O fim do ensino da lingua portuguesa.

"... O ensino da língua portuguesa não faz mais parte do currículo escolar..."

Antes que me perguntem de onde tirei isso, ou venham me taxando de mentiroso e/ou outras coisas, a língua portuguesa ainda faz parte do currículos escolar obrigatório. O que escrevi acima foi apenas uma constatação pessoal...

Há tempos venho observando nas ruas, na televisão, jornais, internet e em diversos lugares que a nossa língua pátria anda sofrendo de um enorme descaso e cada vez mais está caindo em desuso. Não é apenas falar errado uma ou outra palavra não, pois isso ocorre desde que mundo é mundo em qualquer nação. Mas nos últimos anos a coisa tem piorado e muito, entretanto há um culpado para tal "fenômeno"?

Não, existem vários, a começar pela mídia. Sim ela, sempre ela.

O que ocorre é que a mídia em geral vem abandonando a forma culta da língua, dando preferência ao uso informal de certas expressões, isso ocorre não apenas em telenovelas, programas de auditório, ou outras atrações em geral. Isso ocorre em todas as vertentes da mídia é no rádio e nos jornais mais populares onde ouço e leio alguns dos maiores assassinatos a língua portuguesa, justamente onde não deveria haver esse comportamento, dado o poder de influência desses canais. Tornar coloquial o errado, não ajuda a corrigir, ajuda a piorar.

Outro grande vilão e talvez o pior deles é a informática, ou melhor dizer, a internet (sua filha). Esta ferramenta que em muito nos facilita a vida (e que me permite escrever este artigo sobre as besteiras que penso e encontro). Já não é de hoje que pode se ver por ai, internet a fora, erros de português desde os mais simples e corriqueiros, até mesmo os mais grotescos. E sem a desculpa do "não sei corrigir", pois existem hoje milhares de ferramentas eletrônicas de correção de ortografia e até mesmo de gramática, mas mesmo assim, as pessoas insistem em desconhecer tais ferramentas, ou então não sabem como utilizá-las (se tiverem dúvidas, até mesmo as ensino aqui, se houver desejo e interesse nos comentários).

Exemplo de analfabetismo na internet

O exemplo acima mostra bem o que digo sobre o que vem acontecendo na internet, muito dirão uma frase que está se tornando comum:"maldita inclusão digital...". Além de ser totalmente avesso a essa frase, não concordo que isso aconteça por culpa de inclusão de pessoas de nível de instrução mais baixos, isso ocorre por puro desleixo da própria pessoa e também pela deficiência no ensino.

O problema é que não fica só nisso, pois erros de grafia e gramática são bem corriqueiros (eu mesmo cometo vários), acontece que as pessoas atualmente, principalmente os adolescentes, desconhecem o uso correto de sua língua pátria, muitos sequer sabem interpretar um texto simples.
Certa vez lendo um blog, me deparei com algo absurdo. O tal blog não tinha um artigo sequer que contivesse pontuação, isso mesmo, não havia uma vírgula ou ponto sequer. Ver um texto sem acentuação ainda vai, pois o teclado a pessoa pode estar com o teclado desconfigurado, mas sem nenhuma pontuação é demais.

E é por isso, após observar essas coisas e ver como anda o vocabulário que nossas crianças e adolescentes vêm utilizando, que pude constatar que não estão mais ensinado o português devidamente nas escolas, não só nas públicas, mas também nas particulares, ou você acha que isso é problema das camadas sociais mais desfavorecidas?

Muito pelo contrário, em geral tais erros são mais evidentes e notórios aos pertencentes as classes mais abastadas. Estranho dizer e ler isso? Mas isso ocorre pelo fato de terem condições financeiras para terem uma educação no mínimo decente e no entanto parecem nunca terem sido devidamente alfabetizadas nitidamente por opção pela "ingonorança". Pior do que pecar pela ignorância é pecar pelo desinteresse.

Será que elas realmente sabem escrever, ou só estão copiando o que vêem no quadro?

"Mas isso é preconceito da sua parte...", "você fala isso apenas para dar uma de engajado social...", mas alguns certamente podem estar pensando exatamente isso de mim ou coisa parecida. Para vocês falo isso justamente por ver cada vez mais os pertencentes as classes mais altas, cometerem erros na escrita e principalmente na pronúncia de palavras simples e corriqueiras, um fenômeno que só tende a crescer.

É claro, você pode optar em continuar "axxim" e dizer "é protesto", ou ser um "vida loka". Pode não querer nunca sair do "a gente vamos" e considerar que sou um fascista. O problema é todo seu.

