[Opinião] Ditadura em Pele de Cordeiro.

Joaquim, um jovem de classe média, está com problemas sérios em seus estudos. Ele precisa estudar para o vestibular e é massacrado diariamente com os cursos pré-vestibulares em que se inscreveu e freqüenta aulas de domingo a domingo desde o amanhecer até o anoitecer. Joaquim quer cursar uma faculdade de medicina na USP e todo esse esforço se traduz em números quando observa com preocupação a relação candidato-vaga do que almeja.

Mas para sua infelicidade ele completou dezoito anos e se apresentou ao serviço militar. E para uma maior infelicidade viu todo o ano de estudos e sacrifício ser jogado na latrina quando por falta de meios para ser dispensado é convocado. Agora ele perderá um ano de sua vida, pois foi alocado para servir em um quartel muito distante da USP e com uma rotina diária que o impedirá toda e qualquer dedicação aos estudos ainda que consiga ser aprovado. Ele não queria servir e perderá um ano da vida e o planejamento de uma vida toda.

Fábio, morador de uma favela do Rio de Janeiro. Nunca estudou, nunca vislumbrou um futuro mais promissor do que armar-se e servir as forças do poder consolidado local. Polícia? Claro que não. Ele obedece a Jamião, mais conhecido como "Carcará", o dono da boca de fumo e do destino de todos em sua comunidade. Carcará já disse diversas vezes a mãe de Fábio que ele está em boa idade para trabalhar na firma, entretanto ele nunca teve interesse. Com dezoito anos Fábio se alistou na junta militar e pediu para servir. Conseguiu.

Dedicou-se ao serviço como poucos. Trabalhou em missões na amazônia e em lugares os mais insólitos possíveis. Seu peito tinha condecorações por bravura e as insignias dos treinamentos que participou. Mas por deficiência nos estudos, decorrente de um sistema de aprovação automática, nunca conseguiu ser efetivado. Seu destino foi o mesmo de muitos jovens no serviço militar. Foi dispensado e sem outra espécie de preparação para a vida foi devolvido a sua comunidade desempregado e sem capacitação para serviços civis. Quem gostou muito disso foi Carcará, que hoje utiliza os serviços de Fábio para treinar todo seu exército, o único "emprego" que Fábio poderia obter com o conhecimento militar e a deficiência escolar que dispunha. Ele queria servir
.

Definitivamente não compreendo o modelo adotado pelo sistema do alistamento militar obrigatório. Nunca compreendi e aceitei que a aleatoriedade e o julgamento de alguns poucos fardados pudesse definir o destino de um ano (ou mais) da vida de um jovem em uma idade complexa como os dezoito anos. Nunca compreendi também que o mesmo sistema que crie casos como o de Joaquim também gere em contra-partida casos como os de Fábio. O sistema militar obriga uma pessoa que não quer a servir do mesmo jeito que descarta com a mesma facilidade uma pessoa que deseja ser militar. Ou seja, não há um contra-peso ou uma idéia de carreira militar para àqueles sem condições de cursarem preparatórios para os concursos militares (os únicos que dão estabilidade).

Para piorar agora surge uma idéia ditatorial escondida em lampejos sócio-educativos por parte tanto do ministério da defesa quanto do de Assuntos Estratégicos. O governo federal planeja que todo e qualquer jovem aos dezoito anos seja obrigado a servir a pátria. Se não for pelo caminho militar tradicional, será literalmente exilado para áreas confins do país (diga-se de passagem: recebendo misérias que chamarão de "salários sociais" ou algum outro termo "politicamente correto" do tipo, equivalentes ao soldo dos soldados rasos).

Exatamente.

Se você ou seu filho não for aproveitado no serviço militar, com certeza será obrigado a sair de sua cidade ou do que quer que esteja fazendo no planejamento de sua vida para perder um ano servindo as causas do governo. E tal "privilégio" será tanto de homens quanto de mulheres, ou seja, direitos iguais no que diz respeito a obrigatoriedade.

O pior de tudo é ler entre as declarações dos ministros viagens alucinantes sobre capacitação dos jovens, onde dizem sandices como "um arquiteto vai ajudar a construir casas populares. Um engenheiro vai ajudar a fazer saneamento básico". Pergunto: desde quando uma pessoa com dezoito anos consegue ter conhecimento e base no ensino superior para construir casas ou criar projetos de saneamento? Até porque nessa idade, se a pessoa conseguiu ser uma das poucas que com 18 anos está na faculdade, ainda assim estará nos primeiros período, ou seja, nem condições teóricas possui dentro da área que cursa, ou que me leva a crer que ou o ministro é leviano ao pensar dessa forma ou irresponsável, pois na mesma linha de pensamento posso considerar plenamente capaz um estudante de primeiro período de medicina a operar cérebros.

