Carta de Despedida



A quem ler estas linhas mal escritas, peço que as leia com carinho e atenção. Com toda a certeza enquanto lê essas pobres palavras já não mais pertenço a este mundo, ao menos não minha alma. Não se preocupe, pois em breve estarei em um bom lugar, rodeado por pessoas que assim como eu, deixaram está existência. Mas devido ao meio ao qual deixei de pertencer a este mundo, talvez demore um pouco a encontrar o descanso eterno.

Sim, escolhi por conta própria extinguir a chama da minha vida, o motivo? Não suportar mais as mazelas da vida. Não tenho mais motivos para continuar aqui: nesse tempo em que vivi, nada construí, o pouco que tenho se deteriora perante meus olhos, meus amigos quase não os tenho mais, desempregado e atolado em dívidas não consigo sustentar nem a mim mesmo e, também, por conta disso, meu casamento está indo de mal a pior.

Sei que tomei uma atitude covarde, fugindo da forma mais simples de meus problemas, mas peço que entenda, somente assim deixo de causar preocupação e problemas aos poucos amigos que me restaram e também a minha família e a mulher que amo.

Cometi muitos pecados, menti, roubei, mas é chegada a hora de pagar por todos eles...

Adeus...



As lágrimas escorriam dos olhos de Jorge ao ver a carta de despedida presa nas mãos já rígidas e gélidas de sua esposa, seu desespero era incontrolável. 

Jorge era ator, estava há muito tempo desempregado e as dívidas só aumentando, sentiu-se imensamente feliz quando fora convidado a participar de uma peça teatral. Naquele dia acordara cedo para assinar os contratos e receber um adiantamento, mas antes de sair releu uma parte em especial da peça, uma carta que seu personagem deveria ler durante a apresentação. Esquecerá-a em cima da mesa quando saiu. Ainda não havia contado a sua esposa, queria fazer-lhe uma surpresa, só contaria depois de tudo acertado e confirmado.

Pouco depois, sua esposa foi arrumar a mesa e ao ver a carta, tomada pela curiosidade, leu-a com grande atenção. O choque foi tamanho ao ler aquelas linhas que não suportou a dor que sentia. Jorge agora chorava desesperadamente ao lado do corpo de esposa que com uma das mãos segurava a carta e com a outra uma faca com a qual havia tirado a própria vida, ao pensar que aquela carta, tratava-se da carta de suicídio de Jorge.

3 comentários:

  1. Uma verdadeira obra prima. É por essas e outras que não deixo de ler este blog.
    Conteúdo genuíno é tudo o que gosto e escrita inteligente é o que me atrai.

    Belo e assustador. Dramático e realista.

    Saudações PK!

    ResponderExcluir

Cuidado com sua postura ao comentar:
A responsabilidade pelas opiniões expostas nessa área é de de seus respectivos comentaristas, não necessariamente expressando a opinião da equipe do Pensamentos Equivocados.