Diário de um servidor: a burocracia.

Foto de São Paulo, que tirei em 2008.
(para minha pessoa SP representa esforço e sucesso profissional)

Para quem não sabe, repito...

Depois de anos de concursos públicos, ano passado passei em 5º lugar no processo seletivo para Administrador de Edifícios da UFRJ. Depois da felicidade veio a tensão absurda e logo após sobreviver da passagem de ano, recebi o telegrama de convocação, com a primeira reunião marcada para Janeiro, a posse ocorrendo em fevereiro, e com uma série de coisas para fazer entre burocracias e exames.

Me impressiona ainda que em plena era digital que alguns procedimentos precisem realmente de papel para serem realizados. Vou colocar aqui a epopéia pela qual passei durante todo esse período desaparecido, onde o estresse passado me fez sumir digitalmente porque não tinha criatividade nem para dar bom dia.

E haja burocracia.

Em 2009, no fechar do ano, o Ministério do Planejamento (MPOG) publicou no início de dezembro a portaria autorizando a nomeação dos aprovados ATÉ o dia 31/12/09. O MEC por sua fez, só só fez a sua parte no dia 24/12/09, publicando a portaria ordenando as faculdades que nomeassem os aprovados até o dia 31/12/09, conforme ordenação do MPOG. Todo mundo sabe que instituição de ensino só tem dois períodos o ano inteiro para tirar férias, ou entre Dezembro/Janeiro ou em Julho. Logo, TODAS as faculdades estavam operando em plantão, com pouca gente e com todo mundo longe (principalmente os que assinam autorização e dão ordens).

Enquanto a UFRJ se virava para publicar os nomes, eu sobrevivia ao ano novo.

Na primeira semana, no dia 05/01/10 foi publicado. Meu nome estava lá, e valendo-se de macetes a UFRJ publicou a nomeação retroativa a 31/12/09. Eu estava nomeado desde então. E a lei diz: servidor nomeado tem 30 dias para tomar posse e depois 15 dias para entrar em exercício. Loucura total para quem sabe como algumas coisas demoram.

Na segunda semana do ano recebi em Paquetá o telegrama de convocação comunicando da reunião no dia 11 para informações e outras notícias afins. Ao chegar lá a chefe do RH da UFRJ me passou a lista de documentos que precisava e o Departamento de Saúde do Trabalhador (DVST) a lista de exames (admissionais e complementares), e precisava entregar TUDO no dia 21.

E por que?

Fui nomeado no dia 31, pela lei no dia em em que recebi o telegrama já estava com meio caminho andado para começar. Eu tinha que tomar posse até o dia 03 de Fevereiro, ou ia dar merda. Toda minha documentação estava ok, aliás, tinha documento até demais na minha pasta. O problema seriam os exames.

Daí veio o estresse. Tinha dez dias corridos (sendo apenas 7 úteis) para resolver qualquer pendência e fazer os exames e recebê-los. Somente assim conseguiria o "APTO" do DVST, um papel que deveria estar com o RH até o dia de minha posse ou... Teria que fazer outros concursos.

Precisava entregar no DVST :
Hemograma com contagem de plaquetas, Glicose, Colesterol total e frações, Creatinina, Triglicerídeos, VDRL, Elementos Anormais e Sedimentoscopia (EAS), Exame Parasitológico de Fezes (EPF) e Exame Oftalmológico completo (pupilas, tensão ocular, motricidade ocular, biomicroscopia, refração, acuidade visual e fundo de olho) para todos os candidatos.

Ou seja, no dia 11 ao invés de comemorar, fiz jejum e no dia 12/01/10 de manhã planejei que estaria tirando sangue. O exame admissional ficou marcado para o dia 21. Para evitar problemas, imprimi a lista de exames, mas ao chegar no laboratório para fazer os exames descobri que precisava de pedido médico. Ou seja, no dia 12 não faria exames.

Isso mesmo, por uma questão burocrática eu precisava de uma solicitação médica. Uma consulta particular não sai por menos de 80 pratas, e não tenho dinheiro para isso. Logo...

Saí do laboratório e fui direto para a UPA 24hs da Praça Saens Pena. Daí você pensa: "são apenas dois pedaços de papel". Ledo engano. Passei 6 horas na fila, um jejum de 12 horas que comecei no dia 21 se transformara em uma tortura alucinante de quase 20 horas por causa de dois pedaços de papel (um pedindo para um laboratório e outro pedindo os exames de vista).

De posse dos papéis, almocei, voltei a fazer jejum e no dia seguinte, 13 de Janeiro, fiz os exames. E depois, no mesmo dia, o de vista. Descobri que minha visão perfeita não é mais perfeita, e que agora além de branquelo ainda serei quatro-olho, mas só pra descansar a vista.

