Dilemas de 2016: Transporte Público Sob Trilhos.


Existe um consenso mundial de que a solução para os problemas de transporte em uma cidade passa obrigatoriamente pela disseminação e popularização do transporte de massa sobre trilhos.

Com um investimento inicial alto, e retorno certo, trens e metrô são também - hoje em dia. - exemplos de meios de transporte limpos (exceto quando são movidos a combustíveis, como ainda existem em áreas remotas) e em uma época de preocupação político-ambiental e sob a ameaça real da extinção da raça humana.

É um meio de transporte tido como um dos mais seguros, bastando contanto, que se invista em manutenção, treinamento e fiscalize-se os dois anteriores. Limpo, que não ocupa espaço e não obstrui outras vias se bem construído e planejado na origem. Seguro, pois a não ser que a empresa seja conivente (para não dizer incompetente) é no mínimo incoerente assaltos ocorrerem contra usuários do sistema quando este tem pontos e horários de parada e saídas fixos (ainda que aconteçam furtos, mas a maior parte por parte de falta de precaução ou distração das vítimas).

No entanto, vejam os mapas abaixo:
Metrô de Tóquio

Metrô de Nova York

Metrô de Londres

Metrô de Lisboa


E essa abaixo é a malha metroviária do Rio de Janeiro, em um projeto que começou em 1977 e que até hoje a planta inicial não foi seguida, quanto mais concluída pela metade.

Metrô do Rio de Janeiro

Claro, você vai dizer e pensar, ainda mais se for do Rio de Janeiro e nunca tiver saído da cidade, que é covardia citar outros países, países esses cheios de grana e todo o #mimimi decorrente do tema. Vai alegar que é fácil comparar Rio de Janeiro com Nova York. Vamos colocar algo mais perto então? Menos de 6 horas de viagem de ônibus ou uma hora de avião... Falo do metrô de São Paulo.

E diga-se de passagem, o metrô de São Paulo, por melhor que seja, ainda assim está em crise de superlotação. O do Rio de Janeiro está chegando perto do total estufamento e a única solução que deram foi improvisar um "puxadinho" da linha 2 para a linha 1 fazendo o metrô RJ virar um enorme retão, pegando TODOS no trajeto e enfiando no centro da cidade.

Esperam que dê certo. Duvido muito, mas... Fazer o que?

Metrô de São Paulo

O Rio de Janeiro precisa investir muito no transporte sobre trilhos se quiser ao menos ser comparada com São Paulo, ainda mais considerando todo o crescimento econômico e a migração que ocorrerá decorrente do aumento do fluxo de construções e de caixa.

Não é brincadeira, ao contrário do que as gargalhadas de nossos governantes fazem parecer. É preciso fazer em 7 anos o que não foi feito em 32 anos.

Gostaria de acreditar realmente que algo saia, mas depois de 28 anos vividos nessa cidade e ver que inauguração de estação de metrô virou evento solene (com direito a festividades) quando deveria ser corriqueiro só me faz temer mais ainda pelo que trará o legado de 2016... Ou seria melhor dizer "largado"?

[insistindo]omo impedir isso?

Primeiro esperando que passe o projeto "Ficha Limpa" sem nenhuma distorção - conforme prega o Arthurius - e depois, mesmo que não passe, votando em quem está comprometido mais com bom mandato do que em aparecer na televisão. Isso, claro, exige fazer algo que o Brasileiro não faz desde pequenino: se informar.

Ou seja, ler.

Infelizmente a moda agora é ter 140 caracteres e nenhum conteúdo.

Pense nisso.[/insistindo]

Em tempo, escrevi esse artigo ontem, junto com o anterior, e olhem a capa do Extra de hoje:


Um comentário:

  1. Pois é meu camarada.

    E o tal do trem bala?

    Prometeram para 2014, se começar logo, sendo que em todo perímetro urbano no caminho, daqui até SP, ele teria de ser subterrâneo.

    Daqui para 2014!

    E tem gente que acredita...

    ResponderExcluir

Cuidado com sua postura ao comentar:
A responsabilidade pelas opiniões expostas nessa área é de de seus respectivos comentaristas, não necessariamente expressando a opinião da equipe do Pensamentos Equivocados.