[Pensamento] País Sem Militares Não É País Soberano.

Antes de traçar minhas longas linhas, um vídeo:

Finnish Air Force


Definitivamente: atualmente o Brasil é um país sem militares.

Sempre que assisto toda e qualquer propaganda militar estrangeira eu lembro dos comerciais das Forças Armadas Brasileiras e do estado de sucata em que se encontram todas as forças de defesa brasileiras. Quando o sucateamento não é apenas material, como ocorre na FAB, na Marinha e no Exército, o sucateamento também é moral como ocorre com as polícias militares em todo o território nacional.

Entendo que somos um país que viveu anos no século passado sob a égide de uma ditadura militar e que milhares de pessoas morreram combatendo esse governo de ambos os lados. Entendo que hoje os que controlam o Estado Brasileiro sejam as vítimas dos que outrora comandaram as tropas e que de certa forma seja por medo ou puro revanchismo tenham dado as nossas tropas um tratamento digno de chacota.

Entendo mas não aceito.

Não consigo imaginar nosso país querendo ser soberano em qualquer coisa enquanto não investe em se proteger. De que adianta propagarmos aos quatro ventos que nossas terras são mais verdes, que o sabiá que canta aqui não canta como lá ou que temos água em abundância se a qualquer momento uma nação interessada pode vir e dizer "olha, queremos pagar tanto por aquela região" e sermos obrigados a aceitar porque intimamente sabemos que acontecerá com ou sem guerra, seja através da legalidade de uma compra subvalorizada, através da inserção de ONGs em áreas de interesse econômico ou outros tipos de modalidades tão desonestas quanto. Levando instabilidade em áreas que deveríamos proteger melhor que nossas próprias casas, como acontece há algum tempo no norte do país e a imprensa noticia apenas esporadicamente esse assunto.

O que vejo é um país que se humilha, que se tornou especialista em enviar tropas de paz para países como o Haiti, mas que não tem o mesmo cacife de intervir militarmente em conflitos durante sua ocorrência, apenas depois. Ao contrário do que se propaga pela imprensa as forças militares brasileiras lá fora agem mais como "faxineiros da ONU" do que necessariamente como uma tropa de guerra. Enviamos soldados em áreas onde o conflito ainda existe, claro, mas não podemos levar tropas em áreas de conflito real e corrente (como o Iraque) porque:
- Não temos condições de dar suporte aéreo às tropas em terra;
- Os aviões que dispomos não voam ou são velhos demais para voar;
- Nossos navios de Guerra se resumem a um único porta-aviões que apenas serve de escola para militares de carreira e outros acompanhantes tão antigos quanto minha avó em sua maioria;
- Nossos tanques são dignas peças de museu, e quando muito, um dia num passado muito distante receberam manutenção ou mesmo deram um único disparo;

Não dá para esperar que nosso país tenha qualquer tipo de destaque no mundo do modo como tratamos sempre aqueles que nos protegem. Hoje em dia o que mais ocorre é jovens mal intencionados entrarem no exército, sugarem todo o conhecimento útil e debandarem para seus currais do tráfico, alimentando fileiras de assassinos a cada dia mais e melhor treinados.

Até porque nenhum soldado ganha estabilidade no Quartel. Eles, se quiserem, se transformam em máquinas de matar nos inúmeros cursos disponíveis, mas poucos fazem (ou passam) as provas para oficiais e conseguem estabilidade. E só. O soldo das classes baixas é algo vergonhoso dado o que ele aprende, e todo soldado sabe que mais cedo ou mais tarde será descartado como lixo. Logo, porque deveriam eles se preocupar em zelar por um sistema (ou pelo treinamento que recebem) que não zela por eles? O destino de uma máquina de matar militar ou é se juntar a polícia (fazendo concurso) ou se juntar as forças para-militares.

Não vai demorar muito e em breve as forças para-militares que ocupam as zonas de exclusão brasileiras terão melhor preparo bélico que as polícias militares. Até porque o equipamento eles já possuem.

Outro reflexo do abandono é a situação ridícula (pois não existe palavra melhor para retratar) que vivem as polícias em todas as suas esferas. Policiais são obrigados, pelo menos no Rio de Janeiro, a sobreviver dia a dia em um estado de Guerra Civil constante munidos de coletes que não protegem de balas e em viaturas que protegem menos ainda. Eles partem para a guerra todos os dias, recebem mal e ainda assim hoje ainda existem pessoas dispostas a entrar na guerra ou no bolo da banda podre.

Foi-se o tempo em que uma pessoa fazia concurso para PM por pura vocação ou amor a pátria. Essas pessoas são uma minoria cada vez menor, sendo substituídas por dois tipos de futuros policias: os que entram pelas mamatas e os que entram para a guerra. Isso é reflexo da política de segurança como um todo, afinal de contas, o tipo de pessoa que hoje são atraídas para fileiras militares é proporcional ao reconhecimento que se dá as tropas.

