Os capetinhas do final de semana destruindo o ano novo. - Parte III

Os capetas encarregaram-se de montar minha cama
e a da minha esposa com carinho, vide foto.

Enquanto Dragus suava na cama, os capetas inspirados com a cena comeram marshimellows (sei lá como se escreve isso) esquentados obviamente no telhado de onde estava. Apesar de ter chovido a NOITE INTEIRA não senti em nenhum momento o frescor da chuva. Apenas um calor dos infernos.

Fato 1 sobre mim: Eu sou calorento. Não consigo dormir sem uma fonte de frio ou vento que não começo a suar como se estivesse me transformando em suor. Ainda que esteja frio, me livrarei de qualquer lençol durante a noite e dormirei sem nenhuma coberta, algumas vezes me cobrindo, mas esporadicamente. Não adianta. Eu suarei como carne na grelha, e no dia seguinte terei o toque de midas fedorento, onde tudo que eu toquei naquela noite se agrega a meu fedor e precisa de uma única coisa: água e sabão.

Fato 2 sobre mim: meu suor é absurdamente danoso a tecidos. Eu dissolvo meias. No auge de meu "dom" meias não duravam um uso, já estavam esburacadas na primeira vez. Nessa época nem mesmo o infalível polvilho da granado funcionava. E nem minâncora, antes que puxem do mesmo baú.

Diário de bordo do C.U., data An(u)al 31 de Dezembro de 2009.

Na primeira noite, eu estava cansado demais da viagem para pensar em qualquer coisa. A casa onde ficamos tinha 3 cômodos. Um do dono, outro do lado que por sua vez é ligado ao que fiquei por uma janela. O cômodo onde eu e minha esposa ficamos era parte do puxiadinho da casa, e por sua vez, era a parte da casa mais perto do amianto. Se colocassem uma grelha 0nde dormi no dia seguinte o cardápio da ceia de ano novo seria "dragus à pururuca".

Como de se esperar suei e suei tanto que ao despertar só não fui confundido com uma poça d´água (vide foto ao lado de minha representação, mas infelizmente sem o conforto do mar) porque os colchonetes e o lençol (e o travesseiro bob esponja) absorveram tudo. Levantei quase dez litros mais magro e fiz uma única coisa: beber água da torneira.

Não sabia se tinha água no filtro, mas quando fui tirar o suor do rosto meu corpo foi mais forte que minha mente e quando me dei conta estava usando a bica do banheiro de bebedouro. E sem me importar se é saudável ou não. Só depois disso fui informado da hora e fui tomar banho. Frio, mas na verdade quente.

O dia estava completamente nublado, chovia vez ou outra, mas estava quente. A casa estava quente, os canos estavam quentes, eu estava suando novamente. E logo depois de sair do banho.

Enquanto tomava banho me senti naqueles filmes de comédia. Quando entrei tinha muita água, quando saí tinha o suficiente apenas para tirar correndo o condicionador do cabelo (que precisava urgentemente se livrar do suor, pois estava se dissolvendo).

Sim, no final do meu banho tinha pouca água. Quando o primo de minha esposa saiu do banho não tinha mais nada no cano do chuveiro. Os donos da casa ligaram a bomba e saímos para comprar algumas coisas para a comemoração de ano novo. Refrigerantes, sorvete e uvas (essas desapareceram). Aproveitamos e almoçamos fora em Araruama. Quando voltamos quisemos novos banhos, mas ainda não tinha água.

Mais um gol para o time do C.U.

Capetas 4 X Dragus 1

- Deve voltar daqui a pouco. - Avisaram os donos. - Vão passear e na volta vai ter água.

Decidimos ir até uma sorveteria que tem na Praia do Forte, em Cabo Frio, e ficamos até quase anoitecer. Foi bom. Me empanturrei de sorvete e ainda conseguimos uma vaga boa da qual jamais consdeguiríamos uma equivalente em Copacabana. Pensamos em ficar e ver ali os fogos, mas queríamos muito tomar um banho e se vestir antes que os convidados chegassem.

Capetas 4 X Dragus 2

Reparou que falei muito de nosso desejo de tomar banho? Chegamos em casa as 8, e abrimos o cano. Nada. Seco. Meu aparelho de fax, prevendo o que viria a seguir, imediatamente me guiou até a privada. Conferi se tinha água, confirmando que tinha tinta para o fax, e pari meus bebês. Foi quando ouvir vaias em minha mente e senti jogarem pipoca em mim, mas não vi de onde vieram (com certeza do cinema do inferno).

Capetas 4 X Dragus 3

O jogo poderia empatar, e o final de ano não ser completamente perdido. Eu estava cansado depois de uma noite péssima de sono mal dormida e cada centímetro do meu corpo doía.

Fato 3 sobre mim: Se não durmo bem minha percepção da realidade é mais pessimista que o tradicional. Simplesmente perco meu humor e minha linha de tolerância social desce tanto que dá a volta no universo e bate na minha cabeça. Viro basicamente um ogro. Vide foto.

Mais leve por ter conseguido me livrar das provas de meus crimes, voltei para junto dos demais para ouvir o que já sabia.

A sisterna da casa estava vazia. Só poderíamos tomar banho no ano seguinte. Escutava em minha mente mal dormida cada uma das risadas dos capetas. Eu dormiria em um lugar quente e não poderia tomar banho, aliás, passaria a virada do ano com perfume de mendigo.

Não foi apenas um gol, mas dez.

Naquele momento apenas uma palavra se formou em minha mente, quatro letras que me trariam paz:

casa.

Capetas 14 X Dragus 3


Continua...

Um comentário:

  1. Li toda a saga e só posso me solidarizar com você. Meu natal foi bem parecido, ficamos sem água aqui em casa a semana toda e num calor dos infernos.

    Acredite; sei exatamente o que você passou.

    ResponderExcluir

Cuidado com sua postura ao comentar:
A responsabilidade pelas opiniões expostas nessa área é de de seus respectivos comentaristas, não necessariamente expressando a opinião da equipe do Pensamentos Equivocados.