Intolerância Religiosa: Preceito de Jesus.


Sim, Jesus, mas não o da bíblia.

Nota: Todo o artigo onde repudio algo é dedicado a hipócritas, portanto, só se ofenda se você comete algumas dessas práticas que abomino e que mesmo não sendo criminosas são imorais.

E sim aquele Jesus que prega que sua igreja é superior as demais, que prega que todos irão para o inferno se não derem sua contribuição/dízimo, que é intolerante com o diferente e que é tão orgulhoso e vil que um "não" a Sua vontade é punido com a destruição, depredação e em determinados momentos com a morte.

Qualquer semelhança com o que acontece hoje em dia no Oriente Médio em virtude do fanatismo é mero início de um processo de abrasileiramento e importação do que há de errado fora bem do jeitinho brasileiro.

Meses atrás, enquanto criticava uma postura porca por parte de muitos evangélicos do Rio de Janeiro - que fizeram um evento para louvar Jesus nos céus e o Capeta na terra, transformando em extensões de suas almas a área verde da Quinta da Boa Vista (vide foto) - encontrei uma senhora que morava em uma comunidade/favela do Rio que me falou da situação de intolerância que sua religião encontra sendo açoitada por evangélicos-traficantes que proíbem religiões diferentes das deles em suas favelas, ou seja, se for praticante de Ubanda, Candoblé, Macumba ou até mesmo Católico (adoradores de imagens), o destino é ser convertido a um novo evangélico ou ser expulso.

Qualquer semelhança com a inquisição é mera deformação do ideal de Lutero.

Bem, agora essa prática está indo para o asfalto. Do mesmo modo que - independentemente de opinião. - coisas como o Funk, o Grafite e a dança de rua desceram para o asfalto agora desce para o asfalto a prática da depredação de outras igrejas, uma guerra silenciosa e amparada por autoridades pseudo-religiosas com o único intuito de punir e provavelmente distorcendo de forma vil o que diz em Marcos 11:15, transcrito abaixo:

"E vieram a Jerusalém; e Jesus, entrando no templo, começou a expulsar os que vendiam e compravam no templo; e derrubou as mesas dos cambiadores e as cadeiras dos que vendiam pombas."


É um precedente perigoso em um país impune que nem o nosso que comecem tais níveis de intolerância religiosa, pois o que começa como simples arruaça termina com shoppings explodindo em domingos de sol porque uma pessoa julgou que Jesus considera que os ímpios são como os figos da figueira em Marcos 11:13 e 11:21 até 11:26.

"Marcos 11:13 E, vendo de longe uma figueira que tinha folhas, foi ver se nela acharia alguma coisa; e, chegando a ela, não achou senão folhas, porque não era tempo de figos.
Marcos 11:20 E eles, passando pela manhã, viram que a figueira se tinha secado desde as raízes.
Marcos 11:21 E Pedro, lembrando-se, disse-lhe: Mestre, eis que a figueira, que tu amaldiçoaste, se secou.
Marcos 11:22 E Jesus, respondendo, disse-lhes: Tende fé em Deus;
Marcos 11:23 Porque em verdade vos digo que qualquer que disser a este monte: Ergue-te e lança-te no mar, e não duvidar em seu coração, mas crer que se fará aquilo que diz, tudo o que disser lhe será feito.
Marcos 11:24 Por isso vos digo que todas as coisas que pedirdes, orando, crede receber, e tê-las-eis.
Marcos 11:25 E, quando estiverdes orando, perdoai, se tendes alguma coisa contra alguém, para que vosso Pai, que está nos céus, vos perdoe as vossas ofensas.
Marcos 11:26 Mas, se vós não perdoardes, também vosso Pai, que está nos céus, vos não perdoará as vossas ofensas."


Mas olhem com atento ao 11:26, ali diz: se não perdoar não será perdoado, se desejares o mal, sofrerá o mal. Jesus quis o mal da planta e ele o teve, mesmo como diz na Bíblia a planta ter-lhe negado o fruto por não ser tempo de figos ainda assim Jesus a amaldiçoou como se fosse obrigação da mesma dar-lhe frutos a qualquer tempo. Desejou o mal, ele aconteceu, e no final disse que seria vítima desse mal.

Não quero entrar nesse mérito religioso, mas se você teoricamente segue preceitos religiosos e leu essas versículos deveria no mínimo entender que se Jesus combate o comércio dentro do templo ele o combate em qualquer templo, não no X, Y ou Z, e quando sua igreja faz o dízimo não uma prática benevolente, mas parte do todo ou mesmo utiliza da interpretação da Bíblia para incitar ódio religioso ela também faz comércio. Vende ódio pra colher dinheiro (dinheiro atrai tudo, como mostra a imagem ao lado baseada em uma capa clássica do Nirvana).

Tome muito cuidado quando entrar em uma igreja procurando qualquer tipo de ajuda, muito cuidado, tenha em mente que você não está entrando em uma casa de Deus mas sim em um templo de homens, e antes de começar a aceitar que o que aquele homem ou mulher no palco diz é verdade, pense. Leia, pesquise e encare que por mais que digam que estão ali com deus no coração, o mal possui muitas formas e se há 2000 anos estava em um templo diante de Cristo, que o diga agora 2000 anos depois e em uma época onde o mal é regra até ao se fazer o bem.

E só um olhar crítico é capaz de salvar você de si mesmo.

Ou deles, seja dos falsos profetas ou dos falsos candidatos que infestam nosso Poder Legislativo.

Pense.

Reportagem a Respeito:


Fontes:
O Globo (notícia-tema do artigo);
- Jovens depredam centro espírita no Catete e insultam freqüentadores
- Jovens de igreja evangélica invadem centro espírita e destróem imagens religiosas

Bíblia Online - Gobíblia
- Marcos 11;

3 comentários:

  1. realmente, o pior sao aqueles emails corrente, que se você nao passa Deus castiga, as pessoas querem temer a Deus e nao respeita-lo, por isso eu sigo a minha própria religiao, o meu jeito de respeitar e adorar Deus. O problema da intoletancia religiosa, é justamente a intolerancia, é redundante, mas a verdade é que as pessoas estao cada vez menos tolerantes..com qualquer coisa... e isso é um dos grandes maus deste país..

    ResponderExcluir
  2. Cheguei via Ueba.
    Em primeiro lugar quero elogiar o layout do blog.Muito bonito e organizado.
    Quanto à reportagem vou deixar o mesmo comentário que escrevi no blog do Cardoso:
    " Se eles invadissem o Templo onde eu frequento, meteria uma camisa de força e os levaria para o hospício onde eu trabalho"
    Parabéns pelo artigo.
    Abraços, Juliana

    ResponderExcluir
  3. nossa que absurdo !


    apoio vcs plenamente!


    "Deus te ama."

    Issa frase é o suficiente para que nunca mais exista nenhuma briga entre "religiosos"...mas é ruim alguém ouvir alguma coisa que realmente importa...


    bye

    www.causagendi.blogspot.com

    ResponderExcluir

Cuidado com sua postura ao comentar:
A responsabilidade pelas opiniões expostas nessa área é de de seus respectivos comentaristas, não necessariamente expressando a opinião da equipe do Pensamentos Equivocados.