O de vista saiu no mesmo dia. Os exames de sangue seriam entregues no dia 20, ufa, e no dia 21 levei os exames, fiz o admissional e veio a notícia do mês. Faltava o de glicose. A atendente do laboratório não sabia ler, ou algo assim, e não copiara para o pedido o de glicose. Teria que fazer MAIS JEJUM e me furar de novo. Pelo menos a médica do DVST me deu a solicitação e não precisei ir na UPA de novo.

Só no dia 28 consegui entregar tudo e receber o apto. Dois dias úteis antes da posse.

Dia 3 aconteceu a reunião da posse. Uma celebração legal e tudo mais, e fui apresentado a uma opção: começar no dia seguinte ou em até quinze dias. Se me apresentasse no dia seguinte já estaria recebendo desde o dia 3, se depois só desse dia em diante. E a pior notícia: só receberia em Abril, no segundo dia útil, porque a burocracia impede de ir mais rápido.

Ainda assim comecei no dia seguinte. Peguei o termo de posse e um papel para entregar o diretor da unidade onde trabalharei. Ele ia preencher esse papel, e eu o levaria de volta ao RH onde receberia um papel em resposta para entregar ao diretor. Parece RPG online? É... Se chama Burocracia Offiline, um RPG jogado por todos os brasileiros.

Daí você pens: por que dia 3? Motivo bem simples: carnaval. NADA funciona na semana do carnaval, e o prazo estourava no carnaval. E se fosse pedido MEU para protelar, meu salário diminuiria. Sendo do poder público, não afetaria minha remuneração, afinal de contas, apenas cumpria ordens. Logo, ia dar merda se eu enrolasse.

A aí surgiu o lado bom da burocracia. A UFRJ está parada, em regime de plantão, logo, no dia 4 fui na unidade, o chefe não estava. Voltaria apenas no dia 09. Me ligaram dia 09 para ir me reunir no dia 10. Fui, conversei e descobri que no carnaval não funciona e a pessoa que vai me ensinar está de férias. Só precisaria voltar dia 22 mesmo.

No mesmo dia fui no RH Central da Ilha do Fundão, terminei o processo burocrático e ainda pedi meu auxílio transporte. Acabou.

Agora é torcer para dia 2 de Abril eu receber mesmo, até então esmolo em casa para sair e detono minhas economias.

E, com a cabeça mais livre, volto a vida online.

Lembrando que além DESSA burocracia, ainda estive atarefado com a passagem da tocha da Rio Cyber para o PK Ninguém e para o Kakaroto (leitor/amigo).

Chega de papel... Por enquanto.

7 comentários:

  1. Complicado tudo isso.
    Quando eu entrei não tinha tanta burocracia. Médico examinava boca, apertava aqui e ali no corpo e mandava trabalhar.
    No município onde comecei primeiro recebi no mês seguinte.
    No estado, quatro meses depois.

    O importante é que já dá para saber que todo mês têm o salário na mão.

    E(isso é brincando) cuidar porque o Arthurius está sempre de olho na competência dos servidores públicos.

    Bom retorno!

    ResponderExcluir
  2. Essas pessoas que trabalham em lugares que se faz exames parecem ser todas meio lesadas... Fui fazer um exame simples. Urina, fezes e sangue. Ponto. Só esses 3. Eu não li nada, pra mim tava tudo certo, o médico fez a parte dele, eu fiz a minha o resto era só exame... Nada. Fiz o de fezes e o de sangue e o urina nada. Pq a naimal esqueceu de colocar isso.. Tive que ir de novo só pra fazer o de urina... Claro que... Não fiz até ontem, e isso já tem uns 5 meses. Sorte que era só rotina.

    ResponderExcluir
  3. Caraca,

    Deve ser problema da UFRJ mesmo, pois no MS não tive nem metade desses problemas. Foi simples e rápido. Apenas levei dois meses para começar a receber

    ResponderExcluir
  4. Voltei para dizer que este diário de um servidor, bem poderia virar um marcador aqui no Pensamentos, porque, por experiência própria sei que este assunto dá muito pano para a manga.

    Um abraço fraterno a todos aí!

    ResponderExcluir
  5. Fala Dragus! Preciso falar com você, mas não tenho te encontrado no Messenger. Procure a mim, Rob ou Tyler.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  6. MEU CARO VOU REALIZAR O CONCURSO PARA O MESMO CARGO QUE VOCÊ EXERCE HOJE, VOCÊ TERIA ALGUM MATERIAL DE ESTUDO PARA A PARTE DE ESPECÍFICA. DESDE JÁ GRATO

    RENATO ROCHA

    OBS: MEU TECLADO TA COM DEFEITO POR ISSO TEXTO NO CAPS

    ResponderExcluir
  7. Primeiramente parabéns, vou prestar concurso para o mesmo cargo que você ocupa hoje. Gostaria que me indicasse algum material de estudo para os conhecimentos específicos desde ja grato

    Renato Rocha.

    ResponderExcluir

Cuidado com sua postura ao comentar:
A responsabilidade pelas opiniões expostas nessa área é de de seus respectivos comentaristas, não necessariamente expressando a opinião da equipe do Pensamentos Equivocados.