[Notícia] Oi? Paquetá não dá mais Oi.

Enquanto as horas se transformaram em dias e os dias em quase duas semanas, a Ilha de Paquetá vive um apagão de internet de causar inveja a qualquer ditador autoritário.

Desde o dia 27 de Junho de 2009 os habitantes locais possuidores do Oi Velox, serviço de banda nada larga do Rio de Janeiro, estão mais ilhados do que de costume. Agora não basta apenas a Ilha ser isolada fisicamente e moralmente do restante do Rio de Janeiro, agora o é também isolada virtualmente.

Não é a primeira vez que a Oi (antiga Telemar) demonstra total despreparo, desrespeito e tantos quandos "des" forem aplicavéis ao termo. A única diferença entre o descaso atual e o antigo é que hoje em dia os moradores de Paquetá podem contar com 3G, ao menos a parte que não mora na área de sombra, onde nem sinal de rádio pega bem.

É o que se pode esperar de uma empresa que mudou de nome aproveitando-se de brechas preexistentes na lei para mudar o próprio nome e enfiar no nome antigo os processos judiciais perdidos quando ainda era Telemar (método, aliás, utilizado também pela Varig, convém lembrar).

Como diz um provérbio que aqui adapto, "Não adianta mudar de casa se não mudamos de vícios". A Oi enquanto Telemar desrespeitava e peitava clientes e justiça com inúmeros problemas. Tinha o carinhoso apelido de "Telemerda" - o que era ofensa a merda, diga-se de passagem. - e agora continua sua saga vergonhosa no novo nome, que iniciou suas atividades já imersa em processos (alguém lembra do pandemônio que foi a promoção "Oi 31 Anos"?) e quando se fundiu a telefonia fixa visando galgar futuramente o mercado de São Paulo (como se em São Paulo existisse o mesmo tipo de tolos que no Rio de Janeiro)...

Bem, não adianta reclamar. Também não adianta entrar na justiça. Se preciso for, mudarão o nome pra "Io" e farão da "Oi" um modo feliz de calote a brasileira. Ou seja, mesmo que ganhem, perderão.

A Justiça do Rio não é igual da de São Paulo que por motivos similares impediu a Speedy de ser vendida até resolver seus problemas de conexão (ou seja, nem mudando de nome conseguem fugir dessa encrenca).

Enquanto isso, cabe ao povo de Paquetá - e sei bem que em outros lugares vêm acontecido o mesmo, como Nova Iguaçu, conforme me informaram. - tentar pedir emprestado o 3G de amigos, migrar para 3G (que ainda não é um serviço perfeito, e é na prática cheio de limitações e protocolos nada simpáticos) ou utilizar a boa e velha conexão discada, um retrocesso bem do jeito que o brasileiro gosta.

Enquanto isso em Países sérios e com uma justiça que não é amiga dos amigos, alguns milionários perdem mansões e uns milhões...

E que Paquetá continue e pereça imersa no silêncio moral, material e agora digital.

Quem salvará Paquetá?

Acho que nem o Ninguém...

3 comentários:

  1. O serviço de banda larga aqui é uma vergonha. Caríssimo e de péssima qualidade.

    ResponderExcluir
  2. Exitem sistemas de internet via radio, eu mesmo sou proprietário de um provedor e estou indignado lendo essa materia. contato devanirsuporte@hotmail.com

    ResponderExcluir
  3. Só pra não cair no esquecimento, tá acontecendo yudo de novo agora. 5 dias sem internet.

    ResponderExcluir

Cuidado com sua postura ao comentar:
A responsabilidade pelas opiniões expostas nessa área é de de seus respectivos comentaristas, não necessariamente expressando a opinião da equipe do Pensamentos Equivocados.