Reconhecimento e hombridade.

Raras são as pessoas que conseguem e têm a coragem de admitir que cometeram um erro, seja ele qual for. Raríssimas são os meios de comunicação em massa que admitem seus erros, ainda mais aqueles que conseguem que admitir a própria incompetência. Para explicar melhor, leiam o texto abaixo:

"A TV Globo não promoverá, este ano, o debate de primeiro turno entre candidatos a prefeito no Rio de Janeiro. Às emissoras de rádio e TV, a lei eleitoral impõe restrições que limitam a liberdade de imprensa: obriga, por exemplo, que chamem para os debates todos os candidatos de partidos com representação na Câmara dos Deputados, mesmo aqueles que chegam ao fim da campanha com índices inexpressivos nas pesquisas eleitorais.

Para realizar o debate com um número menor, a lei exige que haja acordo com os candidatos - dez, no caso do Rio -, o que tem sido tentado desde maio. Para que aqueles com menos densidade eleitoral abrissem mão do debate, a TV Globo ofereceu cobertura muito maior do que aquela a que fariam jus inicialmente, se apenas critérios jornalísticos fossem levados em conta. Esta cobertura já foi ao ar.

A TV Globo agiu assim constrangida pelas restrições à liberdade de imprensa presentes na lei eleitoral. A imprensa deve cobrir o que é notícia, de forma livre e espontânea: aqueles que, ao longo do processo, ganham densidade eleitoral são mais bem cobertos, crescem nas pesquisas e asseguram um lugar nos debates. É assim a dinâmica no mundo democrático. É como deveria ser aqui também.

Dos dez candidatos, nove assinaram o acordo, que previa, inicialmente, a participação no debate dos cinco candidatos mais bem posicionados nas pesquisas. Depois, para estimular a concordância de todos, a TV Globo cedeu e aumentou o número para seis. Somos gratos a esses candidatos.

Paulo Ramos, do PDT, recusou-se a assinar o acordo, apesar de ter se beneficiado do critério de cobertura proposto a todos os candidatos. A experiência comprova que debates com mais de cinco não são proveitosos: o tempo destinado à discussão de cada assunto se torna exíguo demais, e o debate acaba simplesmente não acontecendo. Como ele não assinou o acordo, a TV Globo está impedida de realizar o debate com um número razoável de participantes. Paulo Ramos teve 1% das intenções de voto nas últimas pesquisas do Ibope e do Datafolha.

A TV Globo lamenta que estas restrições na lei eleitoral a impeçam de promover um evento que tem se mostrado valioso em eleições passadas e espera que a sociedade e seus representantes, em Brasília, reflitam sobre a questão. Se houver segundo turno, o debate já está assegurado."

Resumindo, a Globo admitiu que não irá realizar o debate simplesmente porque não quer e não tem competência nenhuma para realizar um bom debate com todos os candidatos. Considero injusto que no horário eleitoral existam horários diferenciados para cada candidato por conta de alianças partidárias, acho que independentemente das alianças cada candidato deveria ter o mesmo tempo de expor suas propostas de campanha, da mesma forma em um debate também considero injusto que apenas os que tenham melhor colocação em pesquisas tenham o direito de participar.

"A experiência comprova que debates com mais de cinco não são proveitosos: o tempo destinado à discussão de cada assunto se torna exíguo demais, e o debate acaba simplesmente não acontecendo." Se o tempo não é suficiente para que dez candidatos debatam de forma correta sobre os temas propostos então o que impede a emissora de aumentar o tempo do debate? Será que dentro da emissora não há uma equipe técnica competente o suficiente para controlar excessos que possam vir a acontecer? Será que dentro da emissora não há um jornalista sequer com capacidade para mediar um debate?

Quando você não permite que um candidato participe de um debate aberto com outros candidatos ao mesmo cargo, você simplesmente impede que ele exponha suas idéias e tenha iguais chances de que o povo conheça melhor suas idéia e saiba se ele realmente está capacitado ao cargo a que aspira.

