Comentando Comentários sobre Favelização.

Vendo que existiram pontos que não ficaram claros, ou mesmo a participação dos comentários que enriqueceram mais a situação como um todo, vou abrir um espaço para responder comentários dos próprios usuários, não todos, pois foram bastantes (e não esperava tanta repercussão, que já superou a divulgação) escolhi alguns que pensei em responder direto, mas que considerei melhor colocar aqui, em aberto...

Agradeço pelas opiniões a favor ou contrárias e torno a lembrar que o enfoque principal foi em cima do problema não em cima dos afetados. E para essas soluções, ainda tenho muito pano na manga, como podem ver pela evolução dos dois artigos.

Dando início aos comentários dos comentários... Em ordem cronológica e ao invés de copiar o texto, tirarei prints de modo a preservar sua originalidade (caso tenham interesse, me mandem os links de seus blogs principais que os coloco em seus nomes ao invés de links para perfis):


Nanda, a resposta (ao menos a minha) a questão que refere, ao menos a que coloquei está num trecho do próprio post, que provavelmente não deve ter lido, que é essa:
"Havendo em ambas as utopias habitantes em número que possam habitar imóveis construídos, faz-se uma retirada ou um acampamento dentro do próprio sítio de obras para que sendo essas concluídas recebam seus apartamentos e seus títulos de propriedade, ao invés do que acontece em outros processos similares, onde os moradores são removidos e mandados para onde judas perdeu as meias (pois as botas ficaram antes). Se ultrapassar a quantidade, refaz-se o projeto visando a acomodação de todos."

Pode não ter ficado claro, mas o que quis dizer é: ficariam onde estão. No máximo permaneceriam em locais próximos ou dentro do bairro (como escolas ou mesmo em alojamentos temporários no próprio pátio de obras) e depois seriam alojados dentro da construção legalizada, sem nenhuma mudança para locais distantes.


Interessante, Eduardo. Essa informação não possúia, grato pela contribuição. =D

E concordo quando se refere ao problema do transporte público, até mesmo pincelei a respeito no final, mas o problema é que investir apenas em expandir o transporte não funciona se o preço dele se alargar também. No Rio de Janeiro, a Capital, o metrô custa atualmente R$ 2,30, é um preço alto e que não é considerado por patrões em negociações de vale transporte, exceto quando o metrô substitui duas linhas de ônibus (pois o ônibus custa R$ 2,10 o comum) e cai no dilema do transporte não ser mais de massa, mas de escravos ou para a "elite" que consegue gastar algo fora do esquema casa-trabalho-casa a que o brasileiro está sendo submetido dia a dia por causa dos custos de deslocamento.



Aventureiro X, morei por dois anos em um lugar chamado Ilha de Paquetá e os restantes indo para lá alguns finais de semana. Até o início dos anos 90, antes do Collor, era tido como um lugar para elites, como eram alguns lugares que hoje em dia são considerados favelas mesmo não sendo. Não é exatamente uma favela, mas dada determinadas situações, é pior até mesmo que a favela onde sua família morou e sei a qual se refere. =p

Paquetá não tem hospital, não tem transporte público, a única forma de sair de lá é de Barca, que custa onerosos R$4,00 e tem alguns horários fixos entre 5h15min e 22h15min para sair de lá, caso contrário estará isolado e se precisar de algo com urgência a única coisa que virá em seu socorro é a morte. É um lugar muito mais isolado, sofrido e abandonado do que o lugar que vive será, mesmo porque a imprensa ao menos cita dia sim e dia não e políticos tem interesses em dar pitacos porque rende votos. Paquetá só rende problemas.

A única coisa que Paquetá não tem atualmente é a violência do tráfico, mas isso não é vantagem nenhuma. Tem invasões de casa, velhos que são espancados por piratas (bandidos que vêm no escuro da noite para invadir casas desertas ou com habitantes idosos) e em paralelo têm problemas com conta d'água mesmo pagando conta, tem problemas com a rede elétrica, ruas escuras e um custo de vida muito alto e assim como nas favelas maiores a maior parte das residências tem problemas documentais ou em virtute de inventários intermináveis ou por coisas com a prefeitura que duram anos (como a missa de obter RGI). Te garanto que é pior que grande parte das favelas do Rio.

Se ainda não for suficiente, o que acredito que não seja, posso dizer que o meu companheiro de blog, o Pk Ninguém, viveu em comunidades, uma delas na Ilha do Governador, e atualmente vive aprisionado na Ilha preferindo mil vezes ir para onde morava antes do que estar onde está, mesmo sendo teoricamente mais seguro. E o pior, ele convive dia a dia com a Secretaria de Saúde e sabe o quão precária é a coisa em Paquetá. E mesmo assim Paquetá tem favelas, e as tem porque pessoas empregadas pelos patrões de lá não tinham como trabalhar pois na época que as favelas surgiram não haviam residências baratas em Paquetá - quando a Ilha prestava - e agora estão presos lá sem poder nem dizer onde moram para não serem ignorados na fila para obter emprego.

Eu tenho experiência em comunidades, como pode ver. =p

Acredito apenas que fui mal interpretado e não dei visão de fora, pois tenho quem consultar a respeito e que por sua vez tem uma bagagem triste sobre essa visão.

Se seus pais tiverem:
- A Escritura do local onde moram lavrada em cartório;
- O RGI (pois pagar IPTU não quer dizer que está regularizado para a lei carioca, o que aprendi de forma chata);
- Paguem a conta da Light,
- Paguem a conta da Cedae;
- Paguem a Net/Sky (se tiverem);
- Etc;

Se tiverem, eles não se encaixam no post, não há nem porque defendê-los. Não direciono para quem é legalizado, mas quem não é. Pois podem ser considerados criminosos de alguma forma, mesmo que sejam pessoas retas, de moral inquestionável e que só estão onde estão porque a vida foi ingrata. Sei que nem sempre querer é poder, mas existe sim moradores de favela que se vamgloriam de seu status ilegal e já escutei isso de um que morava no Santo Cristo, e depois disso passou a fazer "saída de banco" e hoje em dia é habitante do Cemitério do Caju.

Ademais, falei de lei e a lei não é flexível, flexível é quem a aplica. Em nenhum momento disse: "para mim" são criminosos. Disse apenas que segundo a lei o são.

E críticas são sempre bem vindas, elas fomentam respostas e me permitem ver onde não fui claro no que queria dizer. =p

E urbanização, no que propuz não é o que muitos propõe, que é pegar a favela e mandar para marte (!?), como respondi para a Nanda, acima, é transformar efetivamente favela em bairro e não apenas acimentar, pintar, colocar uma placa pra propaganda eleitoral e pedir voto.


Também não entendo, Arne.

No próximo post falarei exatamente sobre isso, não entendo como governos quando constroem casas populares (que parecem mais enfeites que casas) não fazem ao invés disso prédios populares. Cabe muito mais gente, com mais dignidade e pode ser feito dentro da própria comunidade, sem precisar usar áreas extremamente distantes e onerosas (para viajar, trabalhar, etc) como aconteceu aqui no Rio de Janeiro com a Cidade de Deus. É muito mais barato e até mais inteligente do que o que fazem sempre.



Lukkas, isso é um dos grandes males. Esse ano houve até uma polêmica onde moradores de áreas afetadas pela favelização (lê-se, a cidade inteira) protestaram e fizeram um compromisso de boicotar o pagamento de IPTU desse ano caso o prefeito não acatasse exigências ou revogasse o fim de um desconto que é dado na cidade para residências que ficam próximas de áreas desvalorizadas pelo caos urbano.

Acabou que ao invés de resolver a situação, iniciando contenções de crescimento em favelas ou mesmo iniciando obras de urbanização sérias em comunidades (não apenas, como digo direto, pintar, cobrir de cimento e colocar placas), o sr. prefeito optou por apenas revogar o aumento. No final, todos saíram perdendo. Os que moram em comunidades, que vão continuar morando em amontoados de cimento, terra e abandono, e os que moram nos bairros, que vão continuar vendo favelas crescerem descontroladamente por causa do jogo de empurra.

E sobre a solução ser Educação e Saúde, acredito que a solução mesmo seja o fim do analfabetismo político, que inclusive vi fazer presença nos comentários, onde existe gente que não procura saber sobre determinados assuntos quando deveria para saber em quem votar e, principalmente, em quem não votar.


E que venham, se houverem, as tréplicas.

E torno a agradecer pelos comentários recebidos. =D

Gostaria que esse debate ao invés de virar apenas discussão acalorada pudesse de alguma forma assumir outra forma, mas deixarei isso para outra oportunidade ou quem sabe, na próxima rodada de "Comentando Comentários". =p
Leia o Restante.

Favelização: Solução e Utopia. - Parte 2

No último post sobre o assunto, argumentei a respeito do que penso sobre favelas e do que pensa a lei a seu respeito, o que de certa forma serve de justificativa legal para a truculência não-justificada (um certo paradoxo, diga-se de passagem) na relação entre os três poderes, que são:
- O poder legalizado (País, Estado, Município, etc);
- O poder local (povo que habita, associações, etc);
- O poder que realmente manda (tráfico, milícias, bandidos, etc).

Agora para poder falar um pouco sobre como solucionar o problema das favelas, no meu ponto de vista, e provavelmente no de muitos (excetuando-se na lista os que se beneficiam com isso, como políticos, televisão, ONGs, polícia e moradores - todos na categoria corruptos) temos que primeiro focar nosso pensamento.

Foi uma coisa que aprendi na faculdade com alguns professores, se você quer procurar uma solução você primeiro precisa focar ela. Obviamente existem para cada solução pelo menos um problema que a invalida ou a torna no mínimo estranha. Por exemplo, o ser humano vivia em cavernas e passou a viver em casas, para isso precisou aprender a construir. Quando aprendeu a contruir precisou aprender a gerar a matéria-prima da construção e por aí vai. Se for pensar apenas no lado "ruim" da coisa, melhor nem começar a pensar, por isso, vou me focar apenas em propor a solução, no final da série de postagens eu mesmo vou me contra-argumentar com os "contras" do que proponho.

