A fábula dos 4 anos.


Era uma vez em uma terra distante chamada blogosfera...

Um (nada) poderoso e isolado dragão rosa decide que é tempo de descer de sua distante montanha. Para não assustar os moradores, assume uma forma humana que hoje em dia seria confundida com uma jabulami. Mas uma ENORME jabulami. E rosa. Junto com Nínguém parte em busca de novas aventuras.

Sem querer mostrar sua face o dragão percorre incógnito por entre as ruas das terras de blogosfera. Pensa não chamar atenção até que sente uma lança cutucar sua calça.
- Quem ousas? - Ruge o dragão rosa.
- Eu, sir Arthurius, de UATI! Vim enfrentar o dragão da corrupção!
- Não sou o dragão da corrupção... Mas...
- Como não? Não tem asas?
- Tenho.
- Não solta fogo?
- Na verdade gás...
- Gás?
- Deixa pra lá.
- Sim, entendo - protege o nariz sir Arthurius enquanto desde de seu cavalo de onde tem uma visão panorâmica.
- E além disso, sou rosa. O dragão da corrupção é vermelho-sangue-de-contribuinte.
- Pensei que tivesse desbotado.
- Vou te ajudar a procurar esse dragão.

Juntos o cavaleiro e o dragão seguiram para uma vila próxima. Na comunidade chamada Blogger Brasil encontraram inúmeras figuras interessantes. Um jogador de futebol mostra suas habilidades cômicas com a pelota enquanto tenta estimula-las a pensar quando dão gargalhadas.
- Porque tenta usar do humor para isso? - Pergunta o dragão rosa.
- Porque o céu é azul? - Pergunta o jogador de futebol.
- Porque sim.
- Está respondido, oras.
- Sou Dragus e procuro o dragão da corrupção, sabes onde o encontro?
- Sou Sir Deschart, e aqui na comunidade chamada Blogger Brasil só encontrará calotes em jogos, você é o primeiro dragão que vejo. E estranhamente rosa... De qualquer maneira os ajudarei em suas buscas, sempre encontramos assunto para blogar nessas buscas sem fim.

A dupla que agora é um trio caminha até que depararam-se com uma estranha movimentação. Diversas pessoas com roupas multicoloridas entravam em uma pequena rua.
- Onde vai dar esse caminho? - Pergunta sir Arthurius a um transeunte, um rapaz de pele negra e vestindo um terno, roupa incomum naquelas terras.
- Vai dar no Ghetto, onde estão fazendo um pequeno inventário de algumas coisas impróprias... - Responde.
- Obrigado, qual seu nome?
- Sou apenas um Negão Internauta de terras bem distantes... Da comunidade de EUTB.
- Será que encontraremos o dragão da corrupção por lá? - Pergunta sir Arthurius ao dragão rosa.
- Talvez. - Responde.
- Posso ir com vocês? Uma parceria é sempre bom... - Pergunta o Negão Internauta.
- Claro.

Ao chegar no local encontram um enorme teatro onde uma pessoa faz um enorme monólogo enquanto se trasforma em diversos personagens num piscar de olhos. Após merecidos aplausos ele pega um papel enorme e começa a discursar sobre preconceito. E nesse momento poucos ficam no teatro, mas ainda assim o homem não desiste e lê todas as palavras.
- ... Não importa que eu grite sozinho, mas ao menos gritei. - Concluí.
- Pelo espetáculo, e belo discurso. - Elogia o dragão rosa.
- Ninguém quer encarar os problemas. - Diz sir Arthurius. - Quanto mais seus preconceitos. Viste o dragão da corrupção?
- Não, apenas combato o dragão do preconceito, uma luta por vez.
- Quem és cavaleiro?
- Sir Max, de além do arco-íris.
- Gostaria de nos ajudar em nossa viagem contra esses dragões? - Pergunta o dragão rosa.
- Porque não?

