Favelização: Solução e Utopia. - Parte 2

No último post sobre o assunto, argumentei a respeito do que penso sobre favelas e do que pensa a lei a seu respeito, o que de certa forma serve de justificativa legal para a truculência não-justificada (um certo paradoxo, diga-se de passagem) na relação entre os três poderes, que são:
- O poder legalizado (País, Estado, Município, etc);
- O poder local (povo que habita, associações, etc);
- O poder que realmente manda (tráfico, milícias, bandidos, etc).

Agora para poder falar um pouco sobre como solucionar o problema das favelas, no meu ponto de vista, e provavelmente no de muitos (excetuando-se na lista os que se beneficiam com isso, como políticos, televisão, ONGs, polícia e moradores - todos na categoria corruptos) temos que primeiro focar nosso pensamento.

Foi uma coisa que aprendi na faculdade com alguns professores, se você quer procurar uma solução você primeiro precisa focar ela. Obviamente existem para cada solução pelo menos um problema que a invalida ou a torna no mínimo estranha. Por exemplo, o ser humano vivia em cavernas e passou a viver em casas, para isso precisou aprender a construir. Quando aprendeu a contruir precisou aprender a gerar a matéria-prima da construção e por aí vai. Se for pensar apenas no lado "ruim" da coisa, melhor nem começar a pensar, por isso, vou me focar apenas em propor a solução, no final da série de postagens eu mesmo vou me contra-argumentar com os "contras" do que proponho.

Para solucionarmos o problema das favelas primeiro precisamos entender como surgem. Com base no que vi e vejo acontecer durante meus poucos vinte e seis anos de vida, onde vi favelas nascerem do nada, pude constatar que existe um modo de nascimento-evolução-consolidação de uma favela que é igual, só variando o cenário em torno de algo abandonado (que pode ser uma encosta, uma fábrica abandonada, área vazia, enfim, um monte de lugar), ou que ao menos aparente, a figura abaixo exemplifica uma dos tipos:

Agora, explico cada um dos pontos:
1- Esse é o início de qualquer favela. Uma favela não nasce em terreno ocupado ou construído com fiscalização do dono, ele surge em um lugar abandonado por qualquer problema (como terrenos que se perdem em inventários infinitos ou tomados e abandonados pelo estado), ou em final de rua naquele ponto que dá comunicação com uma enorme área livre. Mas sempre próximo da rua e, preferencialmente, do trabalho.
2- O primeiro habitante se instala. Inicialmente é apenas um barraco pequeno, sem importância, com pessoas que raramente aparecem durante o dia porque estão trabalhando ou fazendo alguma atividade. Depois de alguns meses outros começam a ver naquele local uma possibilidade.
3- Pronto! Já surgiram novos moradores e os primeiros sinais da ocupação aparecem. Se for uma área verde, o verde começa a dar seus primeiros "adeus", pois está sendo sistematicamente substituído por moradias irregulares. É nessa etapa da favelização em que costumam acontecer mais acidentes e desmoronamentos em épocas de chuva (pois o ambiente não foi completamente coberto por cimento ou algo do tipo).
4- A favela está feita. Já existe um comando ativo e eficiente (seja ele na face de alguma ONG, uma milícia ou mesmo uma facção de traficantes) que dá ordens. Coloquei a vala para representar a ausência do poder público, onde os moradores usufruem de gatos mas não há uma preocupação (mesmo porque é impossível haver) com a qualidade ou mesmo com incidentes que possam ocorrer em virtude de gatos, valas, etc.

Agora, que coloquei como nasce uma favela, existem motivos históricos, sociais e uma série de outros com os quais não vou perder tempo e linhas, demoraria muito e seria fora do contexto (existem outras oportunidades para isso). Começo direto com a primeira solução, no próximo post coloco a outra, a mais complicada, para evitar um post muito longo.

Não entro em detalhes, como disse, são apenas propostas a grosso modo de combater sem prejudicar seres humanos, pois se baseia no fato de "se não existe como, não tem como ter.", apenas isso... Seguem as utopias. Em nenhuma dessas propostas proponho expulsão, pois considero a hipótese do terreno vazio e não dele com habitantes. Mas prevejo o caso em cada uma.