Não adianta propagar idéias falsas quando um simples passeio de ônibus no entorno de quartéis mostra exatamente o quão protegemos bem mal nosso país. São peças de museu expostas ao ócio vigiadas.

E não foi algo que me falaram, é algo que vejo.

Temos soldados bem preparados? Ainda temos.

Preocupados com a nação? Ainda temos.

O problema é até quando.

Enquanto isso tempo passa e o que se vê é cada vez mais preocupante...

Quer mudar isso? Vote em políticos interessados não apenas em ganhar votos.

Agora, um vídeo nacional:


Por sinal, o primeiro vídeo é da Finlândia... Preciso dizer mais alguma coisa?

Fontes:
Jornal O Povo:
- DEFESA VULNERÁVEL;
- Águas sem defesa;

Gazeta Mercantil:
- Alberto Cardoso - General do Exército;

Último Segundo:
- Brasil precisa revitalizar exército para defender Amazônia, diz ministro Marco Aurélio

Terra Notícias:
- Comandante da Aeronáutica: frota está sucateada

9 comentários:

  1. Só para se ter uma idéia da necessidade, compara a extensão territorial dos dois países.

    E eu ainda tenho fé nessa zona...

    =P

    ResponderExcluir
  2. Imaginar que um país como o nosso, gigantesco, tem só dois submarimos para patrulhar toda a costa; seis ou sete caças de interceptação em condições de vôo é um absuro emorme. Ainda mais quando sabemos que somos um país repleto de recursos naturais que estão se tornando escassos no mundo todo e que brevemente despontarão a cobiça de muita gente boa.

    Um detalhe: Sequer podemos fazer frente a maioria dos países da América do Sul em equipamentos. Imagine esse quadro?

    Nosso soldado profissional é considerado um dos melhores do mundo. Mas em matéria de armas e equipamentos somos comparados a "pó de traque".

    ResponderExcluir
  3. Oi Dragus!
    Então, menino...
    Eu, particularmente, perdí a fé.
    Não vejo mais a paixão de antes.
    Eu sou do tempo (odeio essa frase),
    em que o patriotismo era latente, ainda que por uma sutil imposição dos professores (época da ditadura).
    Mas, depois disso, passava a ser por amor à pátria mesmo.
    Era um orgulho servir o país, lutar por ele.

    Até postei sobre isso, há um tempo... sobre o respeito e valor das Forças Armadas.
    Se quiser dar uma olhadinha, segue o link:
    http://vassourando.blogspot.com/2007/06/dia-da-marinha.html

    E, pra encerrar... eu costumo dizer:
    Nem tudo está perdido, tem muita coisa pra se perder ainda.

    Beijokinhas
    *

    ResponderExcluir
  4. Acho que em matéria de equipamento só a Argentina consegue ser pior, já que as autoridades de lá declararão que eles não teriam capacidade para suportar um combate por mais de 6 horas.

    ResponderExcluir
  5. interessante a diferenca, mas o exercito mais bem equipado do mundo, perdeu as ultimas guerras e esta perdendo esta tbem, motivo atualmente nao se usa exercito convencional e sim guerrilha se tem alguma duvida veja os exemplos (vietnan, iraque) quem esta lutando com exercito normal esta perdendo, a soberania nacional so sera afligida pelo ar pois em terra, o exercito nacional e especialista em guerrilha e luta nas selvas, alem de podermos contar com a experirencia dos cv cc

    ResponderExcluir
  6. Só lembrando aos amiguinhos que as guerras não se vencem só com equipamentos, a História está cheia de exemplos disso, as tropas alemãs que dominavam a Europa era na sua maioria formadas de infantarias a pé, ou de cavalos. Panzers é coisa de filme de Hollywood.

    Querem mais exemplos? Os EUA com toda tecnologia perdeu uma guerra contra o Vietnã, e hoje está entalado no Iraque e no Afeganistão. A Colômbia está há 40 anos lutando contra as Farcs...

    ResponderExcluir
  7. Eu acredito que nós brasileiros somente servimos de palhaços para o resto do mundo.

    Quase sempre estamos em cima do muro.

    Nunca conseguimos respeito lá fora!

    Sermos chamados de povo genttil e hospitaleiro e convite para que aqui venham e abusem do que por lei é nosso. Nossas reservas ambientais!

    ResponderExcluir
  8. De que adianta ter um exército ótimo se como disse acima, com uma maleta de dólares se resolve tudo?

    ResponderExcluir
  9. P/ mau:

    A Colômbia está vencendo as FARC e os objetivos militares dos EUA que citou foram atingidos todos, o problema são os objetivos políticos que estão levando a bancarrota todo o resto.

    Os EUA são eficientes em destruir, mas não são e nunca foram em conquistar o inimigo. Diferentes de Roma, mas essa é outra postagem.

    ResponderExcluir

Cuidado com sua postura ao comentar:
A responsabilidade pelas opiniões expostas nessa área é de de seus respectivos comentaristas, não necessariamente expressando a opinião da equipe do Pensamentos Equivocados.