Quem está no Barril da Cachoeira?


Não acredito em políticos. De forma alguma, depois de alguns anos votando os fatos noticiados mostram que não existe oposição ou situação, e a possibilidade de exceções na nossa política são cada vez menores, se é que existem.

Uma das primeiras coisas a me acordar foi quando entendeu-se que os partidos políticos (entidades privadas que se fantasiam de públicas, mas são verdadeiras caixas pretas) eram os donos de fato das cadeiras eleitas (e não quem foi eleito de fato pela população), a possibilidade de existência de exceções foi multiplicada por 0.  

A segunda foi o decorrer do governo Lula e os pormenores da crise do mensalão. Onde apesar da grande mídia querer colocar a culpabilidade da coisa no governo PT o fato em si tivera origem em governos de partidos declarados de "oposição" (isso para não relembrar o PC Farias, puxando lá no fundo do baú da nossa democracia recente).

Daí vamos descer Cachoeira abaixo.

Esse individúo faz parte (não necessariamente lidera, apesar da imagem que vendem) de um esquema de troca de favores ilícitos em escala nacional que envolve o que é de conhecimento de qualquer um que acompanha política: financio sua campanha (seja com dinheiro ou com, digamos, "serviços") e em troca você me favorece em licitações.
Veja, por exemplo, que o atual governador do Rio de Janeiro (e dono do PMDB local, um partido de situação) é padrinho dos filhos de um dos que está curtindo no barril do Cachoeira (1). Traço paralelo com Don Corleone (aquele mesmo, do filme O Poderoso Chefão) em que o ato de "apadrinhar-se" faz com que pessoas estranhas tornem-se parte da grande família (e que não é a do programa de TV).

Daí, ciente que dentre os políticos envolvidos nas denúncias divulgadas existem inimigos declarados unidos por um bem maior (o dinheiro) voltemos olhos para a CPMI (ou CPI, sei lá que batismo deram para isso). Pontuando (do que divulgou-se na imprensa) compreende-se melhor:
  1. Os dados da investigação envolvem muitos mais políticos do que os divulgados e de todos os partidos (2);
  2. Os dados correm em segredo de justiça e apenas comissões teriam acesso a essas (3);
  3. Dentre um dos elementos participantes está um que tem experiência collorida nessa área da troca de influências (4).
Com base no divulgado, tudo leva a crer que O objetivo da CPI é apenas um: descobrir quem são os investigados.

Eles não querem julgar ou condenar seus pares, não almejam melhorar ou hgienizar o legislativo, o único e verdadeiro objetivo é obter as informações que possuem dificuldade para obter sem gastar muito. Evidentemente sai caro subornar/coagir a esmo funcionários e membros do STF para acesso aos documentos sigilosos quando a lei dispõe de mecanismos que permitem oficializar tal prática e de "graça".

Porque quando o rio que alimenta a cachoeira tiver secado e a barragem da memória brasileira garantir que ninguém se lembrará é certo que os que encheram seus copos da agua dessa fonte de dados obviamente as utilizarão pelos próximos anos uns contra os outros para perpetuarem seus esquemas.

Ou os muitos envolvidos as usarão para fugir para (insira o país de preferência).

E você ainda acredita em partidos?

Referências e Fontes:

3 comentários:

  1. Meu querido, você é uma exceção. Sendo de Brasília como sou e tendo vivido anos importantíssimos para a política nacional, mesmo que não quisesse ou me importasse, a política e seus interesses derivados estariam em meu sangue. Fico muito feliz quando vejo gente que não foi criada no meio dessas fogueiras de partidos falando sobre política de uma maneira tão lúcida e ao mesmo tempo me pergunto: como convencer/conquistar/alertar a toda gente que política é assunto mais importante que novela ou jornal nacional?

    Com certeza, textos como os seus podem ser utilizados para ilustrar que há, sim, espaço para discussão política numa linguagem que em nada foge ao trivial e que pode engajar todo mundo que tem um mínimo de juízo ou preocupação com os rumos do nosso país. 99% deste comentário ao seu post é mais referente à sua postura em geral que ao post em si.

    Quanto ao post... Partidos... sem querer ser esquerdista, comunista ou outros istas (pois estou mesmo longe de ser qualquer destas coisas), os partidos viraram franquias. Quem quer conquistar um território X compra um pedacinho e assim as coisas vão se desenvolvendo. Já vi muita gente boa ser prejudicada pela legenda e vice versa. Cabe mais uma vez a nós, que pagamos impostos absurdos, a fiscalização não só partidária mas ideológica dos indivíduos independente de partidos ou ideologias.

    Meus parabéns a você que tem a força, energia e vontade de cutucar a ferida. Lendo seus textos eu me sinto só um velho bêbado esperando a próxima revolução chegar pra mudar alguma coisa. E não sendo nem velho nem necessariamente bêbado em tempo integral, sei que essa revolução não virá. Uma pena.

    E como os comentários aqui são moderados, me senti livre para escrever num tom mais pessoal, portanto, após ler estas porcas palavras, pode apagar. Não estou aqui para dar uma de interado ou interessado, só queria compartilhar estas palavras contigo mesmo. Aliás, se você chegou até aqui no texto, parabéns.

    Força sempre,

    Helinho

    ResponderExcluir
  2. A CPI é uma grande farsa. Só foi pra frente porque Lula achou que podia captar votos com o desgaste do PSDB - seu rival paulista - pela participação de Marcone Perillo (PSDB/GO)no esquema. Daí o empenho repentino do PT na coleta de assinaturas.

    Mas, a medida que os nomes de Agnelo Queiroz (PT/DF), Sérgio Cabral (PMDB/RJ) e outros governadores da base (e políticos do PT) começaram a aparecer também, Lula mudou de ideia e tentou sustar a CPI.

    Diante do enorme desgaste político que isso acarretaria para as ambições eleitorais do partido, os próprios petistas resolveram levar a CPI a cabo, mas dentro "de um controle". Foi essa a forma de torná-la inócua e de só trabalhar em cima de quem já estava envolvido pela mídia.

    Daí a ausência de debate sobre as doações milionárias de Cachoeira para a campanha de Dilma e as Ligações de José Dirceu (é consultor) com a Delta.

    É tudo fruto do mesmo lodaçal.

    ResponderExcluir
  3. Caro Ricardo,
    Parabéns, pelo belíssimo texto. Você escreve com a alma do povo brasileiro.
    Voltarei sempre para ler os seus textos.
    Abraços.
    http://didimogusmao.blogspot.com.br/2012/07/cronica-historia-de-adao-e-eva-autor.html#comment-form

    ResponderExcluir

Cuidado com sua postura ao comentar:
A responsabilidade pelas opiniões expostas nessa área é de de seus respectivos comentaristas, não necessariamente expressando a opinião da equipe do Pensamentos Equivocados.