Utopia 1.0 - Impedir o Nascimento da Favela:
Uma favela surge em um terreno abandonado. A solução é simples, basta ocupá-lo. Existem muitos terrenos abandonados que precisam esperar cinco anos para que o Governo tome alguma providência. Em cinco anos uma favela nasce e se torna impossível construir algo. A solução é tornar o processo de desapropriação de terrenos abandonados mais rápido e permitir que Estados e Municípios possam utilizar os espaços para a construção de bens públicos. Ou mesmo alugar esse terreno para a iniciativa privada construir um condomínio, um shopping ou até mesmo murar e transformar em reserva, mas nesse caso existe uma solução melhor...

Utopia 1.1 - Cercar Áreas Verdes com Condomínios ou Muralhas/Acabar com ruas que dão para o mato.
Ao invés de abandonar encostas dentro das cidades e ver aos poucos pequenas comunidades pipocarem, cerca-se a região com prédios. Se não tiver como entrar, não tem como construir. Exemplo de lugar que até hoje sofre pouco com a favelização por esse motivo é a Lagoa, onde os morros são cercados de condomínios e as ruas não levam a entradas, ao menos não levavam. Hoje em dia já existe favela na lagoa.

Se existe uma rua, com ladeira e no final dela comunicação com o mato em forma de pracinha, remove-se a praça e constrói-se um condomínio. Isso impede que utilizem o espaço para construir as primeiras moradias e depois tudo evolua. Esse tipo de situação ocorreu muito no Rio de Janeiro por causa das muitas pracinhas que temos em final de ruas que levam até a floresta da Tijuca, por exemplo.

Havendo em ambas as utopias habitantes em número que possam habitar imóveis construídos, faz-se uma retirada ou um acampamento dentro do próprio sítio de obras para que sendo essas concluídas recebam seus apartamentos e seus títulos de propriedade, ao invés do que acontece em outros processos similares, onde os moradores são removidos e mandados para onde judas perdeu as meias (pois as botas ficaram antes). Se ultrapassar a quantidade, refaz-se o projeto visando a acomodação de todos.

Impostos, contas e tudo mais, ficam para o próximo post...


Agora que já me xingou, provavelmente me julgando um tirano ou algo assim, como alguns vão julgar, não pense em tudo que há por trás do nascimento da favela, pois eu mesmo sei que existem zilhões de motivos para favelas existirem, mas o que proponho aqui é uma utopia por vez, posso citar então uma outra utopia que também diminuiria consideravelmente a favelização:

(No próximo post colocarei mais uma, que provavelmente será maior que essa...)

A Maior das Utopias - Investir no transporte público.
Favelas existem para aproximar o trabalhador pobre do seu lugar de trabalho, não para afastá-lo. Os primeiros moradores não escolheram morar na encosta do morro porque era seguro e legal, tendo opções em bairros mais distantes, escolheram porque o patrão não aceita esperar mais de meia hora pelo funcionário. E o funcionário não tem como chegar em meia hora porque o sistema de transporte quando o onera demais, é lento.

(Transporte público, foto aleatória do Google)

Um patrão de Copacabana dificilmente contrata alguém que não more perto ou com apenas um metrô de tempo. Não contrata. E no desespero, ou o cara se submete a morar no morro ou consegue uma casa no caminho do metrô. Pagar vale-transporte é caro e o transporte público das cidades deixou há muito tempo de ser transporte de massas e virou transporte de escravos. Desempregados não conseguem viajar de um lado a outro da cidade, o preço impede até mesmo simples passeios. Sendo essa uma das causas principais da favelização a necessidade de mão de obra barata e que more perto.

