têm que encarar a dor da perda e depois com a vergonha de sequer poderem dar fim ao sofrimento sem que ou os aparelhos se tornem ineficazes ou algum médico tenha um resquício de piedade (alguns o tem, mas a direção obviamente denuncia quem quebra o esquema) e dê fim ao sofrimento mútuo.

Por sinal, dependendo do plano de saúde, do contrato e da quantidade de dias internado, geralmente quem paga isso tudo é a família. É um negócio altamente rentável, manter os mortos tecnicamente vivos, e pouca gente sabe disso ou mesmo consegue pensar que passou por esse golpe nessas horas, afinal de contas, enquanto o coração bate, há esperança.

Não vou dizer exatamente o que aconteceu, porque afetou uma pessoa próxima e não vêm ao caso falar exatamente tudo, mas como essa pessoa próxima era um médico, ele diagnosticou a morte e o crime e posteriormente processou o hospital. Pois quando ele viu que seu ente havia falecido, o hospital insistiu no milagre mais alguns dias e depois quando a pessoa faleceu só quiseram liberar o corpo com a conta paga. Como disse, processou e ganhou, mas só percebeu o golpe porque era médico. Imagina quantas pessoas e planos de saúde não levam esse golpe?

E agora, todas as clínicas poderão fazer esse negócio sujo com o amparo da nossa justiça... E viva ao país da Impunidade.

Com certeza algum juíz é amigo de dono de clínica...

Fonte: O Globo

18 comentários:

  1. Só pode ser piada isso. Quem fez essa lei e quem a aprovou deve ser dono de clínica, não é possível.

    ResponderExcluir
  2. Não me espanto com mais nada que acontece no Brasil... é tanta putaria que a gente acaba acostumando (o que tbm. é uma putaria do caramba, mas é a realidade).

    ResponderExcluir
  3. Esse assunto é um tanto polêmico,tem seus prós e contras,mas não deixa de ser um absurdo,mas como já disseram,do Brasil,eu não espero menos que isso¬¬

    ResponderExcluir
  4. Hoje em dia não dá mais para se surpreender com nada, tem cada absurdo por ai...eu sou a favor de poder tirar remédios dos pacientes, diminui o sofrimento da familia, mas principalmente do paciente...mas como eu nao posso mudar o jeito é aceitar e cumprir a lei

    ResponderExcluir
  5. Já não me surpreendo mais com que acontece aqui, corrupção,crise aéria,desigualdade social, preconceito,violência,etc.Muito triste o que acontece em nosso país,tem hora que tenho vergonha de viver nele..

    ResponderExcluir
  6. È incrivel tanta lei boa pra ser decidida e eles inventam essas coisas.
    Aproveitandu obrigada por passar no blog...e Parabens, pelo aniver junto ao dia Mundial do macarrão. :-)
    bjus.
    Inté mais.

    ResponderExcluir
  7. Absurdo! Eita meu Brasil, infelizmente injusto!

    ResponderExcluir
  8. Não se pode nem morrer mais.

    Daqui a pouco eles cobrar taixas pro ar respirado, pra luz do sol recebida...

    Eu gostaria de ser médico, mas nos últimos anos eu começo a pensa que talvez seja uma má idéia.

    ResponderExcluir
  9. Essa justiça brasileira só faz merda mesmo! prefere o cara sofrer do que dá a chance de ter a sua morte "tranquila".

    Tenha um bom sábado,
    Abraço

    http://autoswallpaper.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Isso é deprimente !!!
    Sinceramente, eu nao uso nem mais aquela frase " aonde é que nós vamos parar ... " pq com toda a revolta que existe em mim eu digo que aonde nós vamos parar eu não quero ver, porque o fim do poço já esta chegando, mas eles são capazes de cavar ainda um pouco mais ...
    Isso é um absurdo, se viver em paz já nao se tinha mais direito, agora perdemos o direito até de morrer em paz !
    Pensar que isso so pode ser uma brincadeira é fato, porem na verdade sabemos que isso é uma brincadeira nao de faz de contas, mas real !!!!

    Totalmente horrenda essa coisa que chamam de justiça !

    ResponderExcluir
  11. Isso é completamente ridiculo.
    Já brincam com nossa vida e não nos deixam nem mesmo viver, agora perdemos o direito de morrer?
    Sinceramente, deprimente isso que nesse país é chamado de justiça!

    ResponderExcluir
  12. Cruzes! Daqui a pouco, vamos perder o direito de respirar também!

    ResponderExcluir
  13. ah nem acredito! que absurdo ow
    nao se pode nem morrer em paz!

    ResponderExcluir
  14. Dragus, o problema não está no Supremo, mas no legislativo. O Supremo tem que se fazer cumprir a lei, não podendo legislar por punho próprio, tal função está nas mãos do nosso Congresso Nacional.

    Concordo contigo que o nosso Legislativo não está nem aí pro povo, muito menos com os seus problemas. Mas o Supremo tem o Dever de seguir as leis, logo não poderia fazer muito sobre o assunto.

    Mas também convenhamos, esse Acórdão pode ser alterado a qualquer momento, portanto, ficamos na esperança de que alguém faça algo para que os parentes possam decidir sobre a vida ou a morte de um corpo inerte que não viveria sem a ajuda de aparelhos.

    Abraços

    ResponderExcluir
  15. hunf Parabéns Brasil!

    Todo mundo tem direito de morrer!

    ResponderExcluir
  16. putz , mas desse pais não espero mais nada , aqui nunca se pune quem merece ...

    ResponderExcluir
  17. como muita gente já disse:
    vindo do Brasil... nada me surpreende

    ResponderExcluir

Cuidado com sua postura ao comentar:
A responsabilidade pelas opiniões expostas nessa área é de de seus respectivos comentaristas, não necessariamente expressando a opinião da equipe do Pensamentos Equivocados.