Quando estão saindo de no Ghetto o dragão rosa sente bater em alguma coisa. Ele olha para os lados e não encontra nada.
- AQUI EMBAIXO! - Berra.
- Nossa! - Espanta-se o sir Negão Internauta.

É um pequeno homem, pouco mais alto que um hobbit, careca e de cavanhaque. Sobre sua cabeça há uma nuvem de chuva que relampeja sem parar, fazendo o careca sempre pegar um guarda-chuva. Ao lado dele está uma pessoa igual, mas com quase o triplo de altura.
- Quem sois? - Pergunta o dragão rosa.
- Eu sou... Porque deveria te responder? - Pergunta o baixote, enfurecido. - Você pisou no meu pé!
- O que posso fazer para que me perdoe?
- Está vendo aquela padaria ali? - Aponta o nanico, saltitando. - Mandei meu estagiário escudeiro comprar café ali e carolinas, não trouxe uma coisa nem outra. Aliás, meu, ele comeu tudo. Se me trouxer carolinas, café e um cd do heavy metal está perdoado.
- Mas para quem peço essas coisas?
- Para você mesmo, se pedir para o pequeno grande homem, o serviçal do mal vai sorrir e não vai entregar o que pedir. - Avisa o acompanhante.
- Prazer, Dragus. - Diz o dragão rosa, apertando a mão do acompanhante.
- Varotto.
- Sir?
- Ainda estou treinando... Falta muito para isso. Mas eu me esforço! Agora sou apenas um pistoleiro.
- E minhas carolinas? - Cobra o pequeno.
- Vou buscar.

O dragão rosa vai até a padaria e volta com o pacote. Entrega-o ao nanico, que olha voraz para a combinação de café e carolinas. Quando está para colocar o doce na boca ele tropeça - sem andar. - cai, e os doces rolam pelo chão enquanto o café artente lhe dá um banho doloroso que o faz gritar e correr em torno dos presentes, atraindo uma multidão de pessoas que apenas divertem-se com seu sofrimento.
- Ô FASE! - Berra cheio de dor.
- O Sir Rob Gordon é assim mesmo. - Explica "Quase"-sir Varotto.

O enorme grupo passeia por inúmeras comunidades da blogosfera. Juntos arregimentam prêmios e disputas com outros cavaleiros. E mais cavaleiros se juntam a busca de mais dragões.

- Vamos embora, companheiros? - Pergunta sir Arthurius. - Não vejo mais nada que possamos fazer aqui nas comunidades de blogosfera.
- O que faremos?
- O mundo da blogosfera foi tomado pelo dragão da discórdia e do plágio. - Discursa Sra Izaberun, uma das cavaleiras que juntou-se durante as viagens. - Que cada um de nós siga seu caminho para destruir seu dragão...
- Mas sempre juntos. - Fala sir Negão Internauta. -Porque juntos somos invencíveis!
- Claro. Sempre juntos. - Concorda Sir. Tyler, que carrega em seu corcel sua princesa Marcela, resgatada do Dragão Prolixo.
- Para onde então? - Pergunta o dragão rosa.
- Para a internet! - Berra sir Arthurius, enquanto abre um portal e galopa para dentro dele.

Os cavaleiros um a um partem, mas sempre juntos. Enquanto cavalga Dragus olha para trás e espanta-se ao ver que diversas outras pessoas agora estão ao lado deles.
- Quem são? - Espanta-se o dragão rosa.
- Nossos seguidores. - Explica o Negão Internauta. - Parcerias trazem seguidores, que trazem parcerias.
- Mas...
- São nossos leitores, o que temos de mais precioso. - Diz Sir Rob Gordon, galopando com seu pequeno pônei. - Sem eles o que somos?
- Verdade... Só somos o que somos por causa deles.
- Sim. - Concordam os cavaleiros.
- Quatro anos de luta! - Espanta-se Dragus, olhando para trás mais uma vez.
- E é apenas o começo. - Diz Ninguém, montado em seu corcel negro ignusrante.
- Sim.