No próximo post, que não será agora, pois darei um tempo no assunto (pois preciso desanuviar a cabeça), trato de soluções envolvendo favelas consolidadas e propostas de urbanização real e não apenas pintura+proteção de encosta, como acontece em programas de governo... Abraços.
_o/

22 comentários:

  1. nao sei se vc mora no rio, mas aqui deveriam investir muito mais no transporte ferroviario e no metro, mas demora anos pra construir uma nova estação de metro, e a supervia esta sucateada

    acho a ideia do pac boa, mas nao acredito q va funcionar, pq...bom, aqui eh brasil

    ResponderExcluir
  2. Olá...
    Fala ai Dragus...
    Discutir Moradia no século XXI é problema... Super população, abandono do Estado, Cidades crescendo sem planejamento...
    Seu texto é interessante para o debate, mas não observo soluções a curto prazo, o caos está implantado e também não tenho soluções praticas para o assunto...
    Vou ler a Parte 1...
    Abraços
    Everaldo Ygor
    http://outrasandancas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. A maior utopia e a única causa da favelização e:

    A prefeitura cumprir seu papel e fiscalizar as áreas e terrenos. Ao detectar-se uma invasão, desocupar-se a área. Infelizmente, a busca por votos e a conseqüente vantagem de posar de bom moço, faz com que as favelas se consolidem e aí; já é tarde.

    O que falta mesmo é vergonha na cara.

    ResponderExcluir
  4. HAHAHAHA a morena é maluca rapaz...

    Cara, o Governo não sabe nem ao certo quais são as suas propiedades, quem dirá saber o que está ou não abandonado. A verdade é que por mais tímido que seja um início de ocupação ele sempre é visível. Cortar ali no nascedouro, é algo que nem sequer passa pela cabeça dos governantes.

    O engraçado é que eles estão agindo para tirar o mais rápido possível a discoteca Help da atlântica e ali colocar o Museu da Imagem e do som. Claro que é degradante o prostíbulo praiano, mas seria bom se essa vontade de desocupar se estendesse para as as favelas nascentes.

    ResponderExcluir
  5. A pergunta que não quer calar é para onde iram os favelados???
    É uma utopia mesmo a resolução de um problema que ja vem de´décadas!!

    Bjs

    ResponderExcluir
  6. ahahahaah.... muito complicado seu blog pra mim... procuro na discutir sobre esses assuntos de pobreza... mendigos, sem terras, favelados... mas adorei o modo de como se constroi uma favela...
    e sobre o filme de tropa de elite, nao assisti pq nao gosto desses tipos de coisas, só procuro ajudar quem realmente precisa...

    ResponderExcluir
  7. ok! vou tentar de novo, mas nao estou conseguindo comentar...
    nao gosto muito sobre esses assuntos que indique pobreza, favelas, sem terras, mendigos e outros. o filme tropa de elite, nao assisti por ser um desses topicos. mas, procuro ajudar sempre que posso, mas para quem realmente precisa, damos roupas, cestas basicas...
    vamos ver se agora vai.... ahahahahaha, mas antes vou copiar... imagine qnt tempo estou para comentar no seu blog... ahahahaha....
    agora vai, agora vai

    ResponderExcluir
  8. Ótimo blog!!! Parabéns!!! É difícil ver idéias assim, tão bem colocadas, com uma ideologia definida e segmentada.
    Adorei!

    ResponderExcluir
  9. O que eu quis dizer é que estava estudando muito e mesmo assim achei tempo para escrever uma poesia, e em epoca de vestibular todo o tempo é sagrado!!

    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Dragus, vc fez um post arrasador, muito bom mesmo! Tenho um livro: "Pensando as Favelas do Rio de Janeiro" que faz um estudo bibliográfico sobre tudo relacionado à favela. ACho que apreciaria bastante.

    Enfim, colocarei seu blog no meu favoritos caso não me responda e eu ñ tenha como voltar aqui, rs. Parabéns pelo post, abraço!!!

    :)

    ResponderExcluir
  11. É um tema verdadeiramente difícil! Na China, eles preferem proibir o êxodo rural. Aqui, dá-lhe Cingapura e favelas! É um problema grande e soluções precisam ser pensadas, bem como idéias, colocadas. Como é bem feito aqui.

    Abraço!
    http://pordentrodomundodabola.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Eu moro na Ladeira dos Tabajaras, em Copacabana desde que nasci. Em um estudo recente foi constatado que o "Taba" foi a terceira favela que mais cresceu em um período de tempo.

