[Notícia] Queda de Flutuante em Paquetá.



Vídeo de abertura, com um flagrante do que acontece enquanto tentam embarcar um cadeirante. Não fosse a presença da Guarda Municipal no momento não teria como embarcar a pessoa, pois não existe na estação pessoal suficiente para tais emergências, assim como não há o cumprimento de uma norma que exige treinamento e profissionais capacitados para atuar em caso de acidentes.

Dessa vez, sem o risco de emissoras de televisão editarem entrevistas e outras matérias deturpando os fatos para o resto do mundo, nós, do Pensamentos Equivocados aproveitamos que PK agora se chama Plark Kent portando sua câmera e um gravador (não utlizado) acompanhado do intrépido e assaltante de rodízios Dragus indo aonde nenhum homem jamais esteve (até porque a Barca é cara, suja e nem tem mais como se saltar dela, exceto aos pulinhos - vejam os vídeos).

Hoje, por volta de 8:11 (ou algo assim) a Barca Vital Brazil da empresa Barcas S/A chocou-se contra o flutuante (o que acontece usualmente). Devido a violência dos impactos diários as juntas que prendem o flutuante a ponte de embarque arrebentaram e houve a queda da mesma no exato momento em que moradores e trabalhadores de Paquetá passavam sobre esta.

Foto que mostra a ponte do flutuante submersa.

Fontes oficiais dizem que 12 25 atualizado durante o dia pessoas se feriram no ocorrido, sendo que duas com gravidade que precisaram de remoção para o continente devido as condições precárias de atendimento no hospital local (conforme até mesmo o PK já denunciou no blog). Pessoas essas removidas por barca e não por helicóptero ou lancha, pois tais equipamentos não estão a disposição (isso se é que funcionam) e não foram considerados graves o suficiente (o que de certo ponto é completamente incoerente, ainda mais quando assistirem nos vídeos COMO é que as vítimas embarcaram).

Ferida sendo posta na ambulância para ser levada até a barca

Outro ferido, este já dentro da estação sendo levado de cadeira de rodas.


Na verdade o que ocorre não é mais nada nem nada menos do que o descaso e ocaso atual tanto de autoridades quanto dos donos das Barcas S/A e, principalmente, do povo carioca que insiste em eleger e dar poder a uma linha ideológica e partidária que nas últimas décadas apenas assolaram o estado do Rio com políticas populistas que auxiliaram apenas o crime, o desmando e as irregularidades.

Já é recorrente aqui no Blog e na comunidade do Orkut de Paquetá (apenas para exemplificar) reclamações de uma minoria que ainda se importa ou que passou a se importar. São reclamações que incluem dentre outras a falta de treinamento e o despreparo completo dos funcionários tanto das Barcas S/A quanto de eventuais fiscais que apenas servem de enfeite ou para dormir enquanto as pessoas sofrem na Barcas S/A (vide foto abaixo, um flagrante que Dragus guardou para momentos como o de hoje).

Fiscalizando o mundo dos sonhos.

Esse acidente em especial foi culpa das Barcas S/A e da Capitania dos Portos. Das Barcas S/A por não investirem em treinamento de seus capitães e comandantes, e de não realizar reformas básicas nas estruturas das barcas (vide postagem sobre o assunto), e da Capitania dos Portos por não fiscalizar NADA. Claro, um terceiro culpado: do eleitor por eleger políticos relapsos que não dão poderes a quem quer fiscalizar de exercer seu trabalho.

A queda se deu, como dito acima, por um hábito estúpido dos pilotos dos navios em usar de forma irresponsável os flutuantes como freio. Eles atracam com as barcas em ângulos que muitas vezes beiram o de 90º em relação ao flutuante e se chocam com os mesmos ao invés de simplesmente atracar de forma calma e certa. Com as sucessivas e diárias pancadas os fechos que ligam o flutuante a ponte desgastam muito mais rápido e arrebentam, acontecendo o incidente de hoje que é uma reprise de outro que ocorreu anos atrás, mas sem vítimas.

Idoso sendo auxiliado a embarcar na plataforma improvisada.

Nessa situação existem dois culpados. A primeira culpa é a das Barcas S/A que há anos deveria ter reforçado o pier e realizado a troca preventiva das madeiras que sustentam a estação. Também é culpa quando não treina seus pilotos em atracagem. Uma das coisas mais importantes a qualquer motorista não é saber dirigir, mas saber estacionar. Se queremos tirar carteira de motorista a prova que mais reprova não é a de direção, mas a de baliza.

