A política como uma velha charada chinesa

Vote consciente, seu voto pode mudar o mundo. Quantas vezes você já ouviu isso e foi forçado a acreditar? Pessoas continuam sendo eleitas e continuam não resolvendo seus problemas, mas você não pode impedir essa bola de neve de continuar rolando.

A sensação que tenho em toda eleição é a de uma velha charada chinesa, a da bifurcação no meio do caminho para a vila da verdade e da mentira.

Ilustração de YuGiOh!

No meio da bifurcação, havia dois políticos... digo, habitantes. Um deles era da vila da verdade, o outro da vila da mentira, e assim um deles só contava mentiras e o outro só contava verdades.

Tentam nos fazer acreditar que temos que ser espertos o bastante para descobrir o certo, aquele que será um nobre Presidente (ou qualquer outro cargo), que só fala a verdade.

A charada prossegue quando o garoto pergunta aos habitantes de onde eles vieram. Imagina-se que a charada tenha sido resolvida agora, já que o habitante da vila da verdade apontará a sua vila, enquanto o habitante da vila da mentira, também terá que apontar a vila da verdade, pois se apontasse sua própria vila, não estaria mentindo.

O cidadão agora fica orgulhoso de que ponderou todos os fatos, passado político, teve suas perguntas respondidas em algum dos debates nas redes de TV e está pronto para fazer sua decisão, certo de que escolherá aquele que só fala a verdade.

Mas... e se ambos estivessem mentindo? Isso é política.

4 comentários:

  1. Huahuahauaha, adorei o texto e as imagens. É bem assim, mesmo, infelizmente.
    O ruim é que não me sinto nem um pouco melhor votando nulo...

    cya jay!

    ResponderExcluir
  2. A PEC da Música avançou. A Comissão Especial de Fonogramas e Videofonogramas Musicais da Câmara aprovou o relatório sobre a Proposta de Emenda à Constituição 98/07 – mais conhecida como PEC da Música – de autoria do deputado Otavio Leite.
    A proposta elimina impostos sobre os CDs e DVDs produzidos no Brasil, que contenham obras de brasileiros ou interpretadas por brasileiros – o que poderá gerar uma redução de cerca 25% nos preços para o consumidor. A iniciativa beneficiará também as mídias digitais. “Hoje, ao baixar músicas pelo celular, o consumidor paga 35% de imposto. Um absurdo contra a cultura nacional”, diz Otavio.
    De acordo com o parecer aprovado, as fábricas de CDs e de DVDs instaladas na Zona Franca de Manaus continuam com a exclusividade da isenção de impostos para fabricação multiplicada dos produtos.
    Diversos artistas compareceram à reunião para apoiar a aprovação da proposta, entre eles os cantores, Gian & Giovani, César Menotti, Ivo Meireles, Jorge Vercillo, entre outros.
    A PEC agora vai à votação no plenário da Câmara, onde serão necessários os votos de, no mínimo, 308 deputados.
    A mobilização prossegue e ganha cada vez mais força com o crescente engajamento dos artistas, profissionais e amantes da música, em defesa da cultura nacional.
    É aí que você pode ajudar muito!
    Sendo o responsável por um site que aborda o tema, é importantíssimo que você divulgue e informe os leitores, a fim de pressionar os deputados a votar a favor da proposta.
    Qualquer dúvida, estamos à sua disposição pelo email: renata@otavioleite.com.br
    Aproveito para parabenizá-lo pelo seu blog!

    Assista ao debate promovido pela MTV há uns dias atrás:
    http://mtv.uol.com.br/debate/videos/mtv-debate-baixar-o-imposto-aumenta-venda-do-cd-clique-e-assista-na-%C3%ADntegra

    O programa CQC também fala sobre a proposta aqui:
    http://www.youtube.com/watch?v=M_8FJEDdLD4

    Acompanhe: http://twitter.com/pecdamusica e http://twitter.com/otavioleite
    O que saiu na imprensa sobre a proposta:
    http://www.otavioleite.com.br/pesquisa.asp?q=pec+da+musica

    A íntegra da proposta:
    http://www.otavioleite.com.br/conteudo.asp?proposta-de-emenda-a-constituicao-no-98-de-2007-pec-da-musica-2303

    ResponderExcluir
  3. Acho que você está certo e errado ao mesmo tempo. (rs)

    O problema no Brasil é que a qualidade dos políticos é muito ruim. Isso só mudará com uma população mais atuante e mais vigilante. A partir do momento em que o povo se torne mais seletivo e mais exigente quanto a dar o seu voto a qualquer um, os partidos começarão a selecionar melhores candidatos para não perder relevância.

    Da mesma forma que o sistema atual encerra uma bola de neve perniciosa; essa "nova realidade" iniciaria uma onda de limpeza e de melhoria. Contudo, para que isso ocorra, o povo deve cumprir o seu papel em primeiro lugar.

    Com a bunda no sofá e com a preocupação máxima em não perder o seu conforto; nada mudará e estaremos para sempre presos nessa bifurcação.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  4. Eu já acho que o modelo de governo é extremamente falho e não importa quem se coloque lá, o modelo em si é ineficiente

    ResponderExcluir

Cuidado com sua postura ao comentar:
A responsabilidade pelas opiniões expostas nessa área é de de seus respectivos comentaristas, não necessariamente expressando a opinião da equipe do Pensamentos Equivocados.