Por isso mesmo parabenizo a emissora Globo por ter a hombridade de admitir a própria incompetência e a total falta de interesse em realizar um debate com os candidatos a prefeito do Rio de Janeiro. Por outro lado lamento que nenhuma outra emissora tenha demonstrado interesse em realizar tal debate, isso só mostra o quanto nossos veículos de comunicação em massa estão preocupados com o futuro de nossa maltratada cidade.

Fonte:
Site do RJTV

6 comentários:

  1. Existe uma coisa pior:

    A Globo falou, mas e as outras?

    Rede TV, por exemplo, poderia tirar do ar seus programas de Qi Negativo e colocar o debate (o tempo que perdem com lágrimas e fococas pode ser compensado outro dia), e nem mesmo uma nota surgiu.

    Repudio a Globo, mas ao menos deu o cara a tapa, como disse.

    ResponderExcluir
  2. A verdade é uma só O povo não quer saber de política. Adoram reclamar e se "indignar". Mas desligam a televisãoquando entra um debate ou um programa político. O que a Globo diz, nada mais é, do que a adequação a realidade. Os alienados não suportam um debate com duas horas para compor com todos os candidatos: "É muito chato!" - A maioria dirá.

    Para nosso povo, vale mil vezes mais assistir as trapalhadas da Grande Família, as imbecilidades e burrices proferidas pela Luciana Gimenes, Os Mutantes ridículos da Record e outras aberrações televisivas.

    Mas saber quem terá o poder de vida e de morte sobre ele por quatro anos; ah! Isso é chato.

    Depois ainda querem reclamar.

    A Globo, como empresa, apenas refletiu sobre a opinião da maioria de seus clientes e entendeu que fazer um debate maior do que uma hora é perder audiência e faturamento.

    O povo tem os políticos que merece.

    Simples assim.

    ResponderExcluir
  3. E no fim das contas o debate aqui de Recife foi uma percaria. Mal mediado, mal aproveitado e mal me agradou.

    A candidata que ficou de fora foi a Kátia Teles (PSTU). Fez falta. Nada melhor que uma militante porra louca para quebrar o gelo criado pelos candidatos "majoritários".

    ResponderExcluir
  4. 1º sim, eu leio o blog =p
    2º não sei se é ignorância minha, mas parece que a Globo realmente acha que está muito certa! Principalmente pelo último parágrafo! Não é de hoje que observamos a clara a influência dos meios de comunicação na vida das pessoas principalmente quando se trada das mais humildes e, nesse caso, muito votos são decididos graças a esses debates.
    Vou ser sincera, não gosto de política e não acredito em políticos. Porém concordo plenamente com o fato de que todos deveriam ter direitos e tempos iguais! Quem garante que não é o Sr. Paulo Ramos o candidato mais qualificado para o cargo? Essa "seleção" da globo, para mim, mas parece uma "pré-votação" ou "pré-exclusão" sei lá...

    Bju

    ResponderExcluir
  5. Eu tou com a Globo nessa, debate com todos os candidatos é inviável, ficaria muito cansativo

    No formato atual quantas pessoas você lembra de terem dito "comecei a ver, depois fui dormir"?

    Todo mundo é consciente na primeira meia hora, depois torra o saco

    ResponderExcluir
  6. Na faculdade, certa vez, meu professor disse à sala que debates são um dos piores negócios a se fazer em uma emissora. A audiencia é pequena e o custo muito grande.
    Só com isso temos a explicação dos pqs da Globo não fazer o debate neste ano. O povo não quer saber de política, infelizmente, e o que da dinheiro é a audiencia, se a concorrencia - q não promove debates-, neste horário tem um aumento significatico pelo Ibope, algo esta errado. É uma desculpa com justificativa, lamentável, mas coompreensível.

    Abraço!

    ResponderExcluir

Cuidado com sua postura ao comentar:
A responsabilidade pelas opiniões expostas nessa área é de de seus respectivos comentaristas, não necessariamente expressando a opinião da equipe do Pensamentos Equivocados.