É verídico: existem poucos capitães de barcas que sabem estacionar. E se a empresa não dá o treinamento o mínimo que se espera deles é que treinem. O que os torna tão culpados ou mais que as Barcas S/A. Não adianta culpar apenas a empresa, porque na hora que estamos dentro da embarcação depositamos nossas vidas na mão de uma única pessoa e se ela não age de acordo com a lei ou com preocupação, como confiar? Isso sem esquecer da tripulação, que inclui-se no "mesmo barco".

Somando-se a todos os incidentes aos quais o nome Barcas S/A envolveu-se, a sorte bateu e pessoas não morreram.

Mas até quando a empresa vai brincar com a vida das pessoas? Ou algo só será feito quando morrerem pessoas como ocorreu no Bateau Mouche?

O primeiro vídeo mostra a barca atracando e as pessoas saindo de forma improvisada no cais desativado (por nunca ter sido concluído) da estação Paquetá e a forma como os funcionários locais literalmente se viram para conseguir realizar o serviço.



Neste aqui uma exclusividade, o PK conseguiu entrevistar a mãe de uma das vítimas do acidente, entrevista colocada sem edição e com a opinião da dona Ivanilde, cujo filho Alexandro sofreu fraturas na perna e seu estado de saúde inspira cuidados.



Neste último vídeo pode-se ver a ponte submersa, o improviso feito para o embarque e desembarque dos passageiros, além de nossas conclusões finais sobre o ocorrido.



Que Deus salve os que tem fé e que a sorte salve os que não tem.

No final vai dar no mesmo: as Barcas fingem que farão algo, a Agentransp finge que fará algo e o povo continuará votando no PMDB.

Abaixo dois flagras das obras que estavam sendo feitos durante a noite, resta apenas saber se as obras são sérias ou apenas uma maquiagem.



Para recordar, alguns artigos que fizemos aqui...
Sobre Barcas S/A:
  • 11/04/07 - Ciência dos Animais do Governo: Capitania dos Portos Descobre a Pólvora.
  • 12/04/07 - Barcas: Será que agora vai? Duvido, mas quem sabe?
  • 22/05/08 - [Denúncia] Barcas S/A.
  • 10/06/08 - [Denúncia] Barcas S/A, Mais Uma.
  • 12/08/08 - Barcas S/A, sinônimo de despreparo e imprudência.
  • 15/08/08 - [Humor] A Solução Para Paquetá...

  • Destaque para os artigos dos dias 22/05/08 e do dia 12/08/08. O primeiro fala sobre o estado de conservação do cais e o segundo sobre o despreparo da equipe das Barcas S/A.

    Sobre saúde em Paquetá:
  • 25/03/08 - Os idosos e o descaso.

  • Notícias:
    O Globo
    - Acidente na estação de barcas de Paquetá deixa feridos;

    Menção honrosa ao YouTube que conseguiu superar a falecida máquina de desfocar do Dragus ao distorcer com maestria suprema os vídeos que colocamos em alta definição.

    4 comentários:

    1. que piada ein!!! Putz a 1ª coisa que eu fiz ao saber do ocorrido foi ligar p/ Lu para saber se estavam todos bem! Que bom que não aconteceu nada com vocês!
      Lembro que quando eu era criança haviam barcas e até aquelas lanchas que não lembro o nome... bom, as lanchas já acabaram, agora o flutuante se foi... acho que estão querendo "ilhar" vcs! hehehe =p

      ResponderExcluir
    2. Belo serviço jornalístico hein, coisa de primeiro mundo

      Mais do que você avisou e ignoraram, só falta dizerem que você agourou e a culpa é sua

      ResponderExcluir
    3. Ricardo e PK, tentem fazer como lost e tentem mudar a ilha de luga para algum outro cidade, estado. pais ou planeta que possa auxilia-los melhor.

      O descaso com vocês é indescritível

      ResponderExcluir
    4. Fala, Cara!
      É isso,
      temos que mostrar a falta de atenção que essa turma das barcas tem pelos moradores de Paquetá.

      Saudações
      Jorge Soares

      ResponderExcluir

    Cuidado com sua postura ao comentar:
    A responsabilidade pelas opiniões expostas nessa área é de de seus respectivos comentaristas, não necessariamente expressando a opinião da equipe do Pensamentos Equivocados.