Para solucionarmos o problema das favelas primeiro precisamos entender como surgem. Com base no que vi e vejo acontecer durante meus poucos vinte e seis anos de vida, onde vi favelas nascerem do nada, pude constatar que existe um modo de nascimento-evolução-consolidação de uma favela que é igual, só variando o cenário em torno de algo abandonado (que pode ser uma encosta, uma fábrica abandonada, área vazia, enfim, um monte de lugar), ou que ao menos aparente, a figura abaixo exemplifica uma dos tipos:

Agora, explico cada um dos pontos:
1- Esse é o início de qualquer favela. Uma favela não nasce em terreno ocupado ou construído com fiscalização do dono, ele surge em um lugar abandonado por qualquer problema (como terrenos que se perdem em inventários infinitos ou tomados e abandonados pelo estado), ou em final de rua naquele ponto que dá comunicação com uma enorme área livre. Mas sempre próximo da rua e, preferencialmente, do trabalho.
2- O primeiro habitante se instala. Inicialmente é apenas um barraco pequeno, sem importância, com pessoas que raramente aparecem durante o dia porque estão trabalhando ou fazendo alguma atividade. Depois de alguns meses outros começam a ver naquele local uma possibilidade.
3- Pronto! Já surgiram novos moradores e os primeiros sinais da ocupação aparecem. Se for uma área verde, o verde começa a dar seus primeiros "adeus", pois está sendo sistematicamente substituído por moradias irregulares. É nessa etapa da favelização em que costumam acontecer mais acidentes e desmoronamentos em épocas de chuva (pois o ambiente não foi completamente coberto por cimento ou algo do tipo).
4- A favela está feita. Já existe um comando ativo e eficiente (seja ele na face de alguma ONG, uma milícia ou mesmo uma facção de traficantes) que dá ordens. Coloquei a vala para representar a ausência do poder público, onde os moradores usufruem de gatos mas não há uma preocupação (mesmo porque é impossível haver) com a qualidade ou mesmo com incidentes que possam ocorrer em virtude de gatos, valas, etc.

Agora, que coloquei como nasce uma favela, existem motivos históricos, sociais e uma série de outros com os quais não vou perder tempo e linhas, demoraria muito e seria fora do contexto (existem outras oportunidades para isso). Começo direto com a primeira solução, no próximo post coloco a outra, a mais complicada, para evitar um post muito longo.

Não entro em detalhes, como disse, são apenas propostas a grosso modo de combater sem prejudicar seres humanos, pois se baseia no fato de "se não existe como, não tem como ter.", apenas isso... Seguem as utopias. Em nenhuma dessas propostas proponho expulsão, pois considero a hipótese do terreno vazio e não dele com habitantes. Mas prevejo o caso em cada uma.

Utopia 1.0 - Impedir o Nascimento da Favela:
Uma favela surge em um terreno abandonado. A solução é simples, basta ocupá-lo. Existem muitos terrenos abandonados que precisam esperar cinco anos para que o Governo tome alguma providência. Em cinco anos uma favela nasce e se torna impossível construir algo. A solução é tornar o processo de desapropriação de terrenos abandonados mais rápido e permitir que Estados e Municípios possam utilizar os espaços para a construção de bens públicos. Ou mesmo alugar esse terreno para a iniciativa privada construir um condomínio, um shopping ou até mesmo murar e transformar em reserva, mas nesse caso existe uma solução melhor...

Utopia 1.1 - Cercar Áreas Verdes com Condomínios ou Muralhas/Acabar com ruas que dão para o mato.
Ao invés de abandonar encostas dentro das cidades e ver aos poucos pequenas comunidades pipocarem, cerca-se a região com prédios. Se não tiver como entrar, não tem como construir. Exemplo de lugar que até hoje sofre pouco com a favelização por esse motivo é a Lagoa, onde os morros são cercados de condomínios e as ruas não levam a entradas, ao menos não levavam. Hoje em dia já existe favela na lagoa.

Se existe uma rua, com ladeira e no final dela comunicação com o mato em forma de pracinha, remove-se a praça e constrói-se um condomínio. Isso impede que utilizem o espaço para construir as primeiras moradias e depois tudo evolua. Esse tipo de situação ocorreu muito no Rio de Janeiro por causa das muitas pracinhas que temos em final de ruas que levam até a floresta da Tijuca, por exemplo.

Havendo em ambas as utopias habitantes em número que possam habitar imóveis construídos, faz-se uma retirada ou um acampamento dentro do próprio sítio de obras para que sendo essas concluídas recebam seus apartamentos e seus títulos de propriedade, ao invés do que acontece em outros processos similares, onde os moradores são removidos e mandados para onde judas perdeu as meias (pois as botas ficaram antes). Se ultrapassar a quantidade, refaz-se o projeto visando a acomodação de todos.

Impostos, contas e tudo mais, ficam para o próximo post...


Agora que já me xingou, provavelmente me julgando um tirano ou algo assim, como alguns vão julgar, não pense em tudo que há por trás do nascimento da favela, pois eu mesmo sei que existem zilhões de motivos para favelas existirem, mas o que proponho aqui é uma utopia por vez, posso citar então uma outra utopia que também diminuiria consideravelmente a favelização:

(No próximo post colocarei mais uma, que provavelmente será maior que essa...)

A Maior das Utopias - Investir no transporte público.
Favelas existem para aproximar o trabalhador pobre do seu lugar de trabalho, não para afastá-lo. Os primeiros moradores não escolheram morar na encosta do morro porque era seguro e legal, tendo opções em bairros mais distantes, escolheram porque o patrão não aceita esperar mais de meia hora pelo funcionário. E o funcionário não tem como chegar em meia hora porque o sistema de transporte quando o onera demais, é lento.

(Transporte público, foto aleatória do Google)

Um patrão de Copacabana dificilmente contrata alguém que não more perto ou com apenas um metrô de tempo. Não contrata. E no desespero, ou o cara se submete a morar no morro ou consegue uma casa no caminho do metrô. Pagar vale-transporte é caro e o transporte público das cidades deixou há muito tempo de ser transporte de massas e virou transporte de escravos. Desempregados não conseguem viajar de um lado a outro da cidade, o preço impede até mesmo simples passeios. Sendo essa uma das causas principais da favelização a necessidade de mão de obra barata e que more perto.

No próximo post, que não será agora, pois darei um tempo no assunto (pois preciso desanuviar a cabeça), trato de soluções envolvendo favelas consolidadas e propostas de urbanização real e não apenas pintura+proteção de encosta, como acontece em programas de governo... Abraços.
_o/
Leia o Restante.

Favelização: Solução e Utopia. - Parte 1


No início do ano fui defrontado com um comentário a respeito de minha postura um tanto quanto enérgica sobre criminalidade e o assunto favelas (o primeiro post do ano). Ano passado cheguei a dar uma pequena pincelada no tema, mas sem me aprofundar, mesmo quando tive a oportunidade quando começaram as notícias em torno do PAC das Favelas.

Obviamente é uma visão completamente utópica, pois dependeria de uma série de fatores nos quais todos se iniciariam com o fim do analfabetismo político e a conseqüente maior preocupação dos governantes com a população, ou seja, nunca.

Vou começar o texto com uma opinião controversa, porque é meio inaceitável aos olhos de alguns:

Não existe o dito "favelado" que não seja de certo modo criminoso.

Antes das pedras, deixo uma coisa muito clara, uma coisa é lei outra coisa é a sociedade. Nem sempre a sociedade caminha de acordo com a lei e, vice-versa, nem sempre a lei de acordo com a sociedade. Lei é papel, não tem sentimentos, não abre exceções exceto quando seus agentes fingem não existir ou quando essa é revogada. Você pode não considerar, mas a lei considera. Basta apenas ler.

Por exemplo, se uma pessoa invade um terreno, constrói casa, nele se instala e não paga nenhum imposto, aos olhos da lei não é um pobre coitado. É um ladrão de terrenos. Se a pessoa não paga conta de luz, não paga conta d'água, não paga sua televisão por assinatura, não é um coitado, é furto de luz, água e sinal. A Lei brasileira não abre margem para as pessoas dizerem "não sabia", se está lá não pode, independente do fato de ter lido ou não.

Agora existem dois problemas nessa equação, inicialmente, e os dois envolvem o tema:
1- Existe o favelado que quer pagar imposto e ter tudo direitinho.
2- Existe o que gosta e conta vantagem, que ri da cara de quem lamenta não ter TV a cabo mas tem no barraco porque o dono da boca mandou o cara da Net colocar ou metia chumbo nos "prayboy" da rua... Isso só no caso da TV.

Agora, se existe o praxe sobre a maioria ser honesta, porque as comunidades não fazem acordos com as empresas e passam a pagar pelo que consomem, ainda que uma tarifa diferenciada? Afinal de contas, quem paga conta em dia, quem sofre é quem paga conta. E tem na sua tarifa a conta do gato de luz, do gato d'água e do gatonet, não o cara do morro que só banca "a firma"?

A pessoa que quer ficar honesta não fica porque tem medo.

Não existe em comunidades qualquer presença de autoridade, exceto quando a polícia vai prender alguém ou acabar com guerras de quadrilhas rivais.

O honesto, está entre a cruz e a espada.

A polícia não ajuda porque aos olhos da lei todos são criminosos, em outros graus, e autoridades competentes, que deveriam ajudar de alguma forma só aparecem de dois em dois anos com assessores, promessas, cestas básicas, líderes comunitários contratados e pedido de votos. Depois nunca mais voltam, aliás, voltam, nas eleições seguintes com as mesmas promessas vazias e suas cestas básicas.

E ai do morador da favela que ouse quebrar a firma ou burlar esse sistema... A quem trai a firma só existe um destino...

O destino de quem trai o movimento.
(foto do filme Tropa de Elite)

Por isso acredito que extirpar as favelas seja a solução. E quando digo favelas, não falo de "favelados", falo do local físico.

É díficil, porque não dizer, impossível querer que algo funcione em algo que nunca foi consertado. Não dá, coisa que nasce torto, vai morrer torta. O que começa errado termina pior. Pode até tentar isso em casa. Tente equilibrar seus copos de vidro em cima de um copo de descartável. Não dá. Tem que começar de novo.

