[Poesia] Gotas de Orvalho.

Gotas de orvalho que caem do ceú.
Assim seriam nossos dias.
Assim seria minha vida.
Seu corpo.
Meu corpo.
Sua vida.
Nossa.
Não tenho.
Não tenho.
Não tenho.
Não tenho.
E as gotas de orvalho não levariam seu corpo.
Se soubesse como ser e se houvesse lógica em minhas palavras assim seriam meus atos.
Não tenho pernas porque dei a ti como prova de meu amor.
Leva o corpo morto como se fosse parte minha e parte sua.
Não caminho porque não tenho pernas.
Gotas de orvalho que me carreguem.
Não.
Não deixam.
Não deixam.
Não deixam.
Não.
Deixam.
Não deixam rima, nem sina, nem céu.
Questionamento é algo que não existe. Se é que existe o existir.
Ando pelas ruas da morte e encontro na casa do viver apenas motivos para ficar onde estou.
Não estou onde deveria, não vou onde queria e não tenho por que.
Quem dera poder dar as respostas.
Além de gotas de orvalho.
Gotas.
Gotas.
Gotas.
Got.
Go.

Caronte de Tanátos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Cuidado com sua postura ao comentar:
A responsabilidade pelas opiniões expostas nessa área é de de seus respectivos comentaristas, não necessariamente expressando a opinião da equipe do Pensamentos Equivocados.