    Pra começar a prefeitura não pode deixar que uma favela se crie.

    E mais importante de tudo. O metrô deve ser expandido para os três cantos da Cidade Maravilhosa. É um absurdo alguém passar 3 ou 4 horas /dia se deslocando para o trabalho.

    até.

    ResponderExcluir
  13. Essas pessoas que se mudam para favelas, se mudam apenas por casua do emprego? Deixam casas melhores, com situação melhor, sujeitas a tudo apenas para estar próximas aos seus locais de trabalho? Ou nunca tiveram casa e se obrigaram a estar ali. FAvela é uma coisa complicada envolve vários aspectos.
    Mas concordo basicamente com algumas da utopias, principalmente na que se refere a impedir o nascimento de novas favelas.

    ResponderExcluir
  14. Deixam sim, Camila.

    Conheço gente nessa situação, que prefere morar num barraco a 1km de casa do que em uma casa nos cafundós dos judas, e nem porque seja ruim, mas porque para quem contrata é caro, como disse no texto. Conheço gente, e fui uma delas, que precisa mentir o endereço pra trabalhar, e só porque mora em uma ilha. =/

    Ademais, conforme disse no texto, é uma situação muito complexa para colocar em blog, por isso optei por usar menos referências e simplificar um pouco, para evitar serem posts longos demais e onde cuja mensagem se perde no final das contas. =p

    ResponderExcluir
  15. "Não existe o dito "favelado" que não seja de certo modo criminoso."

    Desculpe meu brother, morei 15 anos numa favela, meus pais ainda moram lá (na maior da américa latina por sinal) e não somos nenhum pouco atraído pelo crime...

    Não curti seu texto mas compreendo sua visão que é a mesma de quem vê a favela do lado de fora.

    Te convido a passar um mês apenas dentro de uma favela, vivendo aquilo tudo que acontece lá dentro que talvez vc não tenha muita noção, aí sim espero um texto que visa não só urbanização mas também humanidade.

    Espero que veja com bons olhos minha crítica.

    Bons escritos geram isso, críticas e elogios...

    Forte abraço!

    ResponderExcluir
  16. Sobre o surgimento de favelas, aqui em são paulo por exemplo o principal problema se dá por conta dos inúmeros terrenos abandonados, mas que tem dono. Daí favela cresce, dono briga e é o meior estardalhaço até o dono, geralmente empresário e com bastante grana ir lá, derrubar tudo e mandar todo mundo pra albergue, o que é absurdo pq são famílias, não são moradores de rua.

    Então acho que o governo deveria se colocar a frente desse tipo de problema intervindo a partir de construções de moradia popular, porque muito se faz hoje em dia por iniciativa própria das pessoas, e pouco é feito pelo governo, e isso tambpem é assunto dele.

    ResponderExcluir
  17. Estou propondo uma troca de feeds com tds os parceiros do meu blog, pois só deixei os que realmente leio.
    Portanto vim até aqui para pedir o link do teu feed [se vc usar], pois gostaria de participar de tds as suas atualizações, possíveis.

    Peço que, caso não tenha me adicionado no msn, me adicione:

    bpereiralima@hotmail.com

    Lá poderemos discutir melhor essa idéia.

    Caso não conheça, confira a comunidade do Reflexões no Orkut e entre, se quiser:

    http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=42970688

    Grande Abraço, aguardo respostas!

    ResponderExcluir
  18. Aqui no Paraná não temos as favelas estrondosas existentes em São Paulo e Rio de Janeiro (graças a Deus), mas tmeos bairros bem ruins também e sinceramente é tudo precario, não sei por que o governo nao investi em moradias, falo de moradias descentes e não barracos feitos de papelão e lata, por que ir embora eles não vao mesmo... então o jeito é construir um lugar melhor.
    Pelo a aparencia fica mais bonita.