E esse é o tema do próximo artigo onde meto o bedelho num assunto bem delicado e cuja solução não vai surgir nunca, mas que prefiro dizer a ficar calado.

Até o próximo post... Ou não.
Leia o Restante.

Vergonha Carioca: Corregedor da PM-RJ exonerado.


E daí...?





Eu também me perguntei isso antes de ler a quando li a notícia, mas enquanto lia o pequeno parágrafo via que ia surgindo descaradamente e mais uma vez um dos maiores problemas do Estado do Rio de Janeiro, a corrupção policial e a falta de respeito do estado (brasileiro) com os agentes da lei.

Para ter uma idéia, acessei um site organizado por associações de PMs do Brasil e lá poderão ver com seus próprios olhos o quanto ganha um soldado PM no Rio de Janeiro, o site é http://www.salariospm.xpg.com.br com base nos dados fornecidos, vemos que o salário de um soldado PM, aquele que é pago para proteger a vida e arriscar a própria tem sua vida avaliada em R$ 786,69, onde provavelmente o "69" no valor deve ser simbólico, e todos com mais de dois neurônios sabem o que "69" se refere... =/

Na verdade, usando outra tabela que peguei no blog de um pm, vejo que o valor é ainda mais escandaloso, vejam na tabela abaixo o quanto vale a vida de quem protege a sua e leva tiro por você no Rio de Janeiro (precisa clicar para ver algo):


Considerando os valores, fica bastante óbvio que a preocupação dos soldados será equivalente com o que recebem de reconhecimento, afinal de contas não é de hoje que:
- Policiais são culpados por 100% das mortes em incursões nos morros, mesmo quando não tem nenhum policial no morro.
- Políciais em geral são mal quistos pela televisão e sempre são retratados de modo caricato, ou como um idiota subserviente ou como um bandido. Nunca como um herói, no máximo colocam um investigador.
- Policiais são o "homem mau" das crianças. Desde pequenos vejo pais educando os filhos com frases como "se gritar te entrego pro policia".
- Policiais sobem o morro sem colete, no máximo com aquele enfeite que colocam sobre a farda que protege tanto quanto papel, e que deixa braços, pernas, virilha e cabeça bem a mostra.
- Policiais não tem nem suporte. Ou as viaturas não tem motor ou tem o motor sem viatura. Raramente existe uma viatura com mais de um ano que ainda não tenha o motor batido.
- Policiais tem que se submeter ao sistema ou o sistema os mata.

Mas aonde quero chegar? É o seguinte, o ex-corregedor da PM-RJ foi exonerado do cargo porque queria dignificar a classe. Dar salários condizentes com os riscos e minimizar riscos investindo na infra-estrutura do policial. Era favorável a muitas coisas que governo algum defende, pois todas elas envolvem o bom uso do dinheiro público. E obviamente que suas medidas iam de encontro a todo o sistema, mas como ele é "famoso" para ser silenciado por acidente, o enfiam em um orgão sem importância em nosso país, a Diretoria de Ensino da PM.

Traduzindo em miúdos, tiram do comando uma pessoa preocupada com o longo prazo, enfiando-o em um setor abandonado por qualquer parte da sociedade (pois a sociedade tende a esquecer qualquer coisa que seja relativa a estudo) e colocam alguém mais de acordo com o pensamento do Governador do estado, que é:
- Dar tiro em bandido, a política do "confrontamento burro" (terá um post a parte um dia)
- Deixar o policial morrer em combates sem o mínimo preparo*.

Pensamento provável de algumas autoridades: "Para que dar aumento a alguém que vai morrer em confronto ou envolvido com corrupção?"

Conversei e converso (sejam conhecidos ou que encontro na rua) com diversos policiais, por sinal, até sou confundido como um quando estou conversando com eles (pois conheço algumas gírias e tenho aparência policial, acho... espero não morrer por causa disso) e a situação é caótica, pois todos ganham pouco, se arriscam muito e o serviço é prejudicial demais a eles mesmos porque a lei dá direitos aos bandidos de posteriormente poderem se vingar (é direito do bandido saber quem o prendeu) e como não vale a pena proteger todas as vidas, optaram por proteger suas próprias.

Pensamento egoísta?
Sim.
Odioso?
Sim.
Opções?
Não há, pois depende de vontade política.

E bandido não legisla contra si mesmo.

Por essas e outras que tenho vergonha desse país...

E lembro a todos que esse ano tem eleições, cuidado com os telejornais de determinadas emissoras, elas vão influenciar para o lado que as beneficiem mais, mesmo que esse lado não seja o seu. Portanto, pesquisem, sentem seus traseiros em frente de um computador e usem a internet para descobrir tudo que puderem sobre os candidatos de suas cidades.

É deixando de ser analfabeto político que situações ridículas como essas em que se encontram os policiais do Rio de Janeiro continuam acontecendo. Sei que ler dá trabalho, mas dá muito mais trabalho sofrer as conseqüências de um direito de voto mal exercido.

E o principal: não é porque está na televisão que é verdade absoluta.

*Preparo: Equipamento, treinamento, suporte, informatização, integração entre polícias e outras coisas básicas.

Fontes:
Leia o Restante.

Exercendo a Democracia... Ou seria a Paciência?

Se você pensa em fazer algo pela sua vida local, pensa que pode mudar algo através da democracia ou mesmo pensa que é pelo seu condomínio que deve dar asas a seus anseios democráticos, não morem no meu prédio.

Como disse no post sobre as panteras, moro em um prédio onde quem não é velho, age como aqueles bem travados, principalmente em determinados modos de pensar e no pensamento comum do "eu posso mais", e é focado nisso que hoje aconteceu uma reunião pacífica que só não foi mediada mais uma vez pela polícia porque a reunião foi encerrada antes da viatura chegar.

É impressionante a capacidade humana de complicar coisas simples em detrimento do ego e mais impressionante ainda é ver refletida em nosso condomínio o verdadeiro brasileiro que só se mostra quando tem oportunidade, e no geral o Brasileiro quando não é do time do "estou nem aí", é adepto do "ou estou certo ou nada".

Tudo que precisava ser feito na única assembléia do ano era discutir cinco pontos, conforme copiei do edital de convocação (sem valor legal).
1- Prestação de Contas.
2- Eleger um novo síndico, sub-síndico e conselho.
3- Apresentar o orçamento.
4- Debate e votação para o orçamento do portão de ferro de entrada.
5- Assuntos Gerais.

Vamos aos itens por parte... E vai ser algo curto.

Pra começar, começava a reunião a partir das 19h30min, mas eu tive pontualidade tupiniquim e cheguei atrasado precisamente as 20h45min. Antes estava tendo um papo importantíssimo com minha esposa sobre coisas como a novela global das 19h00min (sou um ser humano, e como todo homem casado adqüiri por osmose o hábito de minha esposa de ver novela, e hoje em dia vejo até mais que ela), só em dei conta da reunião porque quando estava no meio do jornal nacional discutimos algo a respeito de que horas eram. Era hora de correr.

Corri e vi que não tinha perdido nada. Como disse acima, eram 20h45min e nada havia acontecido além de troca de carícias padrão aquelas que existem em CPIs de Brasília. Um digno exercício de como a democracia funciona quando colocamos nossos egos em prol da comunidade de nossos interesses. Uma verdadeira guerra campal de palavras cheias de educação mas insinuações das mais dignas de um episódio de CPI do Mensalão.

E depois de discutirem se sou condômino ou não, o que descobri que não sou segundo a convenção do prédio, pois apesar de herdeiro do imóvel onde moro, e de ter alugado-o para fazer ter luz em casa - uma outra história. -, não sou ninguém sem uma procuração. Por sinal, em meu prédio procuração é moeda de troca, tenha uma e ria à toa, tenha quatro e domine o prédio. Tenha cinco e serás supremo mandatário.

Como não tenho procuração fiquei de dar uma depois, mas prevendo problemas, optei por tomar a única posição que uma pessoa no meu estado pode tomar: me abster de votar. Fiquei para a assistir o barraco. E quando isso foi decidido, já eram quase nove e meia da noite.

Tudo isso só pra decidir quem seriam o presidente da sessão e o secretário. Acabamos tendo uma coisa inédita: um presidente, um secretário e um escrevente, que escrevia tudo que o secretário mandava. E como esse que se tornou secretário manda... =/

E o primeiro item começou a ser discutido...

Se fosse um condomínio sério, ou pelo menos se tivessem idéia do quanto mexer em contas é algo delicado, saberia que o item 1 é puramente técnico e não poderia de forma alguma ser avaliado por leigos, pois se eu mal consigo calcular minhas dívidas, que o diga as do prédio ou mesmo os outros, e se eu não confio no meu tato não confio no de ninguém do prédio. Contrata-se um auditor/contador e pronto, acabou o problema.

Mas perdeu-se com a discussão uma hora e meia apenas para no final ficar tudo aprovado e nada mudar. Uma hora e meia onde se discutiu-se o óbvio, pois todos os meses os moradores recebem balancetes, e se tivesse algo errado, já teria sido discutido antes por interessados, e não depois de um ano. Existem assembléias extraordinárias para isso.

Essa discussão apenas me serviu para ler e constatar o quão perigoso ao prédio é ser controlado por leigos e leigos acharem que podem algo mais que votar sem um amparo legal ou o acompanhamento de uma pessoa do ramo de preferência idônea. Para a contratação de uma síndica fizeram uma lambança digna de Severino Cavalcanti e que colocaram em uma Ata do prédio um valor de ProLabore (uma espécie de salário) no valor de 350,00 e de repente, por mágica, aumentou para 388,50 (sendo que aumentos e acréscimos não eram previstos na ata, ou por qualquer outro meio... um contrato anexo, por exemplo).

Passada a confusão das contas, quando eram dez e meia da noite começou a votação para síndico. o secretário, uma pessoa com a qual concordo com seus objetivos e não com seus métodos, apresentou-se como único síndico. Perguntou-se se existiria algum outro candidato, o que não ocorreu, mesmo quando perguntado diversas vezes. Ele foi candidato único e perdeu por oito votos contra, cinco a favor e duas abstenções (no caso, a minha é uma delas).

