Não existe oposição.

Ontem exercitei meu martírio semanal de assitir/ouvir um pouco do canal da TV Senado e do TV Justiça.

Na TV Senado vi a discussão em torno da aprovação de uma PEC que visa agilizar a tramitação das Medidas Provisórias dentro das casas (útil por sinal, quando você pesquisa a respeito).

E na TV Justiça vi o julgamento da extradição do Battisti, uma verdadeira troca de elogios entre nossos máximos representantes da lei e da ordem no Supremo Tribunal Federal (onde um dia espero trabalhar, não como juiz, claro).

Mas o que marcou meu dia foi o modo belo como oposição e situação lidam uns com os outros. Sou uma pessoa que definitivamente nasceu no ano errado. Vide que, por exemplo, meu gosto musical praticamente está situado nos anos 80 (considero pouca coisa de hoje em dia menos do que lixo), apesar de ter nascido em 1981 - ou seja, deveria gostar da música de adolecentes dos anos 90. Tenho uma moral arcaica, faço coisas estranhas aos habitantes da Terra como dizer o que penso e não me visto em casa como se estivesse na rua porque na televisão as pessoas se vestem como se estivessem num desfile de moda. E isso inclui minha visão política.

Ver oposição e situação trocando afagos ao invés de ofensas me faz temer pela nação. Você pode até querer e desejar que nossa classe política se comporte como se fossem lordes ingleses, mas na inglaterra o povo de lá possui discernimento e uma cultura tal que se um deles sai da linha o cara se não for preso no mínimo tem sua vida política/pública interrompida por um longo tempo (quando não tem que fugir do país porque lá só a religião perdoa).

Aqui vê-los em paz significa que ninguém ali está perdendo. E se no jogo nenhum deles está perdendo, adivinha quem está perdendo? Adivinha? Vai no banheiro, olha no espelho e você vai encontrar. Provavelmente vai notar que essa pessoa trabalha a maior parte do ano trabalhando para bancar os excessos dessa galera.

Quer ver? São Paulo é governado pelo PSDB, tecnicamente um partido de oposição, não é? Recentemente organizaram a Marcha da Maconha e como de se esperar o pessoal da marcha ficou de olhos vermelhos. Só que não foi de maconha. Foi do gás lacrimôgênio (e outros artifícios mais violentos) da polícia de São Paulo usado para dispersar a passeata para atender a vontade da justiça paulista sobre a tutela do governo PSDB. O mais irônico disso é que na mesma semana o Fernando Henrique Cardoso, um dos caciques do PSDB estava fazendo marabalismos justamente a favor da mesma causa. Basicamente o vento que venta no alto da torre não venta no chão da fábrica, né?

E do lado esquerdo da força? Lá onde a foice e o martelo se encontram? A mesma coisa. Quem disse que a esquerda pensa diferente? Enquanto estudante em São Paulo apanha porque quer regularizar seu baseado, os bombeiros do Rio de Janeiro são metralhados com balas de borracha pelo Governador Sérgio Cabral (ordens diretas, com direto a serem chamados de "vândalos") só porque estão pedindo o cumprimento de promessas eleitorais do Lula, Dilma e do Cabral quando ganharam a olímpiada e disseram que iam criar um piso nacional para a segurança pública, visando Copas e Olímpíadas, coisa que está parada lá no congresso.

Daí eu te pergunto, você que defendeu o PT com unhas e dentes... Você que interrompeu aulas na faculdade pelo PSTU e vê seu candidato indo pro PSD se juntando ao cara que xingava... Você que brigou com seu vizinho sobre a bolinha do Serra... Você que briga por seu partido e perde amigos por gente que efetivamente só se importa com o imposto que você/nós paga/pagamos para bancar seus aumentos... Vale a pena perder tempo por essa gente?

Eu creio que não.

Só se fosse para tirá-los de lá.

Na porrada.

3 comentários:

  1. Eles fazem a política do ganha-ganha, o que é algo sempre desejável, porém fazem entre eles, e não entre eles e nós, os cidadãos, que somos a outra parte desta história.
    Política é sim uma coisa muito boa e legal, espero que um dia isso possa chegar lá em Brasília.

    ResponderExcluir
  2. Meu querido! Em termos políticos minha decepção é tão grande que dá até vergonha ter que falar sobre o assunto na web.
    Leio sobre o assunto apenas os blogs dos velhos amigos, você incluído...
    Não sei onde vamos parar e nem que futuro terão nossos filhos e netos.
    Uma pena porque parece que nem nossos filhos e tampouco nossos netos estão preocupados com isso.
    Beijos e me alegra o retorno. Estou sempre por aqui lendo.

    ResponderExcluir
  3. Pois é, enquanto muita gente continuar a pensar que política é uma "coisa chata" de gente revoltada e sem vida, o Brasil irá continuar do jeito que está.
    Tem uma frase muito boa sobre isso que diz que o castigo para aqueles que não se interessam por política é que serão governados por aqueles que se interessam.
    Até mais.

    http://www.fantasticocenario.com.br

    ResponderExcluir

Cuidado com sua postura ao comentar:
A responsabilidade pelas opiniões expostas nessa área é de de seus respectivos comentaristas, não necessariamente expressando a opinião da equipe do Pensamentos Equivocados.