O irritante hábito brasileiro de não ler.

Obs:
1. Se você tem o costume de ler, obviamente esse artigo não é para você.

2. Se não compreende ironia, não continue.






Essa é a página do Google. Legal, não? Branquinha, poucos ícones e pouca letra... Contando, tem 46 palavras (ou posso ter errado). Exceto por ©2009 o resto é link ou parte de formulário, ou seja, só esse parágrafo já tem mais palavras comuns do que a página acima.

Se não é a mais, é com certeza uma das mais simples páginas da internet.

Todos os dias passo por isso:
- Pode vir aqui um instante.
- O que foi?
- Como pesquiso no Google?
- Só digitar o que quer e clicar em "Pesquisa Google".
- Você é um gênio (!!!), eu nunca saberia...

Ou nem tão educados:
- ESSE COMPUTADOR É UMA MERDA! NADA FUNCIONA!
- O que está havendo? - Pergunto.
- EU QUERO ENCONTRAR ALGO E NÃO DIZ PRA MIM!
- Basta clicar aqui.

Clico em "Pesquisa Google" e pronto! A mágica acontece!
- Você saca muito de computador! - Diz feliz.

E ainda tem isso (retirado do cotidiano de Telemarketing de Suporte, já escutei várias variantes dessas):

- Atendimento XYZ, meu nome é (insira o nome), boa tarde.
- ESSE SERVIÇO DE VOCÊS É UMA MERDA.
- Bom dia para o senhor também, em que posso ajudar?
- ASSINEI ESSA PORRA DE "XYZMAIL" E NÃO CONSIGO ACESSAR ESTA PORRA!
- Tudo bem, vamos começar o procedimento? Qual navegador o senhor usa?
- Meu computador...
- Qual seu Windows?
- Não sei.
- Onde está o botão iniciar?
- Não estou achando.
- O botão iniciar fica do lado inferior direito da tela.
- Achei.
- Clica nele, e vai aparecer o Internet Explorer, abra-o.
- Peraí... PORRA ABRIU O WORD.
- Vamos de novo, procure um íco...
- Achei! Abriu, e agora?
- Está em que site?
- Site? Que porra é essa?
- Página da internet.
- Eu to no computador! Se eu quisesse ler ia na "bibrioteca!"
- O que aparece na sua tela?
- Internet Explorer.
- Não tem uma área para digitar?
- Tem.
- Digita ali o endereço de nosso webmail, "aga te te pê, dois pontos, barra barra, dabliu dabliu dabliu...
- Desisto. É complicado demais, nem meu filho de seis anos conseguiria...
- O senhor tem um filho de seis anos?
- Tenho.
- Posso falar com ele?
- Duvido que o moleque consiga...

Cinco segundos depois o e-mail está aberto. Pelo garoto de seis anos.
Outra, parecida:
- Atendimento XYZ, meu nome é (insira o nome), boa tarde.
- Não consigo entrar no meu e-mail. Eu fiz tudo certo e não entra.
- Tem alguma mensagem de erro?
- Onde?
- No seu navegador.
- Tem que ler?
- (silêncio do operador de quase dez segundos - ou xingou ou colocou no viva-voz para compartilhar com a equipe, mas o momento de rir se foi)...
- Responde, tem que ler tudo isso?
- Tem, senhor.
- Peraí... "Internet Explorer"... "XYZMail..."... Aqui está escrito "sua tecla CapsLock está ativada".
- Tente apertar a tecla "Caps Lock", localizada ao lado da tecla "A" de seu teclado.
- Um momento... Peraí... Vamos... Foi! Foi!
- Tenha uma boa tarde.

Ou até algo mais simples, essa acontece comigo todo santo dia:

- Bom dia. - Digo ao entrar alguém.
- Bom dia, quero acessar a internet.
(procedimento de identificação e/ou pré pagamento)
- Agora... Só precisa escolher a máquina e ligar o monitor (hoje nem falo mais "monitor", falo televisão... e dá no mesmo). - Respondo.