Daí vem a principal confusão (o desenho representa bem o que penso de um determinado personagem da trama).

Não pode existir prédio sem síndico e na ausência de um representante legal, alguém entraria na justiça - esse secretário. - exigindo intervenção no prédio. Para ter idéia, é muito, mas muito caro algo desse tipo. Tentaram fazer a síndica se releger, o que era o objetivo desde o início, mas como no momento oportuno não fizeram, perderam a chance. A solução? Confusão! Briga! E um vizinho surgindo de pijama pedindo silêncio porque precisava dormir, sendo destratado - sem palavrões, de acordo com a lei mas com mau uso dela. - e providenciando a polícia.

Mas não precisava mais, e no final de tudo, com toda a confusão, tudo ficou na mesma. A ata não foi assinada, não foi sequer aprovada e tudo ficou por isso mesmo, por enquanto na mesma, pelo menos é o que sei, pois saí de lá com a certeza maior ainda que realmente a democracia não deveria ser direito de todos. Apenas dos interessados, dado que minha presença era insignificante e o que vale em meu condomínio mais que meu voto e presença é a procuração... Assim fica fácil fazer bagunça e posar de santo, culpa compartilhada é uma coisa linda.

E cada vez mais odeio vida em condomínios... =p

Mas não desistam de seus prédios, eles não devem ser que nem o meu... Acho.

E em breve, mais bagunça, ops, reunião e exercendo a paciência, ou melhor, Democracia.
Leia o Restante.

Contos de Legião Drax - Caçada - Parte II

Olá povo!

Esse é o segundo capítulo do conto "Reunião". No capítulo anterior, Gohkuú, Kaira, Tairon e Argos, foram em busca de um ex-companheiro de combate, o Senhor da Guerra, conhecido como T-Paia. Após conseguirem convencê-lo de unir-se a eles, a busca por seus alvos começa.

Boa Leitura!
___________________________


CAÇADA



O reencontro trouxe novo ânimo a todos, principalmente para T-Paia que passou anos enclausurado, longe de tudo e de todos, sentia-se estranho vestindo sua velha armadura outra vez, além do fato de que agora ela estava um pouco mais apertada devido a sua nova condição física. Enquanto voavam em direção ao seu destino ambos foram explicando como foram pegos e as torturas que sofreram, o que só serviu para deixar a todos ainda mais furiosos do que já estavam, principalmente Kaira que não fazia idéia do horror que seus companheiros sofreram.

Decidiram que, antes de procurar por Tempestri, acertariam as contas com os antigos traidores que geraram o grande problema e que agora respondiam pela alcunha de Jazão e Apolo. Eles eram antigos membros da ordem dos Seguidores do Dragão, que um dia fizeram um pacto Balzac, ficando assim vinculados a ele, devido aos seus sucessivos crimes, além da dívida por ele os ter divinizado, tornando-os mais poderosos.

O primeiro a quem procurariam seria Jazão, pois este estava sempre no mesmo local e dificilmente recusa um desafio, enquanto Apolo apesar de ser o mais falastrão, era o mais esquivo, além do fato de nunca estar no mesmo lugar. Jazão estava situado em Awrrack, o mundo desértico antes dominado pelo deus homônimo, mas que fora brutal e covardemente assassinado tempos atrás. Os restos do corpo de Awrrack jaziam crucificados e ainda presos pelas flechas outrora disparadas por Morrigan. Morrigan era esposa de Samur e pertencia a segunda geração de Seguidores do Dragão. Foi dominada por Balzac, o mesmo que dera a Jazão e Apolo seus atuais status, e forçada a matar Awrrack. Ela matou Awrrack com uma saraivada violenta de flechas depois que esse foi crucificado e imobilizado por Balzac. Foi um ataque covarde e sem piedade, do qual até hoje Morrigan chora quando se lembra do que fez.

Passaram rápido pelo corpo de Awrrack, não sem antes reverenciar e prestar respeito ao verdadeiro senhor daquele lugar. Seguiram em direção ao suntuoso palácio que se erguia a sua frente, com altas muralhas e torres de vigilância, enquanto o palácio esférico original de Awrrack jazia enterrado na areia do grande deserto, ainda preso as suas correntes de grossos elos. Se quer param para discutir um plano, que seria o de sempre: "entrar de sola, encher o cara de porrada e sair", segundo as palavras de T- Paia.

Não houve efeito surpresa, não houve sutileza alguma, sequer houve duvida no que seria feito. Uma barreira energética protegia o palácio de Jazão, mas tal proteção era insuficiente contra os poderes de Gohkuú. A grande explosão (proposital) alertou os guardas que inutilmente tentaram impedir a passagem dos invasores, mas nem ao menos ofereceram algum perigo. Antes que pudessem bradar suas armas já estavam todos completamente congelados pelo frio intenso de Tairon. Outros mais vieram do interior do castelo, estes também não foram ameaça, e serviram de alimento para os gigantescos vermes da areia após serem atirados no deserto por uma violente rajada de vento produzida por Argos.

Já no interior no palácio, os poucos soldados que sobraram mal se atreviam a aparecer, não queriam ser os próximos a provar da fúria de algum dos cinco deuses que caminhavam calmamente pelos corredores. Chegaram a um local que muito se assemelhava a uma arena, no centro estava seu alvo, Jazão. Sua pose era pomposa, de pé, os pés separados na mesma linha dos ombros, braços cruzados, cabeça levemente erguida e peito estufado, o olhar fixo nos pretensos invasores.

- O que significa isso Jamal? - Perguntou Jazão, dirigindo-se a Gohkuú que vinha a frente dos outros.

O deus de aparência animalesca irritou-se profundamente a menção de sua alcunha quando estava sobre o domínio de Gigantus, embora seu semblante não denunciasse isso. Fazendo-se de incrédulo, olhou para os lados como que a procura de alguém e voltou-se para Jazão. A pergunta foi repetida e Gohkuú novamente repetiu o seu, desta vez lançando-lhe um olhar e um sorriso irônico.

- Está ficando surdo? - Irritou-se Jazão - Estou falando com você! E por falar nisso, o que fazem aqui, Éter e Mercúrio? - Perguntou referindo-se a Tairon e Argos respectivamente.
- Como ousa nos insultar com esses nomes? - Disse Argos enfurecido, mas mantendo um tom neutro de voz.
- Então vocês estão libertos... - Concluiu Jazão que aparentemente só agora compreendia os fatos.
- Vou perguntar uma só vez, onde estão Apolo e Tempestri? - Perguntou Tairon.
- Isso é alguma piada de mau gosto?
- Você parece que não entendeu. - Adiantou-se Argos - Ou você fala onde eles estão...
- Ou então vocês me matam, é isso? - Ironizou Jazão.
- Deixa que eu faço ele falar - Disse Kaira que estava querendo e muito expurgar um pouco do ódio que sentia.
- Não. - Falou T-Paia enquanto bloqueava sua passagem - De todos eu sou o que mais ficou parado, preciso tirar um pouco da ferrugem!

A diferença entre os dois era grotesca, T-Paia media quase o dobro que Jazão em matéria de constituição física, além de mais alto. Ficou frente a frente com seu oponente e olhou-o brevemente nos olhos, vendo seu olhar irônico e convencido, como de quem já tivesse ganho a batalha. Não esperou abertura nem qualquer brecha, T-Paia de súbito, desferiu um soco com tanta violência e rapidez, que Jazão não teve chance alguma de desvio, sendo arremessado para o outro extremo do grande salão.

Os outros se afastaram o suficiente para dar espaço a batalha e poderem observar melhor, nenhum se atrevendo a interferir, mas com muita vontade de descontar em alguém, toda sua frustração e ódio. Jazão se levantou com alguma dificuldade, sentia o golpe profundamente, mas mesmo assim pôs-se em pose altiva, fingido não ter sofrido absolutamente, T-Paia já conhecia esse típico comportamento dele, pois já foram companheiros quando ambos faziam parte dos Seguidores do Dragão. Não houve muito tempo para Jazão proferir seu típico discurso de que estava bem e que o ataque inimigo em nada o afetara, T-Paia disparou em sua direção desferindo uma série de golpes que acertaram em cheio o corpo de Jazão, fazendo-o afundar na parede. Antes mesmo que a saraivada de golpes terminasse, Jazão libertou-se dos ataques se jogando para o lado, saltando em seguida com um chute atingindo o flanco esquerdo de T-Paia, que mal se moveu.

Por um instante os dois se encararam na tentativa de captar algo sobre o oponente, mas a única coisa que puderam ver é que ambos possuíam o mesmo pensamento, combater. Aproveitando-se da breve trégua, Jazão sacou sua espada e investiu contra T-Paia, que nada pode fazer devido à grande agilidade que Jazão possuía. O golpe atingiu o abdome de T-Paia fazendo apenas um pequeno arranhão em sua armadura. Após atingir T-Paia mesmo sem perceber que o mesmo não havia se ferido, Jazão seguiu afastando-se de seu inimigo. O deus da Guerra não esperou que ele parasse ou mesmo fizesse outro ataque, ele mesmo se adiantou aproveitando que Jazão estava de costas para ele. Naquele momento e sob aquelas circunstâncias, ele pouco se importava se aquilo era ou não covardia, conhecia muito bem o histórico de batalhas do eterno traidor e seus métodos de combate, por conta disso, o que T-Paia fazia agora não tinha muita relevância.

Sua espada deslizou rapidamente da bainha produzindo um pequeno zunido, o golpe descreveu um arco perfeito no ar, para depois atingir o braço direito de Jazão com tanta força, que o fez rolar no chão por alguns metros com o braço bastante ferido. Jazão trajava apenas sua roupa ninja de cor escura, completamente colada ao corpo, além de algumas proteções esparsas nos ombros, joelhos e peitoral, por isso deveria ficar mais atento ao ataques de T-Paia se não quisesse ganhar mais feridas. Ainda no chão devido à força do ataque, Jazão evocou várias serpentes energéticas que imediatamente investiram contra T-Paia, que não pode evitar ser apanhado por duas nas pernas quando tentou desviar.