Em fim, "É a ingonorança que astravanca o pogreço!"

18 comentários:

  1. Sim, a internet mesmo destruiu uma das línguas mais complexas que se pode criar: o português!
    enfim, não só esta língua mais sim também outras línguas como o inglês também, basta ver na internet a junção de duas ou 3 palavras já deixando de ser uma corruptela e passando a ter mais de 3 significados para uma só palavra!
    abraço!

    ResponderExcluir
  2. Se atribuíssemos esse fato como um fenômeno, este seria em nível global.

    Na França, Inglaterra e Estados Unidos muitos discutem o mais do mesmo.

    O msn virou vitrine para todas as acusações de deterioração da língua.

    Discordo em partes.
    Mas oportunamente lhe falarei os motivos.

    Agora...puta sacanagem mostrar o orkut do indivíduo semi-analfa, rsrsrs.

    ResponderExcluir
  3. Verdade, hoje o Internetes é quem manda!

    ResponderExcluir
  4. Concordo com você - nossa língua está indo de mal a pior, mas não concordo em culpar a internet por isso.
    Trabalho com a "maldita" inclusão digital, em um projeto que oferece acesso gratuito à internet e oficinas que ajudam na utilização da mesma. E eu vejo cada coisa, cada "assassinato", mas sei que a culpa não é totalmente do jovem que aparece lá querendo criar seu Orkut e MSN, que faz seus trabalhos escolares com um "copy / paste" do wikipedia, não demosntrando interesse em querer aprender, como vc disse, eles são produto do meio.
    Já fiz muita edição no Word do site, que eles entregam salvo em um disquete para o cara não entregar o trabalho, que ele nem se deu ao trabalho de ler, com um "editar" a cada tópico para o professor.
    Acredito que a net seja o espelho do que falta em nossas escolas - preparo e incentivo aos professores. Infelizmente, muitos decidem lecionar por "falta de opção", ou como li em um texto do Paulo Freire, "enquanto não arrumo um casamento". Assim não tem como termos bons professores e, conseqüentemente, bom uso de nossa língua materna.

    Desculpe pelo imenso comentário, mas nem preciso dizer que gostei muito do seu blog, e gostaria de linkar com o meu. Posso?

    ResponderExcluir
  5. Alcontrario!
    Meu Deus, eu concordo que as vezes a gente esquece uma letra, ou deixa um texto sem acento, eu fazia bastante disso, mas comecei a me policiar porque um texto escrito com palavras erradas perde a credibilidade.
    Porem nos comentarios ainda me mantenho menos culta, por ter pressa, e no msn nao me cuido em nada por ser uma conversa intima. Mas enfim, tem muita gente por ai que escreve e fala erradissimo, como alcontrario, derepente, poblema etc..
    Concordo que o ensino tem que melhorar nao apenas para a lingue portuguesa mas também em todas as materias, mas muitas vezes os alunos nao querem aprender direito o que complica a situação.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Isto é erro de português: Quando você diz 'Em fim, "É a ingonorança que astravanca o pogreço!"' , o correto seria ENFIM - que indica conclusão, fechamento de idéia.

    O uso da linguagem coloquial na mídia não indica a falta de conhecimento da mesma. A coloquialidade se deve às mudanças que as línguas sofrem através dos tempos a fim de FACILITAR a comunicação, tornando-a mais ágil. E digo isso baseando-me em estudos lingüísticos, e textos de estudiosos.

    Eu realmente achei esse texto taxativo e unilateral. Mas faço questão de voltar aqui mais vezes para ter uma segunda opinião.

    Não me leve a mal. Você provavelmente está pensando: "quem te perguntou alguma coisa, menina?", mas quem se atreve a criticar está pronto a receber críticas. :)

    Um abraço e sucesso!

    ResponderExcluir
  7. "Não me leve a mal. Você provavelmente está pensando: "quem te perguntou alguma coisa, menina?", mas quem se atreve a criticar está pronto a receber críticas. :)"

    Não estamos, tenha certeza disso.

    O que incomoda com certeza não são críticas, o que incomoda mesmo é não ler. =p

    E quando o critica pelos erros de português, lembro que ele é vítima do sistema e não parte dele.

    Ele estudou em escola pública, vivenciou os dois extremos do ensino público da disciplina, logo, quem melhor para falar mal de determinadas coisas do que quem foi vítima?