A pessoa caminha, vai até o computador, senta-se e desliga a torre.



Não adianta.

Uma das prerrogativas principais para o acesso a internet (ou acesso a vida?) é: tenha consciência que vai ter que ler. E muito. Demais. Absurdamente. Não é porque a ferramenta da moda (e da qual a televisão só fala de uns tempos para cá) só permite escrever 140 caracteres que você vai conseguir escapar disso, muito pelo contrário.

Penso, mesmo com controvérsias de conhecidos, que o mínimo que uma uma pessoa teria que fazer para ter o direito de acessar a internet deveria ser : Ler um livro. Por qualquer que seja. E "ler" quer dizer não apenas "virar páginas" mas absorver algo da leitura. Até um livro de tiras da Turma da Mônica serve.

Aliás, a leitura deveria ser um hábito adqüirido desde a infância e repassado de pais para filhos do mesmo modo que os pais passam aos filhos seus vícios. Obter o hábito da leitura é algo fundamental a vida, ainda que não goste. Algumas vezes sua vida (ou sua moral, vide a placa ao lado) pode depender disso.

Uma pessoa que queira obter o sucesso só consegue lendo (antes que falem: ser Gari ou P*ranha não é um modo de ganhar dinheiro a longo prazo, e depois que a gravidade age, já não serve pra muita coisa).

É um fato atual, livro na sua concepção como palavra (a grosso modo: um conjunto de papéis unidos por um tema em comum), e não na idéia atual que se tem (enorme bloco de papel escrito por um "zé qualquer", tipo Paulo Coelho). Até o manual do PC serve. Para ter uma idéia, um dos manuais mais completos que li na minha vida, tem 206 páginas, do Dell OptiFlex 330.

Aliás, até para viver temos manual de instruções (o que seriam "leis" senão um manual de instruções da vida adulta?). Para poder sobreviver, assinamos contratos de trabalho, contratos de aluguel, contratos de operadoras de telefonia... Enfim, palavras, que muitas vezes são abusivas e que ignoramos o perigo nelas só porque "ler é chato". aliás, eu leio, você ignora e depois? chora.

E por mais chato, desinteressante e boçal que considere, lá estão as letras, dominando tudo a sua volta. Não dá para fugir da realidade. Ou você domina, senta a bunda na cadeira e lê ou vai continuar levando a mesma vida medíocre de sempre.




Livros, e letras, só vão te devorar se você deixar.

Por sinal, se você chegou até esse ponto e leu, você não é regra, é exceção.

E guarde sempre a resposta certa:


Se vier aqui na Rio Cyber e acertar, ganha balinha... =)

5 comentários:

  1. hauhauhauahuhaa.....
    Triste realidade...

    mas #euri com o início!

    ResponderExcluir
  2. Adoro ler, acredita?
    Eu leio até rótulo de sabonete, na falta de outra coisa.
    Mas, não leio por obrigação... sou uma curiosa confessa.
    Afinal, aprender não ocupa espaço, não é mesmo?

    Desenvolví o gosto pela leitura, desde muito cedo. São dois hábitos que mantenho até os dias de hoje: leitura e palavras cruzadas.

    Mas, sabe... essa coisa de não ler, já custou caro pra muito candidato, em provas.
    Muita gente já quebrou a cara, por não prestar atenção, nos enunciados das questões.

    E, quanto aos manuais de instrução, não sei o que seria de mim sem eles...rsrs

    Beijos, querido.
    Happy Halloween!

    ResponderExcluir
  3. Essa é uma triste realidade entre nós brasileiros mesmo... Muito bom esse artigo, cara. Quase morri de tanto rir... Só não entendi o final pois estava meio com preguiça... Rsrsrs

    ResponderExcluir

Cuidado com sua postura ao comentar:
A responsabilidade pelas opiniões expostas nessa área é de de seus respectivos comentaristas, não necessariamente expressando a opinião da equipe do Pensamentos Equivocados.