- O que ele está fazendo? - Questionou Kaira.

Ela e os outros estavam flutuando no extremo oposto do salão, para poderem observar melhor todo o desenrolar do embate. Nenhum ousava piscar ou interferir, por mais que quisessem, mas sabiam que T-Paia precisava voltar, pelo menos um pouco, a antiga forma. Ela estava visivelmente irritada com o fato de ficar parada apenas observando, sabia que seria inútil tentar algo, os três restantes a impediriam de interferir.

- Ele está estudando o Jazão. - Falou Tairon secamente.
- Isso eu percebi, mas por que ele não usa um ataque de verdade e acaba de uma vez com isso? - Questionou ela mais uma vez.
- De que adiantaria isso, Kaira? - Perguntou Gohkuú - T-Paia está há muito tempo parado, mesmo que ele conseguisse vencer com um único golpe, o que acontecerá com ele quando tivermos que nos defrontar com Tempestri?
- Mas pelo menos eu e você somos rápidos o suficiente para podermos ajudá-lo, até o Argos é bem veloz.
- A questão não é apenas essa, além do mais, e se algo acontecer conosco antes, justamente por sermos os mais rápidos? Tempestri não vai ser tolo de nos deixar por último.
- Além do mais, olhe novamente Kaira, não vê que Jazão está apenas ludibriando o T-Paia? - Alertou Argos.

A deusa da luz observou com mais atenção o ambiente, tudo pareceu ficar instantaneamente mais nítido e claro para ela, via cada movimento de cada um dos que combatiam com exatidão e detalhes inimagináveis para qualquer um, cada músculo que moviam era notado por seu olhar divino, cada partícula de poeira que moviam, inclusive o ar eram perfeitamente visíveis para ela. Mas não foi isso que chamou sua atenção, mas sim o Fato de haver uma figura oculta nas sombras que aparentemente estava manipulando Jazão à distância, como quem controla um títere. Fez menção de alertar T-Paia, mas Tairon a impediu e lhe indicou que mais uma vez olhasse para seu companheiro. Foi só então que notou que T-Paia não estava tão atento a batalha quanto aparentava, pode vê-lo olhar nitidamente para a figura oculta nas sombras várias vezes.

Não estranhou mais quando viu que T-Paia propositalmente se deixava atingir por um golpe outro, em sua maioria golpes de maior intensidade. A armadura que o deus guerreiro usava era de um tom de cinza claro, com apenas alguns detalhes em preto e cobria quase todo o seu corpo, por isso os ataques pouco lhe afetavam, mas não era só isso que deixou-a animada, muito menos aos outros, todos conheciam a estranha propriedade que a armadura de T-Paia possuía. Quase ao mesmo tempo todos esboçaram um sorriso malicioso quando viram que a armadura aos poucos escurecia mais e mais.


Leia o Restante.

O Terrível Ataque Das Panteras.

Para quem não sabe, ou não se lembra, eu tinha uum cachorro de duas cabeças chamados Cérberus. Depois de reclamações por parte dos vizinhos das catacumbas egípcias (leia-se, múmias velhas e decrépitas) do prédio onde moro, acabei tendo que expulsar Cérberus e mandá-lo para um lugar onde estaremos mais seguros, no caso, a fábrica da Imbel (fábrica de armas...).

Em paralelo precisei providenciar uma companhia para a pantera, pois ela precisava bater em algo que não fosse em mim e na minha esposa, daí, aproveitando que meu ex-gato (pois me foi tomado por minha avó) fez 14 crias em uma mesma fêmea após duas rodadas de muito sexo selvagem e gritos de amor que ecoavam por toda a ilha de paquetá (ou seja, eram gritos bem fraquinhos, pois paquetá fica ao lado do c* do mundo, dado o fedor de esgoto em suas praias) acabamos pegando duas feras...

Foi aí que começaram os problemas.

De uns tempos para cá tenho acordado com marcas estranhas pelo corpo, parecem enormes rasgos nas pernas que sangram e ardem durante o banho, além de perfurações e tonteiras estranhas que dizem que deve ser por falta de sangue. Estaria eu sendo toda noite visitado por um vampiro sádico e tarado, que suga sangue das pernas de suas vítimas? E se ele decidisse sugar sangue de outra perna?

Preocupado com isso, peguei minha câmera - e não é a de desfocar. - que filma no escuro e comecei a realizar experimentos fingindo dormir para tentar captar imagens dos terríveis seres que estavam me dilacerando dia a dia.

O resultado foi surpreendente.

Se não tiverem sangue forte, não aconselho a assistirem os trechos abaixo... Eu sofri muito durante as filmagens, como poderão ver... =/

Ataque Noturno, 1


Ataque noturno, 2


Desde então não tenho conseguido mais dormir em paz...
Leia o Restante.

[Vídeo] Gostam de Tetris? E se for Tetris em Prédios?

Exatamente, em breve num prédio de departamentos de sua cidade, alguns maulcos podem fazer o mesmo.

Vejam os vídeos, o último mostra mais como alguns fizeram, os outros como é.







Se fizer um filme, e me mande. =D

Veja também:
Leia o Restante.

Afinal a final... E ganhamos alguma coisa!


Com um trocadilho infame, abro a postagem para anunciar que o Pensamentos Equivocados conseguiu pela primeira vez ser aprovado em um concurso.

É com muita felicidade que anuncio que nosso blog foi campeão na categoria "Outros" da comunidade Blogger Brasil, do Orkut, o que para mim e para o PK é uma grande honra.

Mas não teria chegado até onde cheguei sem saber que existem 25 pessoas que votaram no Pensamentos Equivocados, fosse porque pedimos descaradamente ou mesmo porque lembraram da gente antes, é algo fantástico esse reconhecimento e a quem votou, agradeço, e a quem não votou agradeço também.

Portanto, votem em nós.

SENHORAS E SENHORES BLOGUEIROS DA COMUNIDADE BLOGGER BRASIL, DESCULPA INCOMODAR O SILÊNCIO DE SUA LEITURA, MAS SOU BLOGUEIRO DOENTE POR VOTOS E TENHO UM AMIGO BLOGUEIRO COM O MESMO MAL... QUEM QUISER, EU POSSO COMPROVAR DANDO O ENDEREÇO DO MEU BLOG... PORTANTO, PEÇO AOS SENHORES APENAS UM VOTO, QUALQUER VOTO PARA FAZER DO MEU BLOG CAMPEÃO GERAL DO BLOGGER BRASIL. ÀQUELES QUE PUDEREM CONTRIBUIR, MUITÍSSIMO OBRIGADO, A QUEM NÃO PUDER, AGRADEÇO DO MESMO JEITO. TENHAM UMA BOA NAVEGADA NA INTERNET E OBRIGADO...



Desde já agradeço a todos pelos votos, mesmo que sejam fúnebres.

E declaro guerra a concorrência, com socos, chutes e pontapés, tudo isso para ganhar meu lugar ao sol... Ou na lua, dada a hora que estou postando...

Obs: Parece que houve um problema com a enquete e todos os votos foram anteriores foram anulados. Por favor, pedimos encarecidamente aos que votaram que votem novamente.
Leia o Restante.

O milionário gabinete do governador do Paraná!

Você por acaso sabe quanto o gabinete do seu estado gasta com contratação de serviços e compra de produtos, sem contar a folha salarial de seus funcionários? Bom se você que está lendo este artigo mora no Paraná provavelmente já deve saber, mas se não souber eu digo: o governador Roberto Requião gastou em 2007 mais de R$ 69 milhões, só em contratação de serviços e compra de produtos.

É um valor que realmente impressiona, porém mais impressionante do que esta soma astronômica, é saber como foram gastos estes milhões, só lembrando que estes foram gastos não envolvem pagamento de funcionários. Pois bem, os números são os seguintes:
- R$ 4,8 mil com um almoço regado a carne de carneiro apara integrantes de uma comitiva polonesa, durante uma visita oficial do presidente do senado polonês;
- Com a hospedagem de uma missão da França no hotel Bourbon foram gastos outros R$ 4.328,50, um almoço para a mesma missão consumiu outros R$ 2.271,00. Somente em pescados, a Governadoria despendeu mais de R$ 27 mil no ano passado;
- E apenas em dezembro do ano passado, o gabinete de Requião gastou mais de R$ 50 mil com a aquisição de alimentos, sendo que R$ 3,6 mil despendidos com pães, R$ 2,5 mil com pó de café e outros R$ 5,7 mil com carnes. Ao todo, foram R$ 11,4 milhões gastos apenas no último mês de 2007 pela governadoria, segundo os dados oficiais;
- Em junho do ano passado, R$ 5.350,00 foram gastos na aquisição de plantas envasadas para atender o gabinete do governador e o gabinete da vice-governadoria, que também foram decorados com mármores e granitos a um custo superior a R$ 11 mil.
- Na compra de duas lixeiras com tampas para o Palácio das Araucárias, mais R$ 2 mil. O governador ainda equipou seu gabinete com frigobar, outros R$ 2,1 mil.
- Para atender as “necessidades” da Casa Civil, R$ 7.279,00 empenhados na compra de uma Tv de plasma 42 polegadas e dois suportes giratórios, que custaram R$ 7,5 mil.
- R$ 18.092,28
gastos com a reforma de um stand de tiro na Granja Canguiri.
- Aquisição de uma carteira em couro, no valor de R$ 2.180,00.
- R$ 5.059,00 no último dia 5 de julho em uma loja de decorações com a compra de fronhas, edredons e lençóis. Sem falar nos R$ 4.700,00 despendidos em outra loja de decorações com a aquisição de tecidos para a confecção de toalhas para a residência oficial.
Lembrando que isso são apenas alguns dos dados oficiais do gabinete do Sr. Requião.