    ResponderExcluir
  19. Olá amigo Drago.......
    Cheguei por aki e deparei com um mega probloma das metropoles brazileira , precisamente no RJ.
    Há quatro anos atrás tínhamos uma casa na barra da tijuca no condomínio Itanhangá . Próximo ao campo de golfe.
    Ali surgiu uma favela gigantesca um verdadeiro bairro...
    Nossa casa estava avaliada na época (2004) em R$ 1.000500.000,00 .
    Com o advento da favela p valor caiu para R$1000,000.000.00.
    Quando meu pai faleceu vendi tudo que não interessava como imóvel.
    Esta casa foi colocada a venda.
    Já estava com o preço no mercado de 850.000,00 foi por quanto consegui vender...
    Em 2007 minha ex-vizinha Camila Amado conseguiu vender a casa dela ,por 450.000 , para um bicheiro...
    E ficou feliz porque ninguém queria .....
    Este exemplo é uma das tragédias causada pela proliferação das favelas.

    Já por outro lado os terrenos abandonados que você citou.
    É na realidade utilizado por grileiros, na exploração do povo carente que sonha em ter um teto sob suas cabeças.....
    Só que quando estas comunidades se firmam. Surge o trafico de drogas para proteger o cidadão favelado.
    Oferecendo tudo que as instituições governamentais negligenciam, apadrinham a comunidade e tornado seus filhos em soldados do crime.......

    Na minha opinião, a solução para as favelas, não é utopia .
    Resume-se em duas coisas simples: EDCAÇÂO E SAUDE...
    Um país doente e sem cultura só pode mesmo virar terra de ninguém ou uma imensa favela.


    []s do amigo Lukkas

    ResponderExcluir
  20. Olá,

    Faz um tempinho que estive aqui, e deixa eu te avisar: tem uma - ou duas - favelas se formando aqui... Bom, creio que foi por falta de vigilância do espaço. Isso segundo suas utopias, que verdadeiramente, nem tão distantes de um topo assim. É por aí que se começa a encontrar soluções práticas para qualquer problema. Em parte, e em grande parte, concordo com o que você postula. De mais a mais, também é lei, e está no papel, que todos têm direito a moradia nesse país. O que coloca os favelados diante de uma dicotomia legal. O que não conseguiram legalmente, pleiteiam ilegalmente. E isso acabamos fazendo com segurança, saúde e por aí vai. Gostei de suas análises, estarei aguardando a próxima. Para não perder acabo subscrevê-lo. Abraços!

    ResponderExcluir
  21. Olá Dragur,

    Moro em Brasília há 16 anos, e preocupo-me extremamente com a situação social do nosso país. Concordo em partes com suas utopias, porém você esqueceu de citar no seu texto o problema que é o maior causador do surgimento de favelas no Brasil: A SITUAÇÃO SOCIO-ECONÔMICA da população brasileira.


    Grande parte da sociedade vive em situação de calamidade, e moram em favelas por falta de oportunidades. Pois ninguém em seu juízo perfeito que gozando de boa situação econômica iria sujeitar-se a morar em um local sem infra-estrutura urbana, segurança, e horrível saneamento básico.


    A solução para acabar com a existência de favelas deveria começar por urbanizar as que já existem.

    Quanto a áreas ambientais, essas precisam urgentemente do olhar dos nossos governantes.

    No que se refere a áreas abandonadas, assim como você disse deveria tratar-se de evitar o ocupamento dessas áreas por favelas.


    Anne Caroline Mendez.

    ResponderExcluir
  22. Prezado Dragus,

    Li com atenção o seu artigo sobre favelização onde você aponta, um dos fatores de seu crescimento que é sem dúvida o abandono, por particulares e pelo Estado de áreas livres localizadas, quer no centro da urbe como em sua periferia. Convido você e a seus leitores e amigos a dar uma lida em meu blog http://soscopacabana.blogspot.com/ onde, como carioca e cidadão, que vive nesta cidade há 56 anos, de forma apolítica e apartidária, faço algumas considerações sobre criminalidade e favelização.
    Mando-lhe um abraço, pelo excelente artigo e meus parabéns, pela sua consciência cívica.

    Almir

    ResponderExcluir

Cuidado com sua postura ao comentar:
A responsabilidade pelas opiniões expostas nessa área é de de seus respectivos comentaristas, não necessariamente expressando a opinião da equipe do Pensamentos Equivocados.