    Ademais, a função da mídia não é tornar o mundo coloquial, é educar. Se o mundo se torna coloquial não é função da mídia querer apressar um distanciamento ainda maior entre a linguagem utilizada por quem tem 60 de quem tem 16, muito pelo contrário.

    Outra, a concessão de radio-difusão é pública. A imprensa e sua liberdade é direito concedido pelo estado-união com o objetivo único e legítimo de informar cidadãos e não de deformá-los, mas aí entro num outro aspecto da coisa que não é apenas relativo a "antes de p e b se usa m" =p

    Abraços e espero realmente que volte... Críticas quando bem estruturadas não são apenas críticas, mas oportunidade de evolução mútua. =p

    ResponderExcluir
  8. Eu compartilho com você essa preocupação. Não sou nenhum especialista, mas tento fazer meu melhor.
    O problema é que a mídia não ajuda, durante minha infância fui estimulado pela TV Globo a trocar Ch por X (você sabe do que estou falando). O famoso "internetês" também é um estímulo ainda mais forte. É preocupante mesmo! O mínimo que posso fazer é tentar escrever o mais correto possível e estimular positivamente o uso da nossa língua.

    ResponderExcluir
  9. Olha, a internet deu um chutão no saco da Língua Portuguesa, hoje se vê verdadeiros absurdos com a Língua do além mar...

    Miguxos e Miguxas um grande Abrasso..

    ResponderExcluir
  10. A verdade é que isso é intencional. Vemos os políticos preocupados em formar quantidades. Quando nossos estudantes chegam a universidade praticamente analfabetos.
    Isso só acabará com uma pesada pressão da sociedade. Mas isso é outra novela.

    ResponderExcluir
  11. Seria cômico se não fosse trágico!!!

    ResponderExcluir
  12. Pois é meu querido Dragus é simple,faço minhas as palavras dele: porque "quem mal lê, mal ouve, mal fala, mal vê", já nos alertava Monteiro Lobato. ...
    Quer prova maior? no nosso meio de blogueiros,onde supostamente deveria ser um mundo de amantes da leitura , o povo não le as postagens e se limitam em falar que seu blog é lindo?kkkkkk

    ResponderExcluir
  13. Oi,
    Vi seu texto e não pude deixar de perceber sua preocupação com a nossa língua pátrea. Bem, há algumas considerações que precisam ser observadas aqui:
    a) Os portugueses que aqui aportaram trouxerasm o idioma de Portugal, que só foi falado como tal entre os membros da corte.
    b) Esse idioma influenciou e sofreu influência dos dialetos indígenas de então e dos diferentes idiomas e dialetos advindos do continente africano, e que, por seu turno, também sofreram influências de outros idiomas, como o árabe, por exemplo.
    c)A língua é um fato social e mentalista, portanto, não só é psicológica como cria a cultura e é por ela criada.
    *Tanto que, para se adquirir a meta-linguagem de um idioma é preciso conviver numa comunidade de fala onde ele é realizado. Só assim você poderá pensar, sonhar e expressar seus sentimentos mais abstratos no novo idioma.
    d)Uma língua não acaba. Ela sofre transformações, porque as pessoas e todo o grupo que a fala também mudam.
    e)Como a língua é interativa, não há meios de impedir sua evolução.
    f)A norma culta representa apenas uma forma cultural de realização da língua. Porém, a língua é o que realizam seus falantes. Segundo Bloomfield todo falante nativo tem total domínio do seu idioma e jamais comete erros ao realizá-lo.
    Enfim, a língua é o que de fato se fala. E a escrita é um outro meio de comunicação que, por se basear em signos linguísticos, também está sujeito às mesmas variações.
    g)gramática é o funcionamento da língua. E todo falante tem uma gramática internalizada. Indepenentemente da forma como pronunciará as palavras, ele sempre usará uma estrutura frasal válida em nosso idioma, e será compreendido.
    A elitização da fala gera um desconforto geral diante das variações linguísticas e também um preconceito linguístico. E, veja bem, nem mesmo os descendentes da corte realizaram o portugês como se pretende, por conta das influências da época. E esse português dito culto é escolarizado e é preciso lembrar que não havia educação escalarizada para a grande massa até a década de 80. Tentar ensinar apenas uma das infinitas variações linguísticas e tentar dar nó em pingo d'água. Veja os resultados dos exames de redação no vestibular. Bom, é isso!