Incrível como o conforto e as regalias de certos representantes mereçam tanta atenção, enquanto a saúde e a segurança do povo são deixados completamente de lado, agora entendo quando eles falam em "falta de recursos para investimentos", também com tantas coisas mais importantes para se gastar o rico dinheiro que deveria ser gasto em outras áereas mais importantes... Sabe o que é mais "engraçado"? Os gastos de mais de R$ 69 milhões, também impressionam quando comparados com o orçamento de outras áreas da administração estadual que supostamente deveriam ser priorizadas por serem atividades-fim do Estado, como o da Secretaria Estadual de Obras Públicas (SEOP) de 2007, que não chega a R$ 35 milhões.

Pergunto a você que lê este artigo, o que esse individuo que supostamente deveria estar investindo esse dinheiro em melhorias para o seu estado, vai fazer com uma carteira de mais de R$ 2 mil? A Casa Civíl do Paraná realmente necessita de um Tv de mais com suportes de mais de R$7 mil? E o que significa esses mais de R$ 18 mil gastos com reforma de stand de tiro?

Descobri isso por acaso hoje enquanto ouvia o programa "Cadeia Sem Censura" apresentado por Luis Carlos Alborghetti, que é famoso por suas reações e atitudes a certo tipo de notícias. Logo abaixo estou disponibilizando para quem quiser ouvir, o trecho extraído do programa, onde ele comenta está notícia. Embora concorde com a opinião dele, devo salientar que não concordo com os termos que ele utilizou, mesmo sabendo que tal coisa é de deixar qualquer um indignado.

Fontes para quem quiser ler:
- Gabinete de Requião gasta R$ 69 milhões em 2007
- TV de plasma por R$ 7,2 mil e duas lixeiras por R$ 2 mil
- Viagens ao exterior são prioridade


Fonte em audio para quem se interessar, ou tiver preguiça de ler:



Obs: O apresentador Alborghetti no início do audio, diz que a carteira adquirida por Requião é de ouro, mas logo depois corrige o equivoco dizendo que é uma carteira de couro.
Leia o Restante.

Dicas de Segurança Para Blogueiros.


Dando uma abertura a outro tipo de assunto, vou colocar um problema que atingirá mais blogs na mesma proporção que o próprio meio se torna popular, e, principalmente, onde o brasileiro é um dos povos que mais inveja e gosta de destruir o trabalho dos outros (tanto que é que me lembro de anos atrás ter lido em revistas de informática que o Brasileiro é um dos povos que mais possui hackers, crackers e coisas do tipo e apenas para prejudicar pessoas geralmente próximas).

Essas dicas, obviamente, não te tornarão imunes a eventualidades, mas ao menos permitirão que sobreviva por mais tempo nesse meio sem passar pela situação ocorrida com o blogueiro da figura acima...

Dica 1: Tenha conhecimento.

É, não adianta você ler essa postagem toda e querer fazer tudo que falo se você vai agir mecanicamente e sem nenhuma idéia do que está fazendo. Se você não entende determinado termo pesquise a respeito, seja em bibliotecas, na Wikipedia, ou até mesmo se matriculando em um curso de informática para ampliar seus horizontes.

Dando uma de crente: Não adianta querer rezar se da bíblia só conhece a capa e alguns salmos.

Então, levanta esse traseiro gordo do computador, e corre atrás. Você "até talvez provavelmente" pode encontrar material muito bom na internet (via Google, Yahoo, Cadê, etc), mas só vai aproveitar algo se tiver interesse e se você não tem interesse em aprender porque tem que se proteger, não tem pai-de-santo, anti-vírus ou qualquer coisa do tipo que vai impedir alguém de entrar em seu computador, pegar suas senhas e no dia seguinte você não ter dinheiro nem para acessar esse blog e dizer "você estava certo".

Se você não concorda comigo, e quer continuar sem o mínimo de conhecimento, o risco é todo seu... Eu avisei.

E para vasculhar, tem que gostar de uma coisa: Ler.

Dica 2: Não vasculhe a internet.

Apesar de existir toda essa pregação sobre os poderes supremos de macanismos de pesquisa e como eles respondem tudo, menos o sentido da vida, não pense em se aventurar clicando em todos os sites que existem nas 1212340944343 páginas que o termo "sexo com animais" pode lhe proporcionar, ou mesmo o termo "templates novo blogger"

O que não faltam são sites interesseiros que se camuflam de ovelhas e enquanto você faz seu 5x1 ou testa um Template, seu PC está sendo vilipendiado por um verdadeiro bacanal de vírus, trojans e outros nomes feios e cheios de virilidades. E depois do PC obviamente sua conta bancária ou a de seu pai, mãe, fonte de renda ou amigo que um dia escutou você dizer "esse pc não tem nada" e acreditou. =p

Claro, alguns mecanismos de busca possuem filtros internos e algumas vezes já indicam o site como perigoso, e se ainda assim com os avisos dos mecanismos de busca, você insiste, ou está em um computador que não é o seu, ou precisa rever o item 1 com urgência.

Dica 3: Anti-Vírus não são onipotentes.

É.

Não adianta ter um antí-virus superpotente, cheio de oba-oba que quando está rodando transforma seu poderoso Pentium Quad Ultra Power Core 9001.0.0.2 com 30GB de RAM em um 386 com tela verde e 1MB de RAM. Se não atualizar sempre, se não fizer uma verificação muito boa e, principalmente, se não tiver programas acessórios muito bons, você vai se f...

Para ter uma idéia, semana passada eliminei um vírus não catalogado em uma CyberCafé que atendo (sim, faço serviço de manutenção) ainda pelas empresas de anti-vírus e que age por trás do Explorer. Ele não existia em nenhum dos bancos de dados mais "ultra respeitádos" do mercado, aparentemente não existia, mas ele estava lá.

Sintomas? Quando você abria qualquer janela ou qualquer coisa no Explorer ele fazia o clique do mouse ir para atrás da janela de modo que era impossível clicar em qualquer coisa, enquanto isso abria de modo oculto o Internet Explorer e esse vírus dava loucura no Explorer e esse sintoma era notado quando se utilizava o programa de gerenciamento do CyberCafé, descobri o vírus encerrando o explorer e vendo ele se inicializar na minha cara.

Solução? Apaguei o FDP, simplesmente... Se enviei para alguma empresa? Não. O nome do arquivo era Journeyman.exe e estava em uma pasta do system32 lá em Windows. =p

Dica 4: O Orkut não é uma rede de amigos, é uma rede de cobras.

Se você é daquelas pessoas que adiciona qualquer um na sua lista de orkut, que deixa qualquer um te adicionar, clica em qualquer link que as pessoas te enviam, parabéns, você é um candidato a ter seu nome incluído em linhas de proteção de crédito, golpes de desvio de dinheiro ou mesmo a ter suas fotos nuas que estavam naquela pasta secreta rolando pela internet.

Seu computador a essa altura deve estar mais aberto que a cabeça do Jigsaw em Jogos Mortais IV.

Entenda uma coisa, hoje em dia a postura de quem quer roubar senhas mudou. Eles não querem que você saiba que está sendo invadido, não querem destruir nada do seu pc, eles querem apenas sua intimidade e suas senhas. Eles entram, roubam seus dados e vão embora sem você nem perceber que foi invadido até ver que foi tarde demais. E geralmente enquanto eles lhe roubam dados, o computador ficar até mais rápido. Perdeu a graça destruir seu pc quando podem, por exemplo, entrar na rede da sua empresa e através do seu terminal ter acesso a TUDO que quiserem. Obviamente que quando descobrirem que isso aconteceu porque você acessou um link perigoso, terá muito que explicar.

Se você receber mensagens assim:

Não clique nos links. Por sinal, hoje em dia existe no orkut uma brecha absurda para a disseminação de vírus que é a possibilidade de alguém executar scripts html em sua página de recados. Mesmo que de forma rudimentar, um script html rodado do Orkut pode facildade colocar uma imagem inofensiva que tenha um vírus dentro ou mesmo aquele flash bonitinho que roda e dança e canta, pode em paralelo estar chamando amiguinhos para limparem seu pc.

Isso quer dizer que precisa fechar sua conta do Orkut?

Não.

Se você for tolo de confiar em qualquer um, não vai ser fechando o Orkut que você vai deixar de ser tolo. Só vai mudar o meio pelo qual vão te esculhambar. Você receber e-mails infectados com links que se passam por bancos, pode até mesmo ser abordado na rua por algum imbecil querendo lhe vender um relógio roubado e que daqui a duas esquinas tem um sócio dele esperando o idiota que comprou o relógio passar para roubá-lo de novo e depois recolocar a venda até outro idiota comprar.

Logo, os golpes do Orkut não são diferentes dos golpes aplicados pessoalmente ou por outros meios, até os oficiais (quem nunca votou por impulso... vide Collor e outros candidatos bonitinhos e com cara de bonzinho ou mulher gostosa?), logo, lembre-se da Dica 1, e estude. Fique ao menos um pouco mais esperto.

Agora o que fazer então para evitar isso?
1- Não adicione qualquer pessoa como amigo. O Orkut não tem uma ferramenta que utilize aquele grau de "proximidade" como um método de bloqueio do envio de scripts, ou seja qualquer pessoa que seja seu "amigo" poderá lhe aplicar o golpe do "clique aqui".
2- Você não enviou fotos para ninguém, e ninguém te envia fotos a não ser que peça. Logo, se por mágica uma amiga te manda um scrap escrito num português porco falando das fotos dela, significa que você é um cara de sorte: ela te mandou um vírus. Agora se forem realmente as fotos dela, então você tem realmente muita sorte e foi muito louco de ter clicado. Me envie as fotos.
3- Personalize sua página de recados de modo que apenas seus amigos possam te enviar recados. Isso impede que um idiota da comunidade que você faz parte te envie recados através de sites que exploram falhas do Orkut (como o powerscrap) e te mande vírus aleatoriamente. Até impede também spams e outras coisas chatas. Como fazer isso? Clique em Configurações Pessoais e veja a figura abaixo:


Dica 5: Lan house/Cyber Cafés não são sua casa.

Podendo evitar, não utlizem ou acessem suas contas do blogger de cyber-cafés. Se não conseguem, façam o seguinte:

Criem uma conta no Blogger especificamente para acesso público e tenha uma conta separada para administrá-la. Ou seja, faça com que seu blog tenha uma válvula de escape onde se por ventura essa conta criada para postar for invadida, você não perca seu blog. E acesse em locais públicos APENAS com a conta criada para isso.