E os cavaleiros seguem suas lutas pessoais. Sempre juntos. Aonde daria? Isso é outra história...

8 comentários:

  1. Acabei de dar muita risada e uma frase em particular tirou lágrimas de risos dos meus olhos: "Diz Sir Rob Gordon, galopando com seu pequeno pônei." hahahahahaha
    Muito bom!

    Parabéns pelos 4 anos, Dragus!
    Bj
    =D

    ResponderExcluir
  2. Pônei é sacanagem das g... Bom, não das grandes, mas é sacanagem.

    Cara, este é o tipo de post que dá pena de chegar ao final. Mas, como Ninguém disse... "é apenas o começo".

    Texto fudido. Honrado de estar ai.

    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Eita, não conhecia o blog, parabens, gostei.

    Carlos Cruz

    ResponderExcluir
  4. Há uns dois dias estou lendo e relendo está fábula. Fiquei a viajar na leitura e a lembrar com carinho de quando tudo começou. Naquela época e até hoje eu tenho medo do "comente no blog acima" das comunidades do orkut.

    Não ia comentar porque estou sem inspiração, mas não poderia deixar de registrar que tanto você quanto Arthurius traduzem o que há de melhor no fato de poder ter um blog. Posso ler aqui e sentir que através da linguagem podemos construír sonhos, compartilhar sentimentos e aliviar a alma.

    Orgulho enorme de fazer parte desta história, mesmo que tenha mudado tanto de blog.

    ResponderExcluir
  5. Pois é seu moço.... e assim, de luta em luta, vamos levando... 04 anos já? Eita... o tempo passa rápido... o meu completa 04 somente em dezembro... bah, somente... está quase aí já!

    Com certeza, uma das melhores coisas que conquistamos com a Internet seja essa possibilidade de "encamparmos uma cruzada" reunindo seres que com certeza dificilmente encontraríamos se não fosse por essa "janela" estranha!

    Fico feliz e honrado por fazer parte deste círculo! Embora o "além do arco-íris" tenha pesado um pouco.... mas, valeu por ter lido sobre o pônei do Rob!!! rs

    ResponderExcluir
  6. Legal demais, isso.
    Puta orgulho de fazer parte dessa.. horda?
    Seja o que for, puta orgulho mesmo!

    Vocês são grandes!

    ResponderExcluir
  7. Poderia dizer que estou honrado em ter sido citado, mas na verdade estou envergonhado (de verdade!)por não me achar merecedor de fazer parte de tão nobre conto (mesmo sendo só um quase...). Ainda mais por conta daquilo que eu um dia ousei chamar de blog, mas que na verdade foi só uma tentativa da tentativa de me elevar ao grupo.

    Enfim, de qualquer forma, obrigado por me deixar envergonhado e parabéns pelos quatro anos e, principalmente, pelo que você conseguiu fazer deles.

    P.S. 1: O encontro, na caverna do hobbit, para estraçalhar algumas peças de carne está em com tudo em cima. Estou negociando com o nobre jóquei de pônei uma data em meados de setembro. Não me deixem só!


    P.S. 2: O céu é azul por conta do processo denominado "Dispersão de Rayleigh", que descreve como a fração azul da luz solar é dispersa multidirecionalmente quando entra em contato com a atmosfera, por conta de seu pequeno comprimento de onda. Você sabia?

    ResponderExcluir
  8. Para mim, escrever é a mais sublime forma que a criatividade conhece para se externar. O seu estilo é diferente do meu, talvez por isso tenha me cativado.
    Não consegui segui-lo (habilidades fraquíssimas com internet), mas sempre que puder estarei comentando.
    Abraço

    ResponderExcluir

Cuidado com sua postura ao comentar:
A responsabilidade pelas opiniões expostas nessa área é de de seus respectivos comentaristas, não necessariamente expressando a opinião da equipe do Pensamentos Equivocados.