E ao que leva a entender nas declarações essa idéia não demora muito e será realidade. Ou seja, se você ou seu filho planejam algo, cuidado. Sobre a égide do "socialmente bonito" um novo modelo de ditadura a cada dia se fomenta ainda mais, e quando sua verdadeira face se mostrar será tarde demais. Nesse modelo, justificado por ideais sociais, você ao combater essas práticas não é alguém que combate o governo, mas inimigo da sociedade, pois teoricamente você será o vilão sempre.

A pior ditadura é aquela que se eleva ao poder galgada no falso ideal social do "politicamente correto".

Pois ao contrário da tradicional, não existe um ditador a ser combatido, mas uma idéia. Quer um exemplo de ditadura ideológica? Estude sobre a idade média e o domínio ideológico da Igreja Católica.

Fonte:
O Globo
- Mangabeira quer obrigar jovens a prestar serviço social

7 comentários:

  1. Dois problemas:

    Hoje, o alistamento obrigatório está extinto. Só são aproveitados os que desejam servir. A primeira pergunat que se faz ao alistando é: Quer servir? Só são escolhidos além dessa cota caso o número de alistados voluntariamente não alcance o "fator mínimo".

    O serviço social obrigatória (que eu apóio) será imposto ao formandos de universidades públicas nas áreas que o país necessita. Nada mais justo, pois o indivíduo (na maioria oriundo de uma classe mais alta) estudou as custas de milhões de pobres e depois vai exerer sua profissão cobrando "os tubos". Terá então que contribuir com seu tempo e as habilidades a ele ensinadas nos confins do Brasil. (acho justíssimo).

    Pontos de concordância:

    Militares treinados e profissionais, fuzileiros, paraquedistas e membros do parasar jamais deveriam ser oriundos de comunidades conflagradas. E caberia ao estado aproveitá-los nas polícias locais ou federais.

    Serviço militar para oriundos de favelas em grandes centros: Apenas de caráter profissionalizante. Sequer treino de tiro deveriam ter ou então serem sistematicamente recusados.

    Essa política de treinar e jogar pro crime foi implantada por FHC que determinou a baixa antes do soldado completar 10 anos de serviço para não dar-lhe estabilidade.

    E foi a ápice da criminosa política de desaparelhar as forças armadas. Uma medida errada que ninguém mudou e que municia as quadrilhas com o que temos de melhor em matéria de soldados profissionais.

    Um verdadeiro absurdo.

    ResponderExcluir
  2. Genial esse cara, vai criar o equivalente militar ao estagiário

    ResponderExcluir
  3. Nossa, que legal as suas palavras! LOL, me lembrei daqueles filmes de combates á ditadura em frente á um combate entre militares e a população, quando o cara fala essas palavras sem num tah nem aii com as consequencias! Belas palavras rapaz! Mt legal teu blog!

    ResponderExcluir
  4. sim...

    nossos políticos, além de muito honestos, são de uma inteligência que ultrapassa os limites da realidade...

    ResponderExcluir
  5. Como diz o Simão, "o Brasil é o país da piada pronta". Infelizmente muitas vezes a piada é muito sem graça.

    Esse negócio de obrigar alguém a fazer algo que não quer não da certo nem com criança, imagina então com milhares de adultos todos os anos.

    Eu concordo com o que o Arthurius disse nos pontos de concordância. O lance do caráter profissionalizante para moradores de áreas de conflito é uma idéia bem interessante pois o cara além de ser treinado (não com armas é claro) para ter responsabilidade, ele ainda sai de lá com uma boa formação tanto teórica quanto pratica de uma profissão.

    Esse Brasil é mesmo muito engraçado.

    ResponderExcluir
  6. Assunto não relacionado, mas que banners bacanas de Lost 4ª Temporada

    ResponderExcluir
  7. Muito legal o blog, parabens pelo texto! t+

    ResponderExcluir

Cuidado com sua postura ao comentar:
A responsabilidade pelas opiniões expostas nessa área é de de seus respectivos comentaristas, não necessariamente expressando a opinião da equipe do Pensamentos Equivocados.