Ela pode até ser um clone exato da sua atual, levando aos mesmos endereços, pois o objetivo é impedir que quando você vá acessar o orkut ou qualquer outro site não seja pego desprevenido e depois perca seu blog porque sua conta do Google controla tanto e-mail, quanto orkut e blog e um vírus pegou sua senha do Google.

Essa dica é mais voltada mesmo a blogueiros, que em determinados momentos se sentem compelidos a ter que atualizar seus blogs de qualquer lugar e sem critério vão na primeira lan que encontram e começam a blogar.

Dica 6: Troque periodicamente a senha e que ela não seja uma data.

Se você tem uma senha que se baseia em algum evento importante da sua vida, troque-a imediatamente. Senhas não podem ser baseadas em aniversários de namoro, de casamento, notas de falecimento ou quaisquer datas importantes para você. O mesmo vale para nomes de familiares ou combinações de nomes familiares com datas.

Alguém que queira invadir seu e-mail, vai testar essas combinações primeiro e a chance de acertarem é grande, afinal de contas, datas e nomes que marcaram sua vida são fáceis de lembrar.

Mas também são fáceis de serem roubados.

E não se esqueça de trocar sua senha periodicamente ou sempre que alguém acessar sites suspeitos de seu computador.

E nunca esqueça de seguir essas dicas, principalmente a 1, pois não adianta nada seguir mecanicamente algo se você não tem o mínimo conhecimento do que está fazendo. É que nem querer dirigir sem saber frear.

Para concluir, vou colocar aqui uma única dica de programa acessório que até o momento tem dado conta do recado em alguns aspectos, o BankerFIX.

Para quem não conhece, é um programa que rastreia em seu PC por pequenos scripts e pseudo-vírus que geralmente rodam sem que seu poderoso Anti-Vírus perceba. Ele pega, elimina e depois te dá um relatório do que apagou. Já tive alguns problemas (veja abaixo) em empresas que trabalho por causa da eliminação de alguns vírus, então, para utilizar o programa tenha muito cuidado.

Foi feito e é mantido pelo pessoal do Fórum Linha Defensiva, que sempre que preciso de uma ajuda de quem entende determinadas coisas, procuro informações por lá. =D

O endereço do programa é:
http://linhadefensiva.uol.com.br/bankerfix/

(O problema que tive não foi com o programa, mas sim com um vírus que eliminou. Era um que tinha substituído, se não me falha a memória, o services.exe, e com isso o Windows não gerenciava mais o logon, logo, quando iniciava ficava preso na tela de logon e por mais que tentasse, dela não saía, fosse em Modo de Segurança ou em qualquer outro. Tive que reparar o Windows por causa disso.)



Lembrando que - mesmo com toda a brincadeira da postagem anterior - nós estamos participando com louvor de uma enquete na Comunidade do Orkut, chamada Blogger @ Brasil, e que se você, participante da comunidade, considera que nosso blog digno de seu voto agradeceremos de bom grado por mais essa prova de reconhecimento. =D
Leia o Restante.

Contos de Legião Drax - Reunião Parte I

Olá povo!

Este é mais um conto ambientado no universo literário criado por mim e Dragus. Legião Drax é um grupo de guerreiros semelhante aos Seguidores do Dragão (criado por Dragus), as personagens de ambas as estórias já foram apresentadas anteriormente em alguns contos escritos por Dragus. Este conto na verdade trata-se de uma continuação do conto "Triste Fim Para um final Feliz" criado por Dragus, conto este que misturava personagens dos dois grupos.

Para quem não leu o conto acima citado não precisa se preocupar em ler esse, pois ele ao mesmo tempo que é uma continuação, também pode ser lido de forma independente do anterior, já que ele explica um pouco os fatos ocorridos em seu antecessor.Bom espero que gostem tanto dessa continuação quanto gostarão da estória anterior, boa leitura aos que realmente forem ler.

Em tempo, se você não quiser ler não leia, mas também faça o favor de não comentar, caso não tenha percebido existem outros post abaixo, além de nosso arquivo, vasculhe e encontre algum que lhe interesse e comente nele.
_____________________________

Reunião

A Paisagem era bela, mas ao mesmo tempo desoladora, uma imensa floresta adornava o chalé a muito abandonado, o capim estava bem alto a sua volta, o musgo e uma trepadeira tomavam conta de suas paredes. Pararam olhando atentamente o lugar, era praticamente impossível que alguém ainda vivesse ali, mas um dos quatro guerreiros que até ali foram, tinha absoluta certeza que alguém ocupava o antigo chalé.

- Será mesmo que ele está ai? - Perguntou Kaira, visivelmente duvidosa e ainda tomada pela tristeza da perda de Akkira.
- Absoluta! - Respondeu Tairon - Esse é o esconderijo preferido dele!
- Mas o que ele faz tanto aí dentro?
- Você logo vai saber!

O mago do gelo adiantou-se até a porta esmurrando-a o mais sonoramente que pode, mas passados alguns instantes não houve resposta de quem quer que estivesse dentro do chalé. Uma nova saraivada de pancadas e absolutamente nada, estava começando a perder a paciência quando disparou uma rajada de ar congelante na porta. O esforço, porém, se mostrou inútil, pois todo o ar frio foi imediatamente repelido para os lados sem afetar nenhum dos presentes. O fato no mínimo curioso chamou a atenção de Argos que também era mago, embora sua especialidade fosse outra que não o domínio de gelo. Examinando um pouco mais detalhadamente o local, pode constatar que havia uma espécie de barreira mágica que impedia completamente a entrada e conseqüentemente a saída de qualquer coisa.

- Na certa isso é obra de Balzac ou de Gigantus - concluiu Argos.
- Como vamos tirá-lo daí de dentro? - Perguntou Kaira.
- Do jeito mais difícil!

As palavras do guerreiro-deus Gohkuú soaram como um desafio mortal que seria vencido a qualquer custo, sua aparência ferina correspondia perfeitamente com parte de sua personalidade, principalmente a parte que dizia respeito a resolver problemas. Gohkuú nunca foi de deixar o problema de lado, ainda mais no momento atual, onde seu ódio e revolta estavam em níveis que nem o próprio achava que pudesse alcançar.

Sua espada que pendia no lado esquerdo de sua cintura foi sacada com rapidez e fincada na barreira com grande violência, o esforço óbvio foi grande, pois a barreira era forte o bastante para repelir a grande força do ataque divino. Enquanto sua espada descarregava cargas e mais cargas de eletricidade para todos os lados, seus companheiros se protegiam da fúria dos raios da melhor forma que podiam, mesmo por vezes não obtendo muito sucesso. Por fim, evocou o relâmpago através de sua própria espada, criando uma poderosa explosão que varreu seus companheiros para longe do epicentro e destruindo a vegetação próxima, mesmo assim, não forte o suficiente para abalar a barreira.

- Vão embora - Disse uma voz distante vinda de dentro do chalé.

Aparentemente ninguém exceto Argos pareceu ouvir a voz, talvez porque seus ouvidos ainda estivem zunindo devido ao som da explosão, mas o fato era que Argos poderia ouvir um sussurro mesmo a quilômetros e quilômetros de distância, devido ao seu controle d o ar, o que lhe garantia uma audição mais do que perfeita para muitas ocasiões. Agora tinha plena certeza de que não haviam desviado de seu caminho em vão, a voz definitivamente era a de seu antigo amigo pertencente aos Seguidores do Dragão, o guerreiro antes conhecido como o Senhor da Guerra, T-Paia.

Ao informar seus companheiros do fato, todos ficaram instantaneamente motivados a libertar o amigo de seu cativeiro, mas quando novamente iam tentar algo, ouviram mais uma vez a voz do antigo companheiro, só que desta vez um pouco mais forte:

- Já disse saiam daqui!
- De jeito nenhum! - Bradou Tairon - Viemos aqui para buscá-lo e só sairemos daqui quando você for conosco.
- Esqueçam, já tentei de todas as formas destruir essa barreira, mas é impossível.
- Deixa de conversa fiada e ajude-nos a destruir isso e saia daí! - Disse Gohkuú.
- E porque sairia daqui?
- Mataram Akkira... - Falou Kaira em tom baixo e melancólico, porém repleto de furia.
- O "bananeira" morreu? - A voz de T-Paia era de nítida surpresa enquanto fazia alusão ao apelido de Akkira. - Logo ele volta.
- Não é como das outras vezes, Paia - Respondeu Gohkuú - A alma dele foi extinta...
- Quem fez isso? - Interrompeu, sua voz ficando cada vez mais nítida.
- Tempestri.

O triste silêncio tomou conta de todo o ambiente, até mesmo o vento parara de soprar, saber da morte do antigo amigo, ainda mais sabendo que foi de uma forma tão brutal, com certeza chocou T-Paia. Aguardaram o que lhes pareceu uma eternidade, imersos em profundo pesar pela perda do amigo de longa data, imaginaram qual seria sua reação se o ouvisse sendo chamado de bananeira, pensamento esse que aparentemente acometeu a todos, pois quase que ao mesmo tempo todos esboçaram um tímido sorriso.

Ouviram-se algumas batidas vindas do interior do chalé, mas logo cessaram dando lugar mais uma vez ao inquietante silêncio. Novamente ouviram a voz de T-Paia, mas o que ele dizia não era exatamente o que gostariam de ouvir, pois mais uma vez ele pedia para que fossem embora. Sobre protestos ele repetiu mais duas vezes, sendo o último pedido o mais enfático e sonoro de todos.

Cabisbaixos e revoltados, um a um, eles começaram a se virar e se distanciar do chalé, o andar pesado e arrastado de quem deixava algo importante para trás. Mal conseguiram dar dez passos à frente, quando foram arremessados para frente devido a uma poderosa explosão que se seguiu de um imenso clarão. Quando se recobraram da surpresa, puseram-se de pé o mais rápido que puderam, aguardando, quem sabe, um possível ataque. O chalé estava completamente encoberto por uma densa cortina de fumaça e poeira que lentamente se dispersava, todos estavam apreensivos aguardando algum provável inimigo que fosse surgir dela, ou de qualquer lugar.