    ResponderExcluir
  14. RECENTEMENTE, UM PESQUISADOR INGLÊS COLOCOU A LÍNGUA PORTUGUÊSA NA LISTA DOS IDIOMASQUE ESTÃO FADADOS A DESAPARECER NOS PRÓXIMOS 70 ANOS. ELE DISSE QUE O PORTUGÊS SERIA SUBSTITUÍDO POR UMA ESPÉCIE DE PORTUNHOL, DEVIDO A GRANDE QUANTIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA ESPANHOLA QUE CERCAM O BRASIL! O INGLÊS, SEGUNDO ELE,É O ESPERANTO DO DOS DIAS DE HOJE.

    ResponderExcluir
  15. Well, well, well...
    Começaremos do começo.
    Realmente a escrita dos brasileiros nunca foi uma maravilha.
    Mas o portunetes tá F***, e o que mais me deixa de cara e sem coragem é que a maioria que escreve errado são filhinhos e filhinhas de papai, de no máximo 18 aninhos, escrevendo palavras endemoniadas e sem vogais... puta que pariu eu nao sou russo caramba.
    É a onda miguxes, internetes e cretinetes que está invadindo a internet...
    Não vou dizer que não abrevio palavras, principalmente quando essas são escritas através do celular, por que eu nao vou gastar mais que uma mensagem, mesmo tendo a opçao de muito mais letras com a tecnologia GSM.
    Tambem abrevio palavras no msn, por que, como agora, estou escrevendo esse comentário, conversando com 3 amigas, verificando meus emails, baixando a trilha sonora do filme "O Fabuloso Destino de Amèlie Poulain", então eu me dou o direito de escrever: vc, ksa, fdp, cel, entre outras.
    Mas são casos e casos, mas jamais escreveria um depoimento ou colocaria em meu perfil palavras desse grau... por que alem de não ser Russo eu também não sou Emo... affff...
    Abs... ops... Abraços.

    ResponderExcluir
  16. Aprendi a ler com três anos de idade e, desde então, sempre procurei escrever da mais correta forma possível. Considero-me até um pouco "neurótico" em relação isso. No entanto, acho complicado escrever sobre erros de português dos outros sem parecer arrogante. E existe outro fator: é preciso estar muito seguro de si na escrita, para não ser alvo das próprias críticas. Por exemplo, logo no início do texto, você cometeu leve deslize:

    "Antes que me perguntem de onde tirei isso, ou venham me taxando de mentiroso e/ou outras coisas(...)".

    No sentido de julgar, formar juízo a respeito de alguém, a palavra TACHAR se escreve com CH. Caso seja escrita com X, ela tem sentido óbvio de instituir taxas. Já a moça que o criticou num dos comentários utilizou TAXATIVO (com x) de forma correta, pois o fez no sentido de "pessoa que não admite contestação", inflexível, simplória em suas considerações etc.

    Certa vez, há mais ou menos seis anos, fui alvo de duras críticas dos internautas num guestbook que havia no site do cantor Jorge Vercilo, por ter criticado veementente os grotescos erros de português das pessoas que se diziam "intelectuais", "seletas" por ouvirem Vercilo e, ao mesmo tempo, escreviam "ancioso", "prazeiroso", "agente te gosta", "voçê" e outros erros primários. E o pior de tudo é que esses absurdos linguísticos partiam de pessoas que se afirmavam jornalistas, professores, administradores, comunicadores etc.

    Cheguei a criticar uma dona que afirmou morar em uma casa "germinada". E sabe como ela me respondeu? - Vá HÁ merda!!!
    (Risos).

    Sinceramente, não creio que a Internet seja responsável pela degradação da língua portuguesa. As pessoas que não sabem se expressar corretamente o fazem o qualquer ocasião, seja no MSN ou numa prova de redação! O nosso governo irresponsável tem grande parcela de culpa nisso, a partir do momento em que ofecere uma péssima educação pública nos ensinos fundamental e médio e facilita a profusão de faculdades "pagou-passou", permitindo, dessa forma, que pessoas que mal sabem o português adentrem o ensino superior! No entanto, cabe ressaltar que se o próprio indivíduo não tiver o bom senso de preservar a língua e o respeito a suas regras, não adianta estudar nas melhores instituições.

    Mas, prezado blogueiro, apesar dos deslizes, sua intenção de colocar o assunto em evidência foi ótima!

    Um abraço!

    Meu blog:

    http://www.cafe-cultural.blogspot.com

    (Música, literatura, comportamento, variedades, confissões e devaneios).

    ResponderExcluir

Cuidado com sua postura ao comentar:
A responsabilidade pelas opiniões expostas nessa área é de de seus respectivos comentaristas, não necessariamente expressando a opinião da equipe do Pensamentos Equivocados.