A silhueta de um ser de grandes proporções físicas, longos cabelos que esvoaçavam levemente, pode ser vista por entre e fumaça, todos se preparam para atacar, quando para a surpresa de todos viram que na verdade tratava-se de T-Paia. A tensão se desfez imediatamente dando lugar a sorrisos e olhares de felicidade e surpresa, principalmente quanto à aparência nova que T-Paia exibia, não só pelos muitos músculos a mais que exibia, mas também pelo nítido desleixo evidenciado não só pelos cabelos agora compridos, mas também pela barba que estava bem longa.

- O que aconteceu contigo? - Perguntou Tairon completamente surpreso, observando o amigo.
- Para encurtar os fatos, fui preso aqui por Gigantus, como não conseguia sair, aproveitei para malhar um pouco! - Respondeu T-Paia exibindo com satisfação os músculos.
- Como? - Perguntou Kaira.
- Usei aqueles aparelhos estranhos que consegui em Lógika - Falou apontando para uma séria de aparelhos de musculação que se amontoavam pelo chalé agora completamente visível.
- Stutgard vai ficar furioso quando ver a bagunça que você fez na casa dele. - Falou Argos olhando o rebuliço produzido por T-Paia no interior do chalé.
- E vocês? O que houve com vocês esse tempo todo? - Perguntou T-Paia.
- Você se lembra...
- Claro que me lembro! - Falou interrompendo Gohkuú.
- Como recobrou a memória?
- Foi agora a pouco, quando batia a cabeça na parede, antes de soltar o dragão negro e me libertar da barreira! - Falou enquanto coçava a cabeça.
- Mas precisava ficar batendo a cabeça na parede? - Disse Argos nitidamente contendo uma gargalhada.
- Você acha que eu gostei de lembrar por tudo o que passamos antes, saber que nada do que fizemos deu certo, e que passei anos enclausurado dentro desse chalé, sem poder fazer nada, enquanto o mundo se acabava? Balzac vinha o tempo todo me torturar e me mostrar o que eles faziam com vocês.
- Então sabe exatamente todas as humilhações que passamos nas mãos deles, principalmente nas do traidor do Gudam. - Disse Tairon repleto de ódio.
- Estão esperando o que para irmos logo acabar com isso de uma vez por todas?
Leia o Restante.

Pérola do Orkut... ou seria do Adsense?

Se você vem aqui e pensa que nunca colocaríamos uma pérola, se enganou.

Se é familiarizado com o sistema de monetização de sites do Google, o Adsense, você antes deve ler esse fragmento de notícia publicado no Google Discovery...



Logo depois, um usuário, que não será identificado porque o objetivo não é esse - a não ser que ele autorize, e será devidamente divulgado. - traduziu mal as palavras originais do Google e ficou desesperado pensando que as referências iriam acabar, quando na verdade apenas a comissão das Américas diminuirá (e apenas de quem utiliza um determinado grupamento de referências) e essa referência em questão apenas se encerrará em outros lugares que não nos afetam, maiores informações no final da postagem.

E eis a pérola:

É o que acontece ou quando lemos mal alguma coisa ou quando fazemos algo com sono... Viramos destaque.

Já aconteceu comigo antes em outras épocas... Um dia posto um podre meu, a pedidos, claro. =p


Lembrando que - mesmo com toda a brincadeira da postagem anterior - nós estamos participando com louvor de uma enquete na Comunidade do Orkut, chamada Blogger @ Brasil, e que se você, participante da comunidade, considera que nosso blog digno de seu voto agradeceremos de bom grado por mais essa prova de reconhecimento. =D


Fontes:
Google Discovery
Orkut
Leia o Restante.

Vote em NÓS!

Até o tio Sam nos apóia!

Brasileiros e brasileiras! Minha gente! Eu poderia estar roubando, eu poderia estar matando, eu poderia estar te xingando ou falando mal de alguma coisa, eu poderia estar metendo o malho nos políticos, pois este nano é ano de eleição, aí logicamente eles farão de tudo para aparecerem e trabalharem como só fazem nesta época do ano.

Poderia estar fazendo tudo o que listei acima, mas pelo contrário,, venho aqui humildemente pedir seu voto, isso meu caro (ou minha cara) leitor(a), quero SEU VOTO! "Para quê?", você pergunta. Para um concurso feito no Orkut, através da comunidade "Blogger Brasil ® - Blog". Este blog está concorrendo na categoria "outros", devido a nossa grande diversidade de assuntos e não abordarmos apenas um em específico.

Por isso caro amigo(a) que me lê agora, peço seu apoio, para votar é só clicar AQUI e selecionar o nosso blog e pronto, você não ajudou a criar um futuro melhor, nem um mundo melhor, mas nos ajudou a subir de posição e angariar mais votos!

Conto com vocês meu povo amado! Prometo que se for eleito... Ops... Discurso errado. Apenas entrem no link acima e votem na gente, contamos com você!

Sendo redundante... Para votar é só clicar AQUI... Isso mesmo...


E tenho dito!


Leia o Restante.

BBB8: Começou a Baixaria.


Mais um ano começa, e nos últimos oito anos o assunto do verão, depois do Ano Novo e Natal, é sempre o mesmo... Big Brother Brasil.

Mas não quero abrir essa discussão dando minha opinião sobre o programa, pois ela é irrelevante e existem pelo menos milhares de pessoas até mesmo nesse momento digitando alguma opinião a respeito. Quero falar de você.

Mas não você que está alheio a toda essa discussão que pipoca pela rede em torno de coisas que envolvem palavras como "moralidade", "baixaria", "dinheiro", "televisão é cultura" e tudo aquilo que se tornou repetitivo e beirando o ridículo.

Eu gostaria sinceramente de entender essa relação de amor-ódio, principalmente ódio com esse programa que ocupa apenas curtos três meses de um ano com doze, e criado com o intuito de tapar o buraco das férias da programação noturna da TV Globo (leia-se, Casseta & Planeta, Globo Repórter, minisséries, etc). Não que outros canais não possuam alternativa, e existem muitas, até novela existe esse ano (a Caminhos do Coração da Rede Record), sem contar opções pagas.

Porque então há uma necessidade de se discutir um programa de televisão. As pessoas, geralmente as mesmas, esperam uma vez por ano que o rosto de Pedro Bial apareça em frente da televisão com o logotipo do programa para começar a destilar seu veneno. Não demora muito surgem outros defendendo... Parece até Marketing Viral.

Para quem não sabe: Marketing Viral é divulgação de algo através de redes de influência, geralmente no meio online, e que consiste em divulgar um produto através de situações paralelas, como boatos, pessoas que falem mal ou bem, notícias plantadas e outras coisas assim.

Do jeito como a coisa pipocou nos últimos dias desconfio que uma parte significativa do público de internet e de comunidades foi convidada a fazer parte dessa divulgação incitando os que odeiam o BBB a se manifestar. Porque as que "odeiam"? Porque quem odeia é manipulável, é só fazer aquilo que a pessoa odeia, incitar esse ódio que ela faz seu trabalho. O mesmo vale para quem ama, mas no caso, quem ama pega mais leve, exceto quanto ofendem a pessoa amada. =p

Obviamente que é apenas suposição. Também pode ter a ver com oportunismo, onde pessoas como eu - eu admito. - puxam o tema sabendo que pessoas que gostam de barracos vão vir em seu site procurando agulha no palheiro... Se você chegou até aqui e é uma dessas pessoas, bem vindo. =D

Mesmo assim, mesmo assistindo por pressão familiar - minha esposa assiste. - e preferindo Caminhos do Coração (das opções que pegam em minha antena VHS velha) ao programa global, ainda não não consigo ter ódio ou amor por esse programa, apenas uma profunda indiferença.

Por sinal, e em tempo, foi-se o tempo em que a Rede Globo tentava disfarçar que as pessoas disputavam o dinheiro porque não tinham um milhão. Estava assistindo, com minha esposa, mas na verdade viajando na maionese (sabe quando você abstrai e fica autista por alguns momentos, e por vontade própria, ainda mais quando o assunto não agrada?) quando de repente escuto uma conversa sobre mililitros.

Pensei que fosse comida, mas passei perto. Estavam falando de silicone nas tetas. Se forem contabilizar quanto cada uma das mulheres ali gastou em plásticas, dado o teor da conversa, elas já torraram um milhão bem rápido... Só em recauchutagem. O antigo teor "social" do programa em inserir pessoas por sorteio definitivamente acabou e agora é mais do que nunca uma novela.

De resto, nada de novo que já não tenha acontecido nas edições anteriores, ou mudam a fórmula ou o programa muda de emissora, vai pra PQP-TV, a emissora responsável por aquilo que falha. =p

Por fim, credito essa fanfarronice toda em torno desse programa por alguns motivos, e não sei se concordará comigo:
- Público está ocioso, na falta do que fazer reclama;
- Não há programas bons no horário, o menos ruim deveria ser o da Globo, como não é... Malho a Globo;
- É da Globo, e o importante não é defender sua causa, mas que sua causa seja ofender a empresa Globo;
- Existe uma conspiração dos monges mancos do tiber do sul querendo que percamos tempo discutindo afinidades enquanto coisas importantes como o ano de eleição são esquecidos por todos. E esse ano promete ser uma porcaria eleitoral.
- todas as alternativas acima.
- Tanto faz, penso como você: o que me irrita no BBB não é o programa, mas as discussões sobre ele.

E então, mais alguma possibilidade para esse alarde todo em cima de um programa inofensivo que qualquer um pode resolver seu problema trocando de canal ou indo ler?

Sei lá, falar de BBB nessa época do ano é que nem falar de presente no natal, ou seja é chover no molhado. Mas atrai um público bem caloroso... Do tipo que xinga ofende a mãe e taca na macumba se continuar falando do objeto de idolatria seja bem ou mal. Pior do que o fã é aquele que odeia mas assiste apenas para fazer intriga